Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

16 de jul de 2013

Comportamento dos Passageiros

Alguns fatores podem ser decisivos na hora de transitar com segurança nos mais diversos meios de transporte, como a manutenção constante e a capacitação adequada do condutor. Existe, porém, outro ponto decisivo na segurança das viagens: os próprios passageiros. Confira abaixo como deve ser seu comportamento nos principais meios de transporte: 

1. Automóveis

Créditos: Divulgação



Mesmo no banco de trás, o cinto é fundamental; e o comportamento dos passageiros, especialmente crianças, é decisivo para a segurança.

Os passageiros devem evitar situações que possam dispersar a atenção do condutor. Dentre as mais comuns estão a desordem causada pelos que passam mal durante viagens, passageiros machucados e crianças muito agitadas. Antes de sair, é preciso que o motorista fique atento se algum dos companheiros de viagem apresenta um quadro psicológico alterado (irritação, nervosismo, insegurança, efeitos de drogas ou álcool, etc). Todos devem verificar suas condições antes de sair de casa e comunicar ao motorista caso possa apresentar algum problema durante a viagem. Vale lembrar também que o uso do cinto de segurança pelos que sentam no banco de trás é obrigatório e indispensável (art. 65 do CTB) para a segurança de todos que estão no veículo. É aconselhável também não colocar parte do corpo para fora do veículo, seja por meio das janelas ou do teto solar (para os motoristas , de acordo com o artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro, essas atitudes geram  infração de natureza leve com multa). Além disso, arremessar coisas para fora do veículo é uma infração média. O infrator deverá pagar multa e terá pontos na carteira.

Na hora de desembarcar, o condutor e os passageiros devem se certificar de que isto não é um perigo para eles e outros usuários da via antes de abrir a porta. E atenção: o embarque e o desembarque devem ocorrer sempre do lado da calçada, exceto para o condutor.


2. Motocicletas

Créditos: Divulgação

O próprio passageiro deve ficar atento ao trânsito para acompanhar os movimentos do condutor.

Crédito: Agência Brasil/Valter Campanato

Flagra mostra como não se deve viajar de moto: elas são feitas para apenas um passageiro, além do condutor, e o uso do capacete é fundamental.

Para que o passageiro contribua para a segurança no momento da viagem de motocicletas, ciclomotores e motonetas, deve primeiramente utilizar o capacete e roupas apropriadas que devem ser como as do condutor: calças, jaquetas ou camisas de manga longa e sapatos fechados, como botas ou tênis. Ele deverá subir na moto após o condutor, apoiar os pés com firmeza nas pedaleiras e sentar-se próximo ao piloto segurando em sua cintura ou quadril. É importante que quem estiver na garupa mantenha as pernas e a roupa longe do motor e de outras partes que possam se constituir em um perigo. Acompanhar os movimentos e a inclinação do corpo do piloto nas curvas e confiar nos conhecimentos do motociclista, bem como evitar tirar a atenção do mesmo, são atitudes fundamentais para auxiliar na concentração do condutor para as manobras necessárias.

Fontes: Cruzeiro do SulDetran-MT 

3. Transporte coletivo terrestre

Créditos: Divulgação


Mesmo em trens ou metrôs, o passageiro pode colaborar para a segurança da viagem.

Seja em ônibus, metrôs e trens, o passageiro também colabora com a segurança na hora de ser transportado. Primeiramente, é importante aguardar no local correto do embarque, respeitando as faixas de segurança, caso haja. Ao entrar, deve segurar com firmeza nas barras existentes para segurança. Caso deseje sentar, é importante ficar atento aos assentos preferenciais, destinados aos portadores de necessidades especiais, idosos, gestantes e pessoas com crianças de colo. O passageiro deve evitar jogar lixo dentro dos vagões ou ônibus, colaborando para a manutenção da limpeza do ambiente e evitando acidentes como escorregões e tropeços. Um costume que causa bastante confusão nos transportes coletivos brasileiros é escutar músicas sem fone de ouvidos. Além de causar incômodos aos passageiros, essa atitude pode dispersar a atenção do condutor. Em alguns estados brasileiros, essa atitude gera multa. Outro comportamento que pode distrair o motorista é atirar água e objetos pela janela ou projetar o corpo para fora do veículo, atitude muito comum em crianças. Para que isso não ocorra, devem-se manter os vidros fechados ou com apenas uma fresta para ventilação. O passageiro também deve falar com o motorista somente o indispensável, como possíveis dúvidas sobre onde descer por exemplo.

Se houver cinto de segurança, é importante que o passageiro utilize, ainda que seja durante viagens curtas. Se precisar andar no corredor com o ônibus em movimento, ele deverá andar devagar, segurando-se nos encostos dos assentos.

Na hora de desembarcar, é preferível que o passageiro levante da poltrona após a parada do veículo e espere o ônibus partir para atravessar a rua.

Fontes: Programa Volvo de Segurança no TrânsitoGlobo.com

4. Aviões

Créditos: Divulgação


Seguir orientações da tripulação, como não deixar celulares ligados, é fundamental em aviões.

No transporte aéreo, o passageiro deve estar atento às instruções da tripulação, como deixar os celulares desligados durante todo o voo (e – nos momentos pouco antes e logo depois de pousos e decolagens – qualquer dispositivo eletrônico). Além disso, os aviões que realizam voos comerciais geralmente disponibilizam folders com orientações dos passageiros em cada banco da aeronave.

Além das normas de segurança, é importante que o passageiro não exagere no consumo de bebidas alcoólicas antes ou durante o voo, uma vez que seus efeitos são maiores em grandes altitudes. Caso viaje com crianças, o ideal é procurar um voo noturno em que elas possam dormir boa parte do tempo e levar elementos de distração como lápis de cor, gibis e videogames, afinal, avião não é o local ideal para correr ou fazer barulho.

O Aviation Safety Reporting System, órgão de pesquisa vinculado à Nasa, realizou um estudo em 1998 a respeito do comportamento dos passageiros em aeronaves, divulgado pelo Portal Segurança de Voo. Em 43% dos casos relacionados a passageiros, as tripulações de voo sofreram algum nível de distração quanto às suas tarefas; em mais da metade das distrações relacionadas aos incidentes, a consequência foi um desvio cometido pelo piloto;  em 22% do total de incidentes estudados, um membro da tripulação de voo deixou a cabine em auxílio aos comissários de bordo para lidar com um passageiro indisciplinado; em 13% do total de incidentes, as tripulações desviaram o voo para um aeroporto alternativo para desembarcar o passageiro indisciplinado.

Fontes: Segurança de vooViagens IG

5. Transportes marítimos

Créditos: Divulgação/MSC


Aquele que não obedecer às normas de segurança pode ser expulso do navio.

Existem diversos tipos de transportes que operam por via marítima. O passageiro deverá ficar atento às indicações oferecidas pela equipe de bordo. Em um dos tipos mais comuns de transporte marítimo, o cruzeiro, é importante que o hóspede tome as vacinas necessárias e não apresente condutas que comprometam a segurança, a tranquilidade e o prazer dos demais. Inclusive, caso o passageiro não respeite às regras de segurança, ele poderá ser desembarcado compulsoriamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário