Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

25 de jul de 2015

Associação dos Detrans divulga perfil dos motoristas brasileiros

Jornal do Brasil


Neste sábado (25), em todo Brasil, é comemorado o Dia do Motorista. Por isso, os Departamentos Estaduais de Trânsito preparam atividades especiais e a Associação Nacional dos Detrans (AND) fez um balanço sobre quem são os mais de 60,7 milhões de condutores brasileiros e quais as particularidades regionais que fazem do trânsito do país um desafio de tamanho continental.

“O dia 25 de julho reúne uma série de atividades educativas em todos os Estados. Mais do que comemorar, é uma data para lembrar das responsabilidades de cada motorista, por isso, os Detrans aproveitam para levar mensagens de respeito e segurança no trânsito”, conta o presidente da AND e diretor-geral do Detran Paraná, Marcos Traad. 

No Estado, serão feitas blitzes em parceria com a Policia Militar e atendimento ao cidadão no Detran Móvel. O Paraná tem 4,4 milhões de condutores habilitados. A maioria homens, com 41 a 60 anos: 1.248.897, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Já no Acre, a maior parte dos motoristas é jovem. Dos 192.650 cadastrados no Registro Nacional de Condutores Habilitados (Renach), 43% são homens com até 40 anos e outros 23% são mulheres com a mesma faixa etária.

Em Alagoas, onde são 430.026 motoristas, as mulheres são 26% dos habilitados. Os homens são 74% e grande parte (89 mil) tem entre 31 a 40 anos.

O Estado do Amazonas também tem perfil semelhante: Dos 234.115 motoristas, 89.338 são do sexo masculino e tem entre 31 a 40 anos. Entre as mulheres, 35.927 estão nesta faixa etária.

No Amapá, o Detran vai intensificar a operação Lei Seca neste final de semana, durante afesta de São Tiago em Mangazão. Os jovens representam 28% dos condutores do Estado. Homens e mulheres até 30 anos somam 37 mil do total de 131.178 motoristas registrados.

A Bahia, com 2.297.841 condutores, de acordo com o Denatran, também vai focar as atividades educativas na juventude. O Estado lança uma campanha especial voltada aos motociclistas e tem 566 mil habilitados com entre 18 e 30 anos.

No Ceará, quase 70% dos motoristas são homens: do total de 1.571.330 habilitados, eles são 1.091.502.

No Distrito Federal, a relação entre homens e mulheres é mais equilibrada, apesar deles ainda serem maioria. São 1,4 milhão de motoristas, 850 mil do sexo masculino e 561 mil do sexo feminino.

No Espirito Santo, o projeto “Escola segura no Trânsito” trabalha conceitos de segurança para crianças e adolescente. O Estado tem 61.526 condutores com até 21 anos, em um universo de 1.205.863 motoristas.

Em Goiás, onde são 2.303.209 habilitados, o Detran se uniu a artistas para falar de educação para o trânsito. Serão atividades circenses, musicais, malabares e teatro para falar com motoristas e ciclistas.

No Maranhão, a maioria dos motoristas são homens, de 31 a 40 anos. Segundo o Renach, dos 498.405 condutores registrados, 138.450 estão nesta categoria.

Minas Gerais, com 6.268.003 habilitados, mais de 1 milhão seguem este perfil. As mulheres nesta faixa etária são 621.354.

No Mato Grosso do Sul, destaque para os condutores com mais de 90 anos e CNH ativas. São 1.143 idosos, com entre 91 e 120 anos, e carteira de habilitação. O Estado tem no total 857.084 motoristas, de acordo com os dados do Renach/Denatran.

No Mato Grosso, que tem 1.101.180 habilitados, 60% tem entre 30 e 60 anos. São 682.662 motoristas, de ambos os sexos.

No Pará, quase 75% dos motoristas são homens. Eles respondem por 858.718 e elas por 290.750 CNHs, de um total de 1.149.468 documentos.

Na Paraíba, o Detran realiza a campanha “Não dá para perder a cabeça”, com atividades diversas para enfatizar a necessidade de dirigir com responsabilidade. O Estado tem 690.747 condutores.

Em Pernambuco, são 1.860.535 motoristas. Destes 199.107 tem mais de 60 anos, sendo que mais de 16 mil tem entre 81 e 90 anos e 69 de 101 a 120 anos.

No Piauí, 73% dos motoristas são homens. Do total de 438.657 condutores, 322.179 são do sexo masculino.

O Rio de Janeiro, com 3.720.001 condutores, terá ação educativa na Linha Amarela alertando sobre celular, velocidade e cinto de segurança.

Os dados do Denatran mostram ainda o perfil dos motoristas no Rio Grande do Norte (669.076 condutores), Rondônia (601.413), Roraima (120.620), Sergipe (424.491) e Tocantins (345.545).

Destaque para o Rio Grande do Sul, com 4.295.999 motoristas e para São Paulo, com o maior número de condutores do Brasil: 20.067.603.

Fonte:

16 de jul de 2015

Evolução

Por Rosa Maria Maia ¹
No tempo a história da Humanidade fala.
Conta à saga da Criatura que de pé caminhou.
Criando laços, traçando passos e trajetórias.
Emitiu sons guturais e logo modulou o tom,
Aperfeiçoando o gesto, ferramenta da mão.
Eis os arquitetos de uma nova criação!
Corpo ereto, pés sustentando movimentos,
Pés e mãos, veículos da mente para circulação.
Artérias a amostra rasgam um novo chão.
Mas logo, o dom de caminhar não basta!
Precisava viajar e transportar, transcender.
Saciar o seu desejo de saber e conhecer.
Assenhorou-se dos rumos desta nova vida.
Pés e mãos convertem-se em máquinas,
Fundem sua força no elo da transformação.
É a nova era, poder, riqueza e progresso.
E da nova vida Homem? Deleite e desfrute.
Fabuloso prêmio ao Senhor dos tempos.
Mais qual o preço? Qual vida? Que valor?
A Criatura é refém da própria criação!
Transita no berço da morte, guiando destruição.
O elo da humanidade perdeu o seu rumo.
Na rota do futuro desencontrou-se do Homem.
Onde e como reaprender o caminho?
É preciso restaurar o caminho e cada passo.
Sem pressa reencontrar o valor do espaço,
A rota do Criador e a humildade da criação.
Laços, passos, traços, elos de vida - Humanidade.
No tempo a história do Homem subverteu-se,
Já não fala, grita e suplica num pranto de dor.
Roda e motor, rolo compressor. Perdão Criador!
¹ Graduada em Serviço Social e Direito, Pós Graduada / Recursos Humanos e Gestão de Trânsito, exerce atividades profissionais no Sindicato das Emp. Transportes Rodoviários e trabalha com o Projeto Trânsito e Vida, voltado para a disseminação da educação de trânsito para a sociedade e as empresas de transporte por ônibus no Rio de Janeiro e gosta de escrever Poesias. Reside em Niterói/RJ.
Do livro "Poesias para a Vida: trânsito", publicado pela Câmara Catarinense do Livro, em 2014.

Students Create School Bus Crash



 Reprodução muito bem feita da imprudência e da insegurança no transporte coletivo.

11 de jul de 2015

Motoristas infratores prestam serviço voluntário em hospitais

Agência Estadual de Notícias - 30/06/2015 -- 11:18

Motoristas que cometeram crimes de trânsito, por dirigirem embriagados, estão recebendo uma punição diferente em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Depois da audiência na Vara Criminal, o infrator é convidado a prestar serviços voluntários às vítimas de acidentes de trânsito e participar da rotina de reabilitação e tratamento de quem passou por traumas causados pela imprudência. 

Já são 40 motoristas participantes, desde maio. Entre outras ações, eles ajudam no transporte de pacientes em cadeiras de rodas e macas, recepcionam e conversam com vítimas e familiares, com o auxílio e acompanhamento de profissionais. 

Emily Kravetz/Detran-PR
Emily Kravetz/Detran-PR


O projeto Justiça e Sobriedade no Trânsito é organizado pela 2ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, em conjunto com a Defensoria Pública e Ministério Público da cidade e com apoio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Policia Militar, Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito e Conselho Comunitário de Execução Penal. 

Conscientizar 

"A intenção é conscientizar e mostrar que um ato de irresponsabilidade tem impacto gigantesco na vida de outras pessoas, destrói famílias inteiras, carreiras, sonhos", diz o diretor-geral do Detran-PR, Marcos Traad. Neste projeto, o Detran desenvolve palestras educativas e dá apoio técnico às atividades e, depois, acompanha o histórico dos participantes para identificar se houve mudança de comportamento. 

"Os relatos de quem participou são muitos positivos e eles se dizem tocados, sensibilizados pelo contato com a vítima e com conhecimento repassado nas palestras. O interessante é que o condutor não encerra seu processo apenas pagando prestação pecuniária, mas ciente de suas responsabilidades", conta o coordenador da ação, juiz Augusto Gluszcak Junior. 

Como funciona 

Primeiro, o condutor infrator passa pela audiência na Vara Criminal e então segue para o Conselho Comunitário de Execução Penal, onde é feito um cadastro. Se demonstrar interesse em participar, ele deve passar por uma avaliação psicossocial. 

São 48 horas, sendo oito de palestras e 40 horas de atividades práticas. As palestras ministradas pelo Detran ocorrem uma vez por mês e tem duração de uma hora. 

O psicólogo do Detran, Fabiano Xisto Correia, explica que o trabalho serve para sensibilizar e motivar a mudança de comportamento. "Em nossas palestras enfatizamos que álcool e trânsito são incompatíveis. As pessoas precisam entender que muitos acidentes podem ser evitados simplesmente pelo fator humano", destaca. 

"Quando os condutores entram no hospital e se deparam com as vítimas, pacientes com fraturas expostas ou entre a vida e morte, eles começam a repensar a própria vida. É um momento de reflexão", revela a assistente social, Jeanine Luzia Ferreira de Paula. 

Meu papel 

Foi o que aconteceu com Halisson Woiciekovski, de 23 anos, que participa do projeto há três semanas. "Essa experiência me fez pensar sobre meu papel no trânsito. Os jovens são complicados, sempre acham que não vai ter problema fazer tal coisa, mas tem muito acontece que não tem mais volta. Estas atividades estão me trazendo muitas coisas boas, porque me fizeram ver que não podemos cuidar só da gente, mas dos outros também". 

Os bons resultados tornaram o Justiça e Sobriedade no Trânsito um dos destaques da última Semana Estadual de Combate as Drogas, realizada pelo Governo do Paraná, em conjunto com o Conselho Estadual de Políticas Públicas, e já existe a intenção de expandir o projeto para outras cidades do Estado.

As mulheres e o Trânsito


Por Roberta Torres

“Mulher ao volante, perigo constante”. Você provavelmente já escutou esse ditado. Por trás dele, existe uma cultura de gênero e preconceito que aos poucos deve ser desmistificado. Levantar esse debate é essencial para um trânsito mais justo.

Culturalmente, mulheres não foram orientadas a se tornarem motoristas. Apesar de a realidade estar mudando, na teoria das divisões dos papéis sociais, meninas brincam de boneca e meninos brincam de carrinho. Crescer não é muito diferente disso. Carro, moto e caminhão ainda são vistos como “coisa de homem” e é aí que as piadas começam.

Esse é um assunto sério e que precisa de conscientização. Segundo a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, apesar de possuírem CNH, cerca de dois milhões de brasileiros não dirigem por medo. E esse medo tem nome: Amaxofobia. A Amaxofobia é um transtorno psicológico que tem como consequência o medo irracional de conduzir um veículo. Pessoas que sofrem do medo de dirigir, normalmente sentem dores de cabeça, tensão muscular, boca seca, sudorese, vertigens, coração acelerado. E o que mais impressiona, dentre esses dois milhões de brasileiros que sofrem de Amaxofobia, é que 75% são mulheres.

Xingamentos, piadas, críticas (muitas vezes dos próprios companheiros) são os vilões dessa fobia, porém, motivos não faltam para erradicar tais praticas. Confira alguns dados que vão clarear sua visão sobre o assunto:

Mulheres, sinônimo de consciência no trânsito

Seja por lazer ou trabalho, mulher ao volante é uma realidade e uma tendência e se pensarmos em segurança, elas também são um exemplo. A empresa britânica de seguros Privilege Insurance, realizou uma pesquisa que concluiu: as mulheres dirigem melhor.

Um total de 50 motoristas passaram por uma avaliação de dentro do carro e 200 foram assistidos no cruzamento. Ao todo eles foram testados em 14 aspectos diferentes de condução. Em um total de 30 pontos, as mulheres marcaram 23,6, enquanto os homens totalizaram apenas 19,8 pontos.

Veja abaixo alguns itens comparativos concluídos pelo teste:

Velocidade apropriada ao se aproximar de um semáforo
Mulheres: 75%
Homens: 55%

Impacto negativo noutros motoristas
Mulheres: 54%
Homens: 73%

Sinalização adequada
Mulheres: 96%
Homens: 82%

Falar ao telefone ou mandar mensagem ao volante
Mulheres: 16%
Homens: 24%

Cortar perigosamente os outros veículos no trânsito
Mulheres: 1%
Homens: 14%

Causar obstrução na via
Mulheres: 16%
Homens: 25%

Em apenas dois quesitos os homens pontuaram mais. Em “Ter o controle do veículo”, homens ficaram com 100%, enquanto mulheres somaram 96%. Já no teste sobre a observação efetiva ao fazer manobras, homens ficaram com 82% e mulheres com 71%.

Um resultado em especial surpreendeu. Apenas 28% das mulheres achavam que dirigiam melhor que os homens, enquanto somente 13% deles acreditavam que elas eram superiores por trás dos volantes. Isso mostra o quanto a cultura do ditado “mulher ao volante, perigo constante” torna as mulheres mais inseguras.

Se precisar, peça ajuda

Se você é uma dessas pessoas que sofrem com o medo de conduzir veículos, não hesite em pedir ajuda. Hoje existem empresas especializadas no assunto. Elas possuem instrutores qualificados para ajudar a superar esse medo. Em alguns casos, a Terapia é essencial, especialmente se o medo de dirigir vier acompanhado por outros medos.

Ah! E lembre-se sempre de ser um bom exemplo. Respeito no trânsito é um papel de todos nós, Homens ou Mulheres.

Gostou do texto? Quer deixar uma dica ou uma sugestão de um novo tema? Envie um e-mail que entraremos em contato com você! Até a próxima!


Cinto de Segurança - História, Uso Correto e Exemplo de Caso Real!

8 de jul de 2015

Ao retornar com o veículo

video

XIV Prêmio de Educação no Trânsito - Denatran


Um dos grandes objetivos deste Departamento é mostrar que trânsito é uma questão de cidadania e que faz parte do dia a dia de todas as pessoas, assim, estamos sempre convocando toda a sociedade para refletir sobre a importancia de um comportamento mais responsável e mudar de uma vez por todas a atitude no trânsito. O Prêmio Denatran faz parte das ações realizadas pelo Ministério das Cidades/DENATRAN, cujo intuito é contribuir com a Década Mundial de ações para Segurança no Trânsito na diminuição dos números alarmantes de pessoas que perdem a vida em acidentes de trânsito. O concurso, promovido pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), elege anualmente os melhores trabalhos produzidos sobre o tema Trânsito e tem como objetivo incentivar diversos setores da sociedade a refletirem sobre aspectos relativos à segurança, ao respeito e a cidadania no trânsito.

Dúvidas referentes ao concurso – premio.denatran@cidades.gov.br

Novo Regulamento do XIV Prêmio Denatran - Clique Aqui!
Para se Inscrever, Clique aqui!