Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

27 de set de 2015

Cada acidente rodoviário com vítima fatal custa R$ 646 mil ao brasil, afirma IPEA

Dado foi divulgado em estudo do instituto que analisou dados da utilizou dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em 2007, 2010 e 2014,

Acidente de carro (Foto: Foto: Agência O Globo)
Nesta semana, o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgou dados de uma pesquisa que mostra que cada acidente rodoviário com vítima fatal custou em média R$ 646.762,94 à sociedade brasileira em 2014. Os acidentes sem mortos registrados em vias federais custaram R$ 72.705,31 ao país e aqueles com vítimas não fatais R$ 90.182,71.
As informações foram publicadas no relatório "Acidentes de Trânsito nas Rodovias Federais Brasileiras: Caracterização, Tendências e Custos para a Sociedade", que utilizou dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em 2007, 2010 e 2014.
No total, os acidentes em rodovias federais em 2014 custaram mais de R$ 12 bilhões. Se incluirmos as ocorrências em rodovias estaduais e municipais, o montante chega a mais de R$ 42 bilhões.
De acordo com o Ipea, mais da metade (64,7%) dos custos citados acima estão associados às vítimas do acidente, incluindo gastos como saúde e perda de produção devido a lesões ou à própria morte, ou seja, quanta renda a vítima deixa de receber quando afastada das atividades econômicas. O restante dos custos (34,7%) está ligado aos veículos envolvidos nas ocorrências, levando em conta fatores como danos materiais, perda de cargas ou procedimento de remoção do veículo.

Causas e tipos de veículos envolvidos
O maior custo de acidente vem dos automóveis, isso porque eles compõem a maior parte da frota nacional. Ainda assim, essa é a única categoria de veículos cujo número de acidentes é maior do que o custo nacional. As motocicletas, por exemplo, são responsavel por apenas 18,6% das ocorrências, mas o custo derivado disso é mais de quarto do total.
Custos dos acidentes em rodovias federais, segundo o Ipea (Foto: Reprodução)








A maioria dos acidentes com mortes (20,3%) são causados pela falta de atenção, conforme aponta o Ipea. A velocidade incompatível com as regras da via vem em segundo lugar, com 13,1% das ocorrências com vítimas fatais. Por fim, vem a ultrapassagem indevida (7,8%) e, só então, ingestão de álcool (6,5%).
Causas de acidentes em rodovias federais, segundo Ipea (Foto: Reprodução)

Evolução dos custos

De 2010 para 2014, os custos dos acidentes nas rodovias federais caíram de R$ 13 bilhões para R$ 12,3 bilhões. De acordo com o Ipea o custo caiu, principalmente, em função da redução de volume de acidentes e de acidentes graves.
Na pesquisa, o órgão indica que isso pode indicar o sucesso de medidas de redução de acidentes nas rodovias federais, como a concentração das operações da polícia nos trechos críticos e melhorias da infraestrutura e equipamentos de controle de velocidade. Por fim, o instituto observa que os custos continuam sendo muito altos quando comparados com os de meados da década passada e afirma que há muito o que avançar para reduzirem acidentes de trânsito nas rodovias.
Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário