Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

24 de jul de 2016

Não tem mais desculpa que cole para quem está sem cinto

Tem gente que dá inúmeras desculpas para não usar o cinto de segurança seja como condutor ou passageiro. Esse tipo de postura é inaceitável depois de tanto tempo. Embora a falta do uso do cinto não apareça nas estatísticas como a causa dos acidentes, a verdade é que a falta do seu uso provoca muitas mortes e lesões graves. Boa parte das indenizações pagas pelo DPVAT por morte e invalidez não seriam necessárias caso todos os passageiros e condutores de veículos utilizassem esse item de segurança simples e genial.
 
A função principal do cinto de segurança é proteger os ocupantes, diminuindo as conseqüências dos acidentes. Em muitos casos, o cinto de segurança impede que o ocupante se choque contra o volante, painel e pára-brisa, ou ainda, que seja projetado para fora do veículo. Portanto, o cinto de segurança é eficaz para reduzir as conseqüências de acidentes não somente para o condutor do veículo, mas para todos os ocupantes.
 
O cinto pode contribuir também para evitar um acidente. Quando o condutor é obrigado a fazer uma manobra radical, em função, por exemplo, de um animal no meio da pista, como o cinto o mantém preso ao banco, ele tem mais possibilidades de evitar um tombamento, saída de pista, colisão e retomar o controle do veículo por estar usando o cinto.
 
Da mesma forma, numa freada brusca para evitar uma colisão, quando um passageiro está sem o cinto no banco de trás, ele será projetado para frente, chocando-se com o corpo do condutor, muita vezes provocando um acidente que seria evitado.
 
Há inúmeras pesquisas sobre a importância do cinto de segurança que na média revelam que o seu uso reduz em até 30% as conseqüências fatais em acidentes. Conseqüências graves como traumatismos e perda de visão são reduzidas em até 60% com o uso do cinto de segurança.
 
Apesar da sua importância, ainda existem pessoas que não usam o cinto, especialmente no banco de trás. Muitos motoristas profissionais também são negligentes quanto ao seu uso. Por essa razão, quase todos os dias encontramos no noticiário acidentes com caminhoneiros que são projetados para fora do veículo num tombamento e perdem a vida esmagados pela carroceria do caminhão que tomba sobre seus corpos.
 
Nos ônibus rodoviários de linhas intermunicipais, estaduais e federais, os motoristas costumam alertar os passageiros sobre a importância do uso do cinto por todos os ocupantes. Infelizmente, menos de 10% dos passageiros usam o cinto, apesar do noticiário já ter demonstrado inúmeras vezes as consequências e as mortes causadas por passageiros que estavam no ônibus sem cinto de segurança.
 
O cinto de segurança já está disponível no Brasil há mais de 30 anos e seu uso é obrigatório nacionalmente há quase 20 anos. Portanto, já está na hora de aprendermos a lição. Ninguém pode alegar desconhecer a obrigatoriedade do seu uso. Por isso, defendemos que as autoridades fiscalizem e punam com o máximo rigor quem estiver sem cinto.  A legislação deveria prever ainda a possibilidade de multar o passageiro sem cinto, afinal, é muito difícil para um motorista de ônibus controlar os passageiros, assim como é complicado para o taxista.
 
O que temos certeza é de quem não usa o cinto não dá o devido valor a própria vida, portanto, é bem provável que também não seja responsável com a vida dos demais.
 
Fonte: Viver seguro no trânsito



Nenhum comentário:

Postar um comentário