Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

28 de jun de 2015

Cuidados básicos no trânsito

Direção segura evita acidentes e mortes nas ruas e nas estradas.

Por Bianca Camargo e Felipe Tellis

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o trânsito é responsável pela maior parte das mortes violentas no mundo, ganhando de guerras e homicídios. No Brasil, o último levantamento diz que em 2014 foram mais de 50 mil mortes, além das vítimas não fatais. Diversos acidentes poderiam ser evitados se algumas medidas de segurança não fossem negligenciadas pelos motoristas, como mostra Irene Rios, especialista em educação no trânsito.
Foto: Shutterstock Images
Foto: Shutterstock Images
Cuidado ao volante
Muitas imprudências ocorrem por desconhecimento das regras de trânsito, outras por falta de atenção nas sinalizações e desconhecimento da utilidade dos equipamentos de segurança. Porém, o maior motivo é o desrespeito consciente às leis de trânsito.
Irene aponta que os erros mais comuns praticados pelos condutores são: excesso de velocidade, não exigir que os ocupantes do veículo usem o cinto de segurançafalar ao celular enquanto dirige, realizar ultrapassagens arriscadas, dirigir após ingerir bebida alcoólica e achar que a violência viária só acontece com os outros.
“Todos são extremamente perigosos, porém, o excesso de velocidade tira praticamente todas as possibilidades de defesa e de segurança do motorista e dos demais ocupantes do veículo, por isso é o mais grave”, comenta a especialista.
Erros comuns
O celular, mesmo no viva-voz, é muito perigoso. “A pessoa do outro lado da linha não sabe como está o trânsito e fica cobrando uma resposta do motorista, tirando sua atenção”, ressalta.
O som do carro pode atrapalhar a concentração, mas varia de pessoa para pessoa, como explica a especialista: “eu não me concentro ouvindo música. Os jovens, no entanto, não têm dificuldades em realizar tarefas com o som ligado. Mas quando o volume está muito alto, o motorista não consegue ouvir os ruídos externos, como a buzina de alerta de outro veículo”, explica.
Manusear o rádio com o carro em movimento também desvia a atenção, assim como conversar com um passageiro do veículo. Evite conversas tensas enquanto dirige e, se o trânsito ficar complicado, peça silêncio. Programe seus horários para nunca sair atrasada. “Pressa é inimiga da perfeição no trânsito também. Porém, as consequências disso são graves e, muitas vezes, irreversíveis”, alerta.
Dirigir de salto alto atrapalha o controle dos pedais. Deixe um tênis ou uma sapatilha no carro e troque quando estiver no trânsito. Procure manter a distância de dois segundos do carro da frente. Isso reduz o risco de colisão traseira, caso ele precise frear de repente. Nunca dirija com sono ou após consumir bebida alcoólica.
Crianças, só no banco de trás
– Nos carros com cinto de três pontos, as crianças de até 1 ano devem viajar no bebê conforto. 
– Entre 1 e 4 anos, é preciso transportar as crianças na cadeirinha, que deve ser presa com o cinto. 
– Dos 4 anos até 7 e meio, o transporte deve ser feito no assento de elevação. 
– Em veículos mais antigos, que não têm três pontos, as crianças devem andar apenas com o cinto abdominal.



Cesar Mota autoescola Música Regras do Trânsito

21 de jun de 2015

Treinamentos com Irene Rios


Curso de Métodos e Técnicas Educativas para a Segurança do Trânsito

Objetivos
Proporcionar a aquisição de conhecimentos sobre conteúdos, métodos e técnicas educativas de trânsito, para o desenvolvimento de aulas, palestras, campanhas educativas e demais atividades em prol da mobilidade segura.

Carga Horária: 20 horas aula (dois dias)

Conteúdos 
- Trânsito, valores, sensibilidade e aprendizagem. 
- Educando crianças, adolescentes, adultos e idosos. 
- O trânsito como tema transversal na escola.
- Música
- Noções de oratória
- Contação de histórias
- Teatro de fantoches
- Campanhas educativas para o trânsito.

Oficina para Professores Multiplicadores de Educação para a Segurança do Trânsito

Objetivos
Oferecer aos educadores ferramentas básicas para desenvolverem atividades em sala de aula, que contribuam para promover atitudes seguras no trânsito, através da análise e da reflexão de comportamentos mais humanos e seguros.

Carga Horária: 10 horas aula

Conteúdos

- Segurança no trânsito, o que temos com isso?

- Educando crianças para o trânsito.

- O trânsito como tema transversal nas escolas.



Palestras

1. "Seja VOCÊ a mudança no trânsito."  

Objetivo: Esclarecer aos participantes as conseqüências e as causas da violência no trânsito, alertando-os sobre a responsabilidade de cada um na prevenção dessa violência.  

Carga horária: 2 horas  

Público alvo: Professores, pais, estudantes, agentes e gestores de trânsito, motoristas e demais interessados.  

2. CAMPANHAS EDUCATIVAS PARA O TRÂNSITO: a percepção sensível de jovens e adultos.

Objetivos:

- Refletir sobre a sensibilidade nas campanhas educativas para o trânsito e sobre os métodos de difusão e aplicação das campanhas de educação para o trânsito.

- Orientar sobre o planejamento, desenvolvimento, aplicação e avaliação de campanhas educativas para o trânsito.


Carga horária: 2 horas  

Público alvo:  público em geral.


3. Música e Trânsito: curiosidades, reflexões e educação.

Objetivo: Refletir sobre a influência da música na cultura e no comportamento humano no trânsito, propondo seu uso nas atividades de educação para a segurança viária.


4. Álcool e a Segurança no Trânsito

Objetivo: Sensibilizar os participantes sobre os efeitos do álcool no organismo, as consequências de sua mistura com a direção e a responsabilidade de cada um sobre a segurança no trânsito.

Carga horária: 2 horas  

Público alvo:  público em geral..  


5. Devagar!

Objetivo: Refletir sobre a pressa, a velocidade e a falta de sensibilidade no dia-a-dia das pessoas e suas consequências no trânsito.

Carga horária: 2 horas  

Público alvo: Professores, pais, agentes e gestores de trânsito, motoristas e demais interessados.


6. Trânsito! Fala sério...

Objetivo: Motivar jovens e adolescentes a refletir sobre as condutas corretas para a promoção de um trânsito seguro, possibilitando a aprendizagem sobre o tema.

Carga horária: 2 horas  

Público alvo: Jovens, adolescentes e demais interessados.


7. Trânsito e valores

Objetivo: Refletir sobre a influência dos valores no comportamento humano e na segurança viária.  

Carga horária: 2 horas

Público alvo: Professores, pais, agentes e gestores de trânsito, motoristas e demais interessados.


8. Educação para o Trânsito nas Escolas

Objetivo: Proporcionar ferramentas aos educadores a fim de sensibilizá-los sobre a necessidade e a possibilidade de adoção de medidas preventivas, junto aos alunos, de maneira sistemática e transversal, principalmente no tocante à mudança de atitude, e com isso, contribuir para a segurança e paz no trânsito.  

Carga horária: 2 horas  

Público alvo: Professores, diretores, coordenadores da rede de ensino, agentes, gestores de trânsito e demais interessados.


9. Cinto de Segurança e Cadeirinha

Objetivo: Orientar sobre a finalidade e importância do uso do cinto de segurança e da cadeirinha pelos ocupantes dos veículos, incentivando seu uso correto.  

Carga horária: 2 horas  

Público alvoProfessores, pais, agentes e gestores de trânsito, motoristas e demais interessados.  

Referências
  1. São José - SC (2017): Clique aqui!
  2. Blumenau - SC (2017): Clique aqui!
  3. Detran de Paraíba - João Pessoa (2016): Clique aqui!
  4. SEMOB - João Pessoa - PB (2016): Clique aqui!
  5. Foz do Iguaçu - PR (2016): Clique aqui!
  6. Blumenau - SC (2016): Clique aqui!
  7. Balneário Camboriú - SC (2016): Clique aqui!
  8. Santarém - PA (2016): Clique aqui!
  9. Olinda - PE (2015): Clique aqui!
  10. Belo Horizonte - MG (2015): Clique aqui!
  11. Prefeitura de Novo Horizonte - SP - (2015): Clique aqui!
  12. Detran de Rondônia - Porto Velho (2015): Clique aqui!
  13. Detran do Pará - Belém (2015): Clique aqui!
  14. Detran do Maranhão - São Luís (2015): Clique aqui!
  15. Prefeitura de Brusque - SC (2015): Clique aqui!
  16. Foz do Iguaçu - PR (2015): Clique aqui!
  17. UFPR - Curitiba - PR (2014): Clique aqui!
  18. Detran de Rondônia - Porto Velho (2014): Clique aqui!
  19. Prefeitura de Novo Horizonte - SP (2014): Clique aqui!
  20. Muriaé - MG (2014): Clique aqui!
  21. São José - SC (2014): Clique aqui!
  22. Florianópolis - SC (2014): Clique aqui!
  23. Prefeitura de Itajaí - SC (2013): Clique aqui!
  24. Prefeitura de Criciúma - SC (2013): Clique aqui!
  25. Prefeitura de Suzano - SP (2013): Clique aqui!
  26. Prefeitura de Novo Horizonte - SP (2013): Clique aqui!
  27. Prefeitura de Caçapava - SP (2013: Clique aqui!
  28. Prefeitura de São José - SC (2013): Clique aqui!
  29. Prefeitura de Caçapava - SP (2012): Clique aqui!
  30. Florianópolis - SC (2012): Clique aqui!
  31. Prefeitura de São Lourenço do Oeste - SC (2012): Clique aqui!
  32. Concórdia - SC (2012): Clique aqui!
  33. UFPA - Belém - PA (2012): Clique aqui!
  34. Rio de Janeiro - RJ (2012): Clique aqui!
  35. Prefeitura de Lagarto - SE (2012): Clique aqui!
  36. Joinville - SC (2012): Clique aqui!
  37. Detran do Acre - Rio Branco (2012): Clique aqui!
  38. Prefeitura de São Bernardo do Campo - SP - (2012): Clique aqui!
  39. Francisco Beltrão - PR (2012): Clique aqui!
  40. Joinville - SC (2011): Clique aqui!
  41. Prefeitura de São José - SC - (2011): Clique aqui!
  42. Prefeitura de São Bernardo do Campo - SP - (2011): Clique aqui!
  43. Detran do Pará - Belém (2011): Clique aqui!
  44. Prefeitura de Rio Verde - GO (2011): Clique aqui!
  45. Goiânia - GO (2011): Clique aqui!
  46. Rio de Janeiro - RJ (2011): Clique aqui!
  47. São Paulo - SP (2011): Clique aqui!
  48. Salvador - BA (2011): Clique aqui!
  49. Fenasdetran - Fortaleza - CE (2011): Clique aqui!
  50. Quixeramobim - CE (2011): Clique aqui!
  51. Prefeitura de Piracicaba - SP (2011): Clique aqui! 
  52. Cetran - Campo Grande - MS (2011): Clique aqui!
  53. Prefeitura de Águas de Lindóia - SP (2011): Clique aqui!
  54. Eletronorte - Macapá - AP (2011): Clique Aqui!
  55. São José – SC (2010): Clique aqui!
  56. Detran de Rondônia - Porto Velho (2010): Clique aqui!
  57. Cesumar - Maringá - PR (2010): Clique aqui!
  58. CEAT - São Paulo - SP (2010): Clique aqui!
  59. Prefeitura de Joaçaba - SC (2009): Clique aqui!
  60. Detran da Bahia - Salvador (2009): Clique aqui!
  61. Prefeitura de Palhoça - SC (2008): Clique aqui!
Outras
DNIT/FAPEU - Florianópolis - SC (2014). Prefeitura de Rio do Sul - SC (2012), Cetran - Joinville - SC (2010), PRF - Florianópolis - SC (2009), FCPVT - Florianópolis - SC (2009), Prefeitura de Ijuí - RS (2009), Prefeitura de Santa Rosa - RS (2009), Prefeitura de Palhoça- SC (2009), Univali - Itajaí - SC (2008), Unochapecó - Chapecó - SC (2007), Univali São José - SC (2007), Prefeitura de São João Batista - SC (2007), Prefeitura de Curitibanos - SC (2006), Prefeitura de Taió - SC (2006), Prefeitura de São Pedro de Alcântara (2005 e 2008).

Irene Rios
Mestra em Educação; Especialista em Meio Ambiente, Gestão e Segurança de Trânsito e em Metodologia de Ensino; Professora Universitária e Autora de artigos e livros sobre Educação para o Trânsito.
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/0363235000015600


Solicite um Orçamento!

Instituto Ousar


(48) 8496-1702  (48) 3246-8038

3º Workshop Setes para Autoescolas


Palestrantes



Inscrições


(31) 3646-1201

20 de jun de 2015

Tema para a Semana Nacional de Trânsito 2015


"Década Mundial de Ações Para a Segurança no Trânsito - 2011/2020: Seja VOCÊ a mudança no Trânsito."

O Departamento Nacional de Trânsito como órgão máximo executivo de trânsito da União, tem por missão cumprir a legislação de trânsito e a execução das normas e estabelecidas pelo CONTRAN, mas também procura levar para a sociedade brasileira uma nova forma de ver, entender e fazer trânsito. Um dos grandes objetivos deste Departamento é mostrar que trânsito é uma questão de cidadania e que faz parte do dia a dia de todas as pessoas, 
assim, estamos sempre convocando toda a sociedade para refletir sobre a importância de um comportamento mais responsável e mudar de uma vez por todas a atitude no trânsito.
As ações realizadas pelo Ministério das Cidades/DENATRAN vem contribuir com a Década Mundial de Ações para Segurança no Trânsito, visando diminuir o numero alarmante de pessoas que perdem a vida em acidentes de trânsito.

O Governo Federal quer sensibilizar e conscientizar toda a população sobre os altos índices de mortes e feridos em ruas e rodovias brasileiras.


É importante alertar que para mudar esse quadro dependemos da mudança de atitude de todos os atores no trânsito (pedestres, ciclistas, passageiros e condutores). O ator do trânsito deve ser tratado como alguém que tem o poder de decidir o seu destino e que é responsável pelas próprias ações e vai sofrer as consequências de suas escolhas.

Cada um de nós é responsável por mudanças de atitudes no trânsito para que possamos cada vez mais PRESERVAR VIDAS.




Países assinam acordo para reduzir número de vítimas de trânsito

Acidentes de trânsito já são a segunda causa de morte de jovens na região. No Brasil, essa faixa etária responde por 17% do total de óbitos 
Os países do Mercosul assinaram nesta quinta-feira (11/06) acordo para conter e reduzir as mortes por acidentes de trânsito, especialmente entre os jovens. Dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) alertam para o crescimento do número de vítimas no trânsito na região. Entre os jovens, essa já é a segunda causa de morte, ficando atrás apenas de homicídios. No Brasil, a faixa etária de 18 a 24 anos representou 17% do total das vítimas fatais em 2013, que chegou a 42.291 pessoas.
“Estamos vivenciando uma epidemia de mortes no trânsito. Em especial, observamos um cenário preocupante entre os jovens. Com altas taxas de mortalidade nessa faixa etária, estamos comprometendo o futuro e o desenvolvimento de uma geração. Esse é um compromisso deve envolver diferentes setores que lidem com a educação, fiscalização, adequação dos equipamentos e a qualidade no atendimento de saúde”, afirma o ministro da Saúde do Brasil, Arthur Chioro.
A taxa de mortalidade brasileira por acidentes de trânsito é de 22,5 por 100 mil habitantes, o que coloca o Brasil na segunda posição no ranking entre os países do Mercosul, segundo dados do Informe sobre segurança no trânsito na Região das Américas, publicado pela OPAS em 2015. No primeiro lugar está a Venezuela, com taxa de mortalidade de 37,2 e, em seguida, o Uruguai e Paraguai com 21,5 e 21,4 mortes a cada 100 mil habitantes, respectivamente.
Os atuais índices demonstram que o número de vítimas na região por acidentes de trânsito vem crescendo a cada ano. Comparando com os dados de 2009, o Brasil passou de uma taxa de 18,3 óbitos por 100 mil habitantes para os atuais 22,5, saindo da quarta para a segunda posição no ranking. Venezuela também apresentou crescimento expressivo, sua taxa quase dobrou no período, passando de 21,8 mortes por 100 mil habitantes, em 2009, para 37,2 em 2015. 
Nas Américas, a maior proporção das mortes no trânsito ocorre entre os ocupantes de automóveis (42%), seguidos pelos pedestres (23%) e usuários de veículos de duas ou três rodas (15%). Como grupo, os usuários vulneráveis de vias públicas (pedestres, ciclistas e usuários de veículos de duas ou três rodas) representam 41% de todas as mortes no trânsito.
O CUSTO DOS ACIDENTES – Segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), 1,2 milhão de pessoas morrem e cerca de 30 a 50 milhões ficam feridas por ano em decorrência de acidentes de trânsito em todo o mundo. Os custos globais econômicos calculados com acidentes de trânsito são de US$ 1,8 trilhão anuais.
No Brasil, de 2008 a 2013, o número de internações devido a acidentes de transporte terrestre aumentou 72,4%. Considerando apenas os acidentes envolvendo motociclistas, o índice chega a 115%. Em 2013, o SUS registrou 170.805 internações por acidentes de trânsito e R$ 231 milhões foram gastos no atendimento às vítimas. Desse total, 88.682 foram decorrentes de motos, o que gerou um custo ao SUS de R$ 114 milhões.
O governo brasileiro, por meio do Ministério da Saúde, em resposta à Década de Ações para Segurança no Trânsito 2011 – 2020, implantou em 2010 o Projeto Vida no Trânsito que tem a finalidade de subsidiar gestores nacionais e locais no fortalecimento de políticas de vigilância e prevenção de lesões e mortes no trânsito por meio da qualificação, planejamento, monitoramento, acompanhamento e avaliação das ações.
As ações têm como foco as intervenções a partir dos fatores de risco prioritários de ocorrência dos acidentes de trânsito, quais sejam: associação álcool e direção, velocidade excessiva ou inadequada. Também foi priorizado o trabalho com foco no usuário vulnerável – motociclistas. Além disso, em breve, o Governo lançará um Plano Nacional de Enfrentamento das Lesões e Mortes envolvendo Motociclistas.
ROAD SAFETY – Em 2011, os Estados Membros da OPAS aprovaram o Plano de Ação sobre Segurança no Trânsito, que ajudará os países da Região a alcançarem as metas da Década de Ação da Segurança no Trânsito 2011–2020. Com a adoção das propostas, espera-se que cinco milhões de vidas serão salvas até 2020.
Em novembro de 2015, o Brasil sedia “2ª Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito – Tempo de Resultados”, que tem como objetivo revisar o progresso feito pelos países na implementação do plano e avaliar o andamento das iniciativas para redução das mortes e lesões ocorridas no trânsito em todo o mundo. 
A conferência de abordará o tema da segurança no trânsito de forma multissetorial, sob os aspectos da saúde, transportes, educação, mobilidade, infraestrutura, segurança e legislação. Além disso, promoverá o desenvolvimento de indicadores e metas nacionais e globais, e examinará a criação de mecanismos inovadores de financiamento

Por Patrícia de Paula, da Agência Saúde
Fonte: 

Você sabia que existe uma temperatura ideal para dirigir?


Mariana Czerwonka
Portal do Trânsito

Apesar de poucos terem conhecimento, a temperatura no interior do carro é muito importante e influencia no ato de dirigir. Um condutor que está passando calor pode desencadear sintomas de fadiga, o que pode contribuir para momentos de distração e “desligamentos” do condutor.

Essa condição é muito perigosa e pode causar acidentes. Por outro lado, dirigir com muito frio também não é uma experiência agradável e pode causar desconforto para o condutor. Especialistas no assunto recomendam que a temperatura no interior do veículo fique entre 22° e 24°. Se a temperatura exceder 27° o risco de acidentes aumenta em 11%, se a temperatura atingir 32°, o risco pode aumentar em 22%.

O maior aliado para manter a temperatura ideal no carro é o ar-condicionado, que antes era um item de luxo e atualmente é um elemento fundamental nos veículos.

Como obter a temperatura correta

Para conseguir chegar nessa temperatura, o Portal do Trânsito dá algumas dicas. A primeira delas é que num dia de muito sol, ao entrar no carro, os primeiros quilômetros devem ser feitos com as janelas totalmente abertas, para ventilar o interior do veículo. Depois disso, deve-se ligar o ar-condicionado para se chegar à temperatura ambiente ideal.

O ar-condicionado deve ser cuidado como um equipamento de segurança. Precisa de uma manutenção regular adequada para estar sempre em bom estado e não prejudicar a saúde do usuário.

Outra dica é tentar manter uma temperatura não muito diferente da que está lá fora, pois grandes variações são prejudiciais à saúde. Lembre-se de desligar o ar quando o carro estiver com uma temperatura adequada, mas em viagens longas, é preciso ativá-lo por curtos períodos de tempo para manter a temperatura ideal.

Fonte:

12 de jun de 2015

Curso de Métodos e Técnicas Educativas para a Mobilidade Segura, em Belém/PA


Curso realizado no Detran do Pará, nos dias 25, 26 e 27 de maio de 2015, com Irene Rios e Rodrigo Calistro.








Pontos positivos do curso, segundo os participantes

Simpatia dos educadores, a segurança de socializar os conteúdos, as atividades pedagógicas, entre outros. (Elizabeth Carvalho de Oliveira)

Lúdico, interpretação de textos, contação de histórias, narrações, teatro de bonecos, metodologia para elaboração de projetos, matemática, física e geografia na educação para o trânsito. (Elma Leal – Assessora)

Planejar para o projeto. A sua didática, apresentação diante do público. Fazer reflexão se o conteúdo está sendo aprendido. Saber como iniciar um assunto e não se tão repetitivo. Ter conhecimento do assunto para estar preparado em situações argumentativas. (Esmerinda Angélica Diniz Carvalho)

Explicação da professora Irene Rios, excelente. Contador de histórias, Rodrigo, excelente. Os conteúdos ministrados e suas metodologias foram ótimas. (Fátima)

Todo curso foi ótimo e de qualidade, desde a criação de história até o planejamento de ações para a educação. (Jakson Silva Andrade)

Métodos e técnicas para trabalhar a temática trânsito. Contação de histórias. Manipulação e confecção de bonecos. (Laura Norat)

As formas de trabalhar com imagens, sem texto, através da contação de histórias. O uso do livro didático (experiências de grupo). Flexibilidade de ambos: Irene e Rodrigo, no sentido de ouvirem os participantes. A troca e interação dos grupos nas atividades. A forma como a professora Irene Rios trabalhou e abordou a transversalidade. (Maria Inêz)

Slides utilizados com bastante informações. (Maricléia Farias Vieira)

As metodologias de como aplicar os questionários para identificar os problemas foram muito boas. (Max Leal)

A proximidade de diálogo com os professores. Discussão dos aspectos da realidade. (Rose)

Conteúdo programático, facilidade de transmissão, fazer compreender, interação com o grupo. 

Conteúdo apropriado, oportunidade de conhecimento e comunicação. 

O domínio do professor Rodrigo na confecção de bonecos e seus movimentos. Como trabalhar projetos, com Irene Rios, os métodos para trabalhar o trânsito. 

Conteúdo do curso. Vídeos. 

Vídeos novos. 

Associação dos conteúdos com a prática. 

Didática, dramaturgia, métodos científicos.

Depoimentos dos Participantes

Excelência de qualidade, alto valor de capacitação, de grande relevância para o acréscimo dos conhecimentos, recebidos de mestres, com eficiência, segurança e credibilidade, que transformam o ensinamento em técnicas de ensinar e fazer aprender com clareza. Maravilhoso! (Elma Leal – Assessora)

Foi bastante proveitoso os três dias, possibilitou a renovação de nosso aprendizado e percebemos que estamos no caminho certo. Valeu revê-la e ter renovado meu aprendizado, bem como ter conhecido o educador Rodrigo Calistro, um grande contador de história. Beijos e abraços de sua fã. (Elizabeth Carvalho de Oliveira)

Gostei do curso e da oportunidade de participar. Gostei da ênfase e da demonstração da importância de se ter um bom método para alcançar os objetivos. (Esmerinda Angélica Diniz Carvalho)

Aprendi muito com este curso, com a professora Irene e o contador de histórias, Rodrigo, pois precisamos salvar vidas urgente. Levarei os conhecimentos assimilados para o nosso projeto “Trânsito Livre para a Leitura”, tentarei aplicá-los e melhorar as ações da biblioteca. (Fátima)

Parabéns aos palestrantes. Curso de qualidade, com várias informações, resultados para o crescimento de nosso conhecimento. (Jakson Silva Andrade)

Sou fã de Irene e Calistro, são ótimos, comprometidos com as lutas e sonhos de um mundo melhor. Trabalham com amor e dedicação, nos levando a reflexão. Aprendi muito, muito...muito nesses poucos dias. Pena que foi curto e devido as muitas atividades paralelas, tive que, em alguns momentos, me ausentar. (Maria Inêz)

Todo conhecimento é bem-vindo, acredito que as informações adquiridas irão servir ricamente nas nossas atuações profissionais. (Maricléia Farias Vieira)

Vou poder usar os aplicativos de maneira mais pontual e técnica. (Max Leal)

Veio preencher uma necessidade, face minha formação neste momento. Enriqueceu bastante, pelo conteúdo, troca de experiências, oportunidade de pesquisa e material didático. Compartilhar informações enriquece. Seria muito bom elaborar um relatório e buscar a possibilidade de colocar em prática junto aos gestores locais. (Rose)