Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

28 de jun de 2014

Vai pegar a estrada? Saiba conviver com caminhões e ônibus

Eles custam a ganhar velocidade e não podem desviar repentinamente. Quem está de carro deve evitar o ponto cego desses veículos.

Denis MarumEspecial para o G1
Segundo a polícia, diminuiram os roubos e furtos de carga (Foto: Reprodução/ RPC TV)


Ultrapassar caminhões exige cuidado
(Foto: Reprodução/ RPC TV)
Se você nunca dirigiu um caminhão, precisa saber que esta não é uma tarefa simples. Muitos veículos grandes parecem dificultar a vida de quem está ao lado ou atrás, mas eles custam a ganhar velocidade e não podem sair do trajeto repentinamente. Dependendo da carga e do tipo de caminhão, são necessários vários cursos e alguns anos de experiência para conduzi-lo bem. O mesmo vale para os ônibus.
Os caminhões não são maioria nas ruas e estradas. Eles somam 2,5 milhões, ou 3% da frota total, que passa dos 83 milhões de veículos, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Mesmo assim, estão em boa parte dos acidentes. Em 2013, houve 6.888 acidentes com vítimas fatais. Desses, 41,29% envolveram caminhões, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).
Conviver com os "grandões" nas estradas exige, portanto, cuidados redobrados. Confira dicas essenciais:

Mantenha distância segura

Quanto mais pesado, maior é a distância exigida para que o caminhão ou o ônibus consiga parar com tranquilidade. Na física, isso é explicado pela quantidade de movimento, uma grandeza que diz que a dificuldade de parar um corpo em movimento é diretamente proporcional à velocidade e à massa. Se já é difícil parar um veículo pesado, imagine em alta velocidade. Caso ele tenha freios ABS, a distância de frenagem será menor. Na dúvida, é melhor manter uma distância segura.

É importante ainda ficar longe daqueles caminhões que parecem não ter a carga bem presa ou com tamanho inadequado para a carroceria.
caminhão movimento estrada rodovia MG-050 Ano Novo Réveillon Divinópolis MG (Foto: Reprodução/TV Integração)
Caminhão com carga alta na rodovia MG-050
(Foto: Reprodução/TV Integração)
Em altas velocidades, é preciso ter os pneus, freios e suspensão em dia. Muitos motoristas só descobrem isso quando não conseguem controlar o caminhão em uma frenagem repentina. É mais um motivo para você manter boa distância. Até porque, devido ao tamanho da carroceria, é difícil enxergar quem está à volta.
Outra característica dos “grandões” é a dificuldade em alterar o trajeto. Mudanças bruscas de direção, na maioria das vezes, acabam em capotamento, principalmente, se as cargas forem pesadas, altas ou vivas. Por isso, é melhor não ficar ao lado deles em curvas ou serras.

Como fazer um ultrapassagem segura?

A colisão frontal é o tipo de acidente mais comum nas estradas, com 1.835 casos registrados no ano passado, segundo a PRF, o que comprova o risco que as ultrapassagens representam.

Em viagens, a tendência é sair logo de trás do caminhão e tentar a ultrapassagem. Como tomar a decisão de forma segura? Primeiro, é preciso identificar se no local é permitido fazer ultrapassagens. Passar por um veículo longo já é algo que requer cuidado e, se não houver respeito à sinalização, a probabilidade de ocorrer um acidente é muito grande.
Acidente entre caminhão e caminhonete (Foto: Maria Caroline Palieraqui/G1 MS)Colisão frontal entre caminhão e caminhonete no Mato Grosso do Sul (Foto: Maria Caroline Palieraqui/G1 MS)Só saia de trás do caminhão quando tiver certeza de que a distância em relação ao carro que vem em sentido oposto é segura. A melhor hora para fazer o movimento é na pista plana com a maior visibilidade possível.Existem estradas que parecem verdadeiros videogames. São tantos obstáculos, buracos, curvas, falta de acostamentos e sinalizações que tornam os caminhoneiros verdadeiros heróis. Portanto, se você estiver dividindo uma estrada assim com eles, tenha calma e aguarde o momento certo para ultrapassá-los.Os caminhoneiros mais experientes têm o controle da situação. Em estradas mais sinuosas, eles costumam dar seta para direita indicando o momento da ultrapassagem. Fique atento aos sinais e, em caso de dúvida, nunca ultrapasse, principalmente se o seu carro tem motor com menos de 90 cavalos.Evite ficar no ponto cego dos grandõesA visibilidade traseira de um caminhão é restrita. Quem vem atrás deve sinalizar para ser visto e demonstrar suas intenções. Parta sempre do princípio que o motorista do caminhão ou do ônibus não te viu.
Estrada não é lugar de duelo
Assim como é difícil de parar, também é trabalhoso ganhar velocidade em um caminhão. Não raro em subidas, ele pode aproveitar a velocidade e fechar um automóvel que vem pela faixa da esquerda para poder ultrapassar outro caminhão. Sem entrar no mérito de quem tem razão, é melhor você ter paciência e esperar que ele retorne para faixa da direita. Prever esse tipo de situação evita aborrecimentos e acidentes. Não adianta querer disputar espaço com um veículo muito maior e mais pesado.
Na estrada, todo cuidado é pouco, pois é difícil conseguir fazer manobras seguras com o carro andando a 100 ou 120 km por hora. Muitas vezes, vale a pena perder dois ou três minutos para entrar em uma estrada ou fazer uma ultrapassagem. Perto do período total da viagem, isso representa muito pouco.Cuidado ao entrar na estrada.
Na hora de entrar numa pista, muita gente pensa que é bom esperar aparecer um caminhão e entrar na frente dele. Mas essa não é uma opção segura. Há caminhões que andam em velocidades altas e pode ser perigoso entrar no caminho deles.

Atenção extra com as supercarretas
Geralmente veículos com carroceiras estendidas têm uma placa na traseira indicando "veículo longo". Nesses casos, a atenção deve ser redobrada, afinal, a distância e o tempo de ultrapassagem serão maiores.

Você não sabe quem está dirigindo
Segundo a PRF, a maioria dos acidentes com caminhões tem motoristas entre 25 e 30 anos. O estresse atinge muitos profissionais, mas sabemos que as jornadas dos caminhoneiros, em especial, são muito longas, mesmo com leis que tentam reduzi-las. Há ainda casos de quem dirige alcoolizado e, para cumprir prazos, faz uso de anfetaminas, cocaína e crack. Portanto, fique sempre alerta.

Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário