Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

30 de mai de 2012

Semana Nacional de Trânsito 2012

publicado em 28 de maio de 2012

SEMANA NACIONAL DE TRÂNSITO 2012

TEMA: “Década Mundial de Ações para a Segurança do Trânsito – 2011/2020: Não exceda a velocidade, preserve a vida”.

Dando continuidade às ações da Década Mundial de Ação pela Segurança no Trânsito, proclamada pela Organização das Nações Unidas em 2010, o Conselho Nacional de Trânsito definiu o tema da Semana Nacional de Trânsito de 2012.

Atualmente cerca de 2 milhões de pessoas morrem por ano, vítimas da violência no trânsito, e o número de feridos é ainda mais alarmante. Levando em conta que dois dos principais fatores que influenciam no crescimento da taxa de mortalidade no trânsito são a relação “comportamento e segurança dos usuários” e o excesso de velocidade, e os relatórios internacionais sobre acidentes de trânsito, o Contran definiu o tema da Semana Nacional de Trânsito 2012 como: “Década Mundial de Ações para a Segurança do Trânsito – 2011/2020: Não exceda a Velocidade, Preserve a Vida”.

A velocidade é tema inédito na semana nacional, e o principal foco é a conscientização de jovens entre 18 e 25 anos, considerados o grupo mais vulnerável e de maior exposição ao risco de acidentes de trânsito. Para traçar e realizar as ações o Contran definiu como prioridade a necessidade de unir esforços intersetoriais, visando a redução dos acidentes de trânsito.

 
JULIO FERRAZ ARCOVERDE
Presidente do Contran e Diretor do Denatran

Encosto de cabeça e efeito chicote

Hoje o post vai dar dicas sobre uma questão não tão conhecida:o efeito chicote. Trata-se do movimento causado pela hiperextensão e hiperflexão da coluna cervical em um acidente de trânsito, devido à inércia do movimento. Ao contrário do que muita gente pensa, não se precisa estar a velocidades extremas para que se sofra algum problema na cervical. Estudos mostram que a velocidades de 20 km/h já é possível ocorrer o problema, nas velocidades maiores a questão só se agrava.

Uma das maneiras de tentar minimizar o problema é sempre usar o cinto de três pontos, evitando ocupar o assento central do banco traseiro, pois este normalmente possui cinto subabdominal e não possui enconto de cabeça.

É aqui que ficam as dicas, no encosto de cabeça. Poucas pessoas regulam a altura do encosto de cabeça ao entrar num veículo e este equipamento também é um importante item de segurança veicular. Na figura seguinte,  pode-se ver dois posicionamentos errados do encosto de cabeça, o número 2 está com o encosto muito distante e o número 4 está com o encosto muito baixo.



Esta posições deveriam ser corrigidas para as da figura a seguir.


O esquema abaixo resume com devem ser feitas esta regulagens. As distâncias da cabeçaatéo encosto e do topo do encosto até o alto da cabeça devem fica nos limites do trecho amarelo (Aceitável), sendo ideal que fiquem na faixa verde (Boa).



Sabendo disso, espero que se comece a regular o encosto de cabeça ao entrar no veículo, mesmo que seja ao pegar um táxi ou uma carona. Lesões de cervical podem ter sérias consequencias e podem ter seus efeitos minimizados.

Fonte: 

24 de mai de 2012

Curso de Fiscalização e Educação para o Trânsito realizado em Lagarto - SE


Curso ministrado por Ricardo Alves da Silva e Irene Rios, em 17 a 19 de maio de 2012.












Pontos fortes do curso, segundo os participantes
·         Material didático de 1º qualidade e de conteúdo simples e objetivo.
·         Metodologia utilizada pelos palestrantes, proporcionando conhecimentos novos aos participantes.
·         Muito bom os vídeos utilizados.
·         Metodologia a ser estudada com ampla facilidade.
·         Na educação e legislação.
·         Abordou diretamente o trabalho do agente de trânsito, como ele deve trabalhar, o que se pode fazer e o que não pode.
·         Mostrou que podemos aprimorar mais nossas abordagens, proporcionando maior bem estar para nós e para os usuários.
·         Todos, principalmente a parte da legislação.
·         A distância de relacionar o conteúdo com a realidade da região. A participação nos trabalhos em grupo sobre determinados temas abordados na palestra.
·         Extremo domínio do conteúdo. Foco nas infrações que avistamos na realidade.  Todas as dúvidas foram tiradas. Instrutores muito atenciosos. Instrutores de outra região do Brasil, com realidades diferentes.
·         Assuntos atuais, pertinentes e lógicas indiscutíveis. Além da facilidade de passar as mensagens, houve a contrapartida da socialização para a necessidade da pesquisa para ações mais respaldadas na legislação vigente.
·         A linguagem e a apresentação dos casos práticos para um melhor entendimento.
·         A metodologia de ensino.
·         Discutir os equívocos e as leis de trânsito, Trabalhar com mais humanidade.
·         Metodologia, linguagem dinâmica, exercícios rotineiros.
·         Todos os assuntos abordados foram de grande importância e satisfatórios.

23 de mai de 2012

2º Fórum Sul-brasileiro de Segurança e Educação para o Trânsito

Tema: Educando para o Trânsito e para a Vida 

A FABET promoverá nos dias 19 e 20 de junho, o 2º Fórum Sul-brasileiro de Segurança e Educação para o Trânsito.  O objetivo do evento é reunir transportadores, especialistas e pessoas ligadas ao setor do transporte e ao tema para discutir programas, projetos e ideias que possam melhorar o trânsito. A realização do Fórum é alusiva às comemorações dos 15 anos da Fabet.

Público Alvo: Educadores, transportadores e colaboradores de empresas de transporte, gestores de RH e  acadêmicos.

Número de participantes: 250 pessoas.

Data: 19 e 20 de junho 

Local: Fabet - Concórdia - SC

Carga horária: 20 horas

Programação

19 de Junho - Terça-feira

13h30 - Recepção e credenciamento

14h - Palestra: Educando para o Trânsito e para a Vida  - Ricardo Alves (Major da Polícia Militar de SC e Subcomandante do 20º Batalhão da PM de Concórdia)

15h30 - Intervalo  

16h - Palestra: Relações Humanas no Trânsito - Reflexões sobre Ética e Estética - Irene Rios (Escritora, professora, consultora de educação para o trânsito e Diretora da EDUTRANEC).

17h30 - Intervalo

19h30 - Abertura Oficial do 2º Forum Sul-brasileiro de Segurança e Educação para o Trânsito

20h - Palestra:  A fadiga como Fator de Risco para a Segurança, Saúde e Qualidade de Vida dos Condutores - Profª. Ms. Fernanda Veruska Narciso (Centro de Estudos Multidisciplinar em Sonolência e Acidentes - CEMSA/SP)

20 de Junho - Quarta-feira

8h - Capacitação de Professores Multiplicadores em Educação para o Trânsito - Rosângela L. Bittencourt (Chefe da Coordenadoria de Campanhas Educativas do DETRAN/SC)

9h45 - Intervalo
 
10h - Continuidade da Capacitação

11h30 - Intervalo para Almoço

13h30 - Palestra: Educação no Trânsito: um Traçado entre as Exigências e Determinações do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) - Rita de Cássia Ferreira Cunhado - Assessora Técnica do DENATRAN

15h - Intervalo

15h30 - Palestra: Parada - Pacto Nacional pela Redução de Acidentes - Assessoria de Comunicação do Ministério das Cidades.

17h30min - Intervalo

19h30 - Assinatura do convênio de parceria entre FABET e  NOMA do Brasil S.A.

20h - Palestra: Os efeitos da Lei de Regulamentação da Profissão de Motorista -  NTC&Logística

De 18 a 21 de Junho Exposição e visitação dos implementos NOMA do Brasil S.A. na FABET

Informações e Inscrições:
http://www.fattep.com.br/cursos.php?page=detalhes&idArea=9&idCurso=82

Curso de Infração de Trânsito e o Processo Administrativo

Curso de Infração de Trânsito e o Processo Administrativo

Local do Curso: 

Monte Pascoal Praia Hotel 

Endereço: 

AV.Oceânia, 591-Farol da Barra – Salvador -Bahia - (71) 2103-4041 - E-MAIL: reservas@montepascoal.com.br    

Data: 

15 a16 de junho 2012      

Carga Horária:

20 horas ( 2 Dias ) 

Horário das aulas:
Dia - 15/06/2012 Horário: 08:30h. ás 12:00h. e das 13:30h. ás 18:00h.
Dia - 16/06/2012 Horário: 08:30h. ás 12:00h. e das 13:30h. ás 18:00h. 

A inscrição dá direito:
  • Kit com pasta, bloco e caneta
  • Coffe Breack
  • Certificado de conclusão no curso
  • Material do curso 

Facilitador
Ricardo Alves da Silva
Pós Graduado em Gestão e Segurança no Trânsito e Segurança Publica; Major da Polícia Militar de Santa Catarina; Membro do Grupo Técnico para Estudos de Assuntos de Trânsito da Policia Militar de Santa Catarina; Membro da JARI Estadual de Concórdia – SC; Professor da Cadeira de Municipalização do Trânsito e Legislação de Trânsito, no Curso Superior de Administração no Trânsito, na UNOESC - Campus Videira - SC; Professor da cadeira de Legislação de Trânsito e Fiscalização de Trânsito na Pós Graduação em Educação e Direito de Trânsito na COMUNIQUE CENTER, Joinville –SC; Professor da Cadeira de Fiscalização de Trânsito na Pós Graduação em Gestão e Direito de Trânsito CEAT e Autor do livro 'Tudo que você precisa saber sobre as infrações de trânsito'

Objevo do Curso
• Este Curso tem por objetivo Capacitar e atualizar o profissional que atua na área de trânsito, fornecendo a ele conhecimentos multidisciplinares que possibilitem a confecção de recursos de infrações de trânsito. 

Conteúdo Programático

1. Noções de legislação de trânsito

a. Código de Trânsito Brasileiro – Lei nº 9.503/97 e suas alterações – divisão formal, abrangência e princípios de aplicação
b. Resoluções do CONTRAN e a regulamentação complementar do CTB
c. Infrações de trânsito – conceito e generalidades (classificação, valores das multas, pontuação, penalidades e medidas administrativas cabíveis)
d. Fiscalização de trânsito – o papel do agente de trânsito e a elaboração do auto de infração
e. Fiscalização eletrônica – equipamentos metrológicos e não metrológicos (utilização dos radares, bafômetros, equipamentos fotográficos e outro

2. Processo administrativo da penalidade de multa
a. Auto de infração
b. Notificação da autuação e da penalidade
c. Defesa da autuação e indicação do condutor infrator
d. Recursos em primeira e segunda instância
e. Órgãos julgadores
f. Prazos recursais, tempestividade e legitimidade
g. Formalidades dos recursos 

3. Processo administrativo da penalidade de suspensão do direito de dirigir
a. Diferença entre suspensão do direito de dirigir e cassação do documento de habilitação
b. Diferença entre suspensão do direito de dirigir administrativa e criminal
c. Prazos de suspensão do direito de dirigir
d. Competência para aplicação da penalidade
e. Defesa prévia
f. Recursos em primeira e segunda instância
g. Órgãos julgadores
h. Prazos recursais, tempestividade e legitimidade
i. Formalidades dos recursos
j. Prescrição da pretensão punitiva e executóri 

Público Alvo
Este curso destina-se a profissionais que militam na área de fiscalização, órgãos julgadores de infrações de Trânsito (JARI, CETRAN), estudiosos na área de trânsito, bem como os profissionais da área do Direito que efetuam recurso de infrações e de trânsito e Suspensão do Direito de Dirigir.

Informações e Inscrições: 


Câmara aprova instituição da Década de Ações para Segurança no Trânsito

Gonzaga Patriota

Arquivo/ Gustavo Lima
Gonzaga Patriota retirou determinação para que o Executivo apresente um plano nacional para ações de segurança de trânsito.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou, nesta terça-feira, em caráter conclusivo, o Projeto de Lei 6319/09, do deputado Hugo Leal (PSC-RJ), que institui o período de 2011 a 2020 como a Década de Ações para a Segurança no Trânsito. A proposta tem o objetivo de atender a uma recomendação da Organização das Nações Unidas (ONU).

A proposta - já aprovada pelas comissões de Viação e Transportes; e de Educação e Cultura - seguirá para o Senado, exceto se houver recurso para que seja analisada pelo Plenário da Câmara.

A ideia da proposta é que, nesse período, os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário publiquem anualmente um balanço com um registro de todas as iniciativas e ações desenvolvidas para promover a melhora na segurança do trânsito. Além disso, o Poder Público deverá promover atividades educativas, informativas, de promoção, conscientização e de estímulo à participação da sociedade na redução da violência do trânsito.

Separação dos Poderes

O relator, deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), destacou que, quanto à constitucionalidade, a proposta está de acordo com as normas e princípios constitucionais. Mas o relator apresentou emenda, que também foi aprovada, para retirar dispositivo que obrigava o Poder Executivo, dentro de um ano da aprovação da medida, a encaminhar ao Congresso Nacional o Plano Nacional para Ações de Segurança no Trânsito. “Vemos com reserva o estabelecimento de prazo para o Executivo exercer prerrogativa que lhe é própria, o que violaria até mesmo o princípio da separação de Poderes”, disse.

O relator lembra que o trânsito mata mais de 35 mil pessoas por ano no País, o que representa uma média de 95 mortes por dia. E segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Brasil gasta cerca de R$ 30 bilhões em despesas hospitalares, indenizações e outros custos envolvidos em acidentes de trânsito.

Íntegra da proposta:
Reportagem – Jaciene Alves
Edição – Newton Araújo

Fonte: http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/TRANSPORTE-E-TRANSITO/417993-CAMARA-APROVA-INSTITUICAO-DA-DECADA-DE-ACOES-PARA-SEGURANCA-NO-TRANSITO.html - Acesso em 23/05/2012

Formação ruim é causa de acidentes de motos, apontam especialistas

Em busca de alternativa ao transporte público precário e os grandes congestionamentos, muitos brasileiros encontram as motos como opção barata e eficaz. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), as vendas de motos aumentaram 11% no ano passado, enquanto a comercialização de caminhões e carros cresceu 7%. A alta de acidentes também acompanha a chegada de mais motocicletas às ruas, a frota brasileira já é de 15,7 milhões, como informou o Jornal Nacional nesta semana.

“As motos vêm se destacando no quadro de acidentes. A maioria são homens e jovens com menos de 35 anos, que usam a moto como meio de transporte. A motocicleta é um veículo que está propenso a um acidente mais grave”, disse Julia Greve, coordenadora do HC em Movimento – Programa de prevenção de acidentes do Hospital das Clínicas, durante o 3º Workshop Abraciclo, promovido pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas e Bicicletas nesta sexta-feira (18).

O tema desta edição foi a “Década Mundial de Segurança no Trânsito” e contou com a presença de políticos, membros de ONGs e órgãos públicos. A Abraciclo informa que cerca de metade das 2 milhões de motos vendidas em 2011 foram compradas por pessoas que não queriam mais utilizar o transporte público ou carros. “É recomendado que o motociclista utilize equipamentos, como capacetes, luvas e jaquetas, mas o mais importante é a educação, o modo como o indivíduo vai aprender a utilizar a moto”, disse Marcelo Rosa Rezende, membro da sociedade brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET), em 2011, as mortes de motociclistas aumentaram 7,1% na cidade. No mesmo período, o número de pedestres mortos caiu 2,1% e o de motoristas/passageiros baixou 6,5%.

Raio-x dos acidentes

Mesmo com os números preocupantes de acidentes com motociclistas, ainda não há informações concretas sobre quem são os causadores dos acidentes. “Eu acho que não existe acidentes de motos, existem acidentes de trânsito em que as motos estão envolvidas. E as motos se envolvem mais, porque vemos mais vítimas. Quando dois carros batem, apenas amassa o para-choque, já na moto, o para-choque do motociclista é ele mesmo”, explicou Júlia Greve.

“Não é o tamanho da frota que é a causa. Na Europa, o número de motos é maior e não possuem tantos acidentes como aqui. Queremos estudar quais são as reais causas dos acidentes”, disse Julia Greve. O estudo está em andamento por meio de uma parceria entre a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), a Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo e a Abraciclo. A expectativa é que a pesquisa seja concluído em cinco meses.

Melhorar o sistema de habilitação do motociclista e aumento da fiscalização
 
Entre as autoridades presentes no Workshop foi unânime a opinião de que a fiscalização no trânsito necessita ser mais rígida e o processo para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para motos está em má situação. “Tudo depende da formação. Há uma má formação deste futuro condutor. Os acidentes destes veículos estão relacionados ao comportamento deste condutor “, disse Magnelson Carlos de Souza, presidente da Federação Nacional das Auto Escolas.

Entre as deficiências da atual formação de motociclista está a falta de padronização das aulas e o pouco preparo dos instrutores. “Ainda há muito há avançar, a qualidade dos instrutores para a formação de motociclistas está ruim em nível nacional. Hoje os motociclistas são preparados para passar no exame e não andar nas ruas”, acrescentou Souza.

Para completar os pontos que necessitam de avanço, os especialistas indicam que deve haver um respeito mútuo entre os veículos.“O maior tem de zelar pela segurança do menor, mas infelizmente não é respeitado. No Brasil, o maior é que tem o espaço. Cada um tem de se colocar no lugar do outro, assim o trânsito ficará melhor”, afirmou Luis Carlos Teixeira Reis, instrutor do Serviço Social de Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SEST/SENAT).

FONTE: Auto Esporte

Disponível em: 

6 de mai de 2012

Nem todos estão aptos a dirigir à noite, mesmo que tenham renovado a CNH recentemente


Estudo norte-americano analisou o impacto que algumas condições visuais exercem nos motoristas, quando dirigem à noite. De acordo com Joanne Wood, que conduziu a pesquisa na Universidade de Tecnologia de Queensland, problemas visuais como embaçamento da visão e catarata – que muitas vezes são diagnosticados tardiamente – costumam dificultar a visão das roupas dos pedestres e, portanto, comprometer os reflexos necessários para evitar acidentes. Até mesmo dificuldades moderadas para enxergar acabam reduzindo a habilidade de enxergar um pedestre à noite.

Publicado no jornal “Investigative Ophthalmology & Visual Science”, o estudo mostrou que nenhum dos motoristas que simularam ter catarata conseguiu identificar um pedestre que usava roupas pretas. Já quando listras refletivas eram utilizadas, a visão aumentava para 82,3%. Além disso, a dificuldade de enxergar à noite altera a noção de distância e, consequentemente, atrasa a visão que o motorista tem do pedestre.

No Brasil, os acidentes são a segunda maior causa de mortes, perdendo apenas para as doenças do coração e ultrapassando as mortes por câncer. Estar em dia com a saúde ocular, então, pode evitar boa parte dos acidentes. Na opinião do oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, até os 40 anos, a pessoa deve passar por um exame completo de visão de três em três anos; entre 40 anos e 65 anos, as visitas devem ocorrer de dois em dois anos; após os 65 anos, os exames devem ser anuais. “O problema é que a maioria dos motoristas, depois de tirar a licença para dirigir, nunca mais passa por um check up oftalmológico. Há adultos jovens com alto grau de miopia dirigindo sem óculos ou lentes corretivas”, diz o médico.

Várias doenças oculares, como o glaucoma, que consiste no aumento da pressão ocular e consequente perda do campo visual, não dão sinais evidentes da sua presença. E quanto mais cedo forem diagnosticadas, maiores são as chances de o tratamento ser bem-sucedido.  “Pessoas que sofrem de degeneração macular (perda gradual da visão central), diabetes ou têm alguma cicatriz no fundo de olho, também podem ter um campo visual limitado e visão dupla, devendo ser avaliadas e orientadas por um especialista. Correm o risco de provocar acidentes, ferindo a si próprias e aos demais motoristas e pedestres”, alerta Neves.

De acordo com o médico, até mesmo o estresse ou o uso de medicamentos podem causar distúrbios de visão, principalmente quando o motorista está dirigindo à noite. “A menor sensibilidade pode acabar provocando um grave acidente”.

FONTE: Inteligemcia

Disponível em:
http://www.transitodinamico.com.br/?opcao=ver_noticia&id=351 - Acesso em 06/05/2012

4 de mai de 2012

Começa a valer a regulamentação da profissão de motorista no país

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta quarta-feira (2) a lei que trata da regulamentação da profissão de motorista no país. Aprovado na Câmara dos Deputados no início de abril, após anos de discussões, o projeto regulamenta pontos como a jornada de trabalho, o tempo de direção e descanso dos condutores. 

O presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), senador Clésio Andrade, destaca que a sanção da lei é importante para valorizar a categoria. “O texto é rigoroso e visa, principalmente, a segurança no trânsito e saúde dos motoristas. Precisamos garantir aos nossos profissionais melhores condições de trabalho”, disse.

Entre os itens mais importantes, começa a valer a proibição do trabalho por mais de quatro horas ininterruptas sem um intervalo mínimo de 30 minutos de descanso. O trabalho poderá ser prolongado por mais uma hora até que o motorista encontre um local seguro e com infraestrutura adequada para repousar. O intervalo de uma hora para refeições é outra garantia prevista.

Durante o período de um dia, será exigido um intervalo mínimo de 11 horas, que pode ser fracionado em nove horas e mais duas – o descanso semanal total deve ser de 35 horas. O motorista só poderá dar início a uma jornada com duração superior a 24 horas após o cumprimento integral do intervalo de descanso exigido pela lei.

Ainda sobre a jornada de trabalho, a presidente vetou a possibilidade de redução em até duas horas do intervalo interjornada. Também está vetado o parágrafo que previa a possibilidade de acúmulo de descanso semanal, desde que não ultrapassasse 108 horas e seja coincidente, ao menos uma vez por mês, com o domingo.

O motorista profissional será o responsável por controlar o tempo de direção e descanso exigidos pela lei. No caso do transporte de carga ou de passageiros, o condutor do veículo fica sujeito a penalidades como multa e retenção do veículo para regulamentação da pendência.

Outro ponto importante é o veto ao prazo de 180 dias, a partir da publicação oficial da lei, para que o artigo 5º do projeto entrasse em vigor. No caso, o artigo, que trata principalmente do tempo ao volante e do descanso, começa a valer imediatamente após a publicação da Lei nesta quarta-feira, sem prazo de adaptação.

De acordo com o presidente da Seção de Transporte de Cargas da CNT e da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística), Flávio Benatti, a regulamentação representa um avanço. “A lei traz segurança jurídica à categoria, cria regras para o tempo de direção e descanso que passam a ser registradas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e transforma essas normas em uma obrigação de trânsito”, destaca à Agência CNT de Notícias.

Segundo Benatti, um tópico importante é a criação de um novo Instituto na Legislação Trabalhista: o tempo de espera. Esse período será registrado quando o motorista ficar com o veículo parado, aguardar carga e descarga no embarcador ou no destinatário ou, ainda, estiver à espera de vistoria nas barreiras fiscais. Esse tempo de espera não será computado como hora extra.

Direitos e deveres

A lei garante alguns direitos à categoria. Entre eles, por exemplo, acesso gratuito a programas de formação de aperfeiçoamento profissional e acesso a proteção do Estado contra ações criminosas durante o efetivo exercício da profissão. Para cobrir riscos relacionados à atividade profissional, está garantido – custeado pelo empregador – seguro obrigatório no valor mínimo de dez vezes o piso salarial da categoria ou valor superior fixado em acordo coletivo de trabalho.

Sobre os deveres, o motorista deve estar atento às condições de segurança do veículo e conduzi-lo com prudência, zelo e em obediência aos princípios de direção defensiva. Deve respeitar a legislação de trânsito, zelar pela carga transportada e cumprir regulamento patronal que discipline o tempo de direção e descanso. Eles também devem se submeter a testes e programas de controle do uso de drogas e bebidas alcoólicas instituídos pelos empregadores.

Fonte: 

2 de mai de 2012

Teste exige que motoristas enviem mensagens de texto enquanto dirigem

Enquanto muitas ações tentam conscientizar motoristas  para que eles não mandem mensagens pelo celular enquanto dirigem, uma campanha realizada pela organização belga Responsible Young Drivers (Jovens Motoristas Responsáveis) demonstrou o perigo desta atividade de maneira bastante prática.

Durante os seus testes para retirar a carteira de habilitação, alguns cidadãos foram requisitados pelos seus instrutores a realizar uma parte da prova enquanto digitavam uma mensagem de texto em seus celulares. Como era esperado, nenhum dos candidatos (mesmo aqueles que já dominam a direção) obteve um resultado positivo – prova de que a combinação SMS e volante não é nada benigna.

Caso o vídeo não seja o suficiente para convencê-lo de que a atividade é arriscada, vale lembrar também que o Código de Trânsito Brasileiro considera o ato de dirigir usando o celular uma infração média, punida com quatro pontos na carteira de habilitação e com multa de R$ 85,13. Além disso, uma revisão do Código de Trânsito ainda em análise no Congresso prevê a mudança da infração de média para gravíssima – o que representa sete pontos na carteira e multa de R$ 191,54.

Veja o vídeo!



Fonte:  

Audiência do Blog em Abril de 2012


Postagens mais visitadas










197 Visualizações de página

















165 Visualizações de página

























128 Visualizações de página








118 Visualizações de página









97 Visualizações de página










1 de mai de 2012

“Carta de Fortaleza Trânsito e Vida 2011"

7º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRÂNSITO E VIDA
3º CONGRESSO INTERNACIONAL DE TRÂNSITO E VIDA FENASDETRAN 
Dias 05 06 e 07/10/2011 
Fortaleza – Ceará. 

“CARTA DE FORTALEZA TRÂNSITO E VIDA 2011” 

 Nós, especialistas, técnicos, agentes e administradores de trânsito, polícia rodoviária federal e estadual, policiais militares e civis, representantes dos Ministérios das Cidades e dos Transportes, servidores de DETRAN e de Órgãos Municipais de Trânsito, engenheiros, educadores, médicos, psicólogos, juízes, promotores de justiça, advogados, jornalistas, empresários, representantes de ONGs, Centros de Formação de Condutores e demais segmentos voltados ao tema, participantes do 7º Congresso Brasileiro de Trânsito e Vida - CBTV - e do 3º Congresso Internacional de Trânsito e Vida – CITV, promovidos pela FENASDETRAN (Federação Nacional das Associações de DETRAN), reunidos na cidade de Fortaleza - Ceará, no período de 05 a 07 de outubro de 2011, com a temática sobre “PLANO NACIONAL DE AÇÕES DE SEGURANÇA NO TRÂNSITO, EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO, TRANSVERSALIDADE E FORMAÇÃO DE CONDUTORES E LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO E AÇÕES RELACIONADAS A MOTOCICLISTAS, CICLISTAS E PEDESTRES”, por maioria: 

1. Externaram seu descontentamento em face da ausência de respostas aos ofícios e requerimentos promovidos desde a Carta de Fortaleza em 2009. 

2. Considerando a Década de Ação pela Segurança no Trânsito -2011/2020 e as propostas definidas pelo Comitê Brasileiro, coordenado pelo CONTRAN, entende-se necessário que a FENASDETRAN remeta ofícios aos Presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, a Presidência da Republica, ao Poder Judiciário, ao Ministério Publico Federal, ao Tribunal de Contas da União, aos Ministros da Justiça e das Cidades e ao Presidente do CONTRAN, para que realizem esforços visando colocar em prática as orientações propostas no Plano de Ação para a Redução de acidentes e mortes no trânsito durante o período de 2011 a 2020, com ênfase imediata nos seguintes pontos: 

• Geração de políticas públicas e planos de longa duração com metas para a redução da violência no trânsito e acompanhamento permanente; 

 • Designação de um organismo nacional com autonomia e autoridade para coordenar as ações de prevenção e segurança no trânsito; 

• Rigorosa aplicação da totalidade dos recursos previstos em lei para a educação, prevenção, segurança, sinalização e engenharia de trânsito; 

• Implementar a Educação para o Trânsito, no modo transversal, na rede escolar da Educação Básica (pré-escola e ensino fundamental); 

• Propiciar a criação de cursos específicos de trânsito, em nível de graduação e pós-graduação, nas Instituições de Ensino Superior; 

• Aperfeiçoamento do processo de formação de condutores e dos cursos especializados, com reavaliação da carga horária, de conteúdos, e de mecanismos de controle; 

• Dotar o corpo de fiscalização de trânsito de condições efetivas para acompanhar e coibir a ação de infratores, com o uso de equipamentos tecnológicos adequados, e o devido treinamento dos agentes da autoridade de trânsito, e com ações de fiscalização continuada; 

• Atenção especial para ações imediatas de infra-estrutura, planejamento de transporte e de circulação que facilitem a mobilidade, a acessibilidade, e a circulação dos usuários durante o período dos eventos esportivos sediados pelo Brasil – Copa das Confederações 2013, Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016; 

A presente Carta de Fortaleza 2011 será encaminhada às autoridades citadas no início deste documento. 

Congressistas que Contribuíram com a Carta de Fortaleza 2011 

Relator: 

Sidnei Schmidt – Major PM de Santa Catarina. 

Colaboradores: 

- Ildo Mário Szinvelski – Assessoria Jurídica do DETRAN/RS;
- José Leles de Souza – Presidente do ICETRAN/SC;
- Fabiano Martins Adriano – Diretor de Trânsito Município de Timbó/SC;
- Angela Teresa Bork Roesler – Delegada de Polícia de Santa Catarina;
- Tania Eichstadt – Escrivã de Polícia Civil de Santa Catarina; 
- Julyver Modesto de Araújo – Capitão PM de São Paulo. 

Sessão Plenária:

- Mário Conceição – Presidente da FENASDETRAN;
- Wilson Batista – Tenente Coronel PM do BPMTRAN de Mato Grosso;
- José Wagner de Paiva Queirós – Psicólogo de Fortaleza/CE;
- José Procópio Correia Junior – Capitão PM de Minas Gerais;
- Renato José Reis Bezerra – DETRAN Ceará;
- Jean Charles Oliveira Diniz Serbeto - Coronel PM PRE de São Paulo;
- Hugo Leal – Deputado Federal do Rio de Janeiro;
- Cássio Honorato – Promotor de Justiça/PR;
- Armênio Souza Santos – Médico de Tráfego, Representante da ABRAMET/BA;
- Dinair Nunes Borges – Coordenadora Pedagógica da FENASDETRAN;
- Fábio do Valle – Sargento da PM/RN e Consultor da FENASDETRAN;
- Israel de Moura Farias Junior – Major PM/PE;
- Rainaldo Gomes de Sousa - Coordenador de Transportes - Tribunal de Justiça/BA.
- Waldemar Fini Junior - Consultor da FAPEU - Fundação de Apoio a Pesquisa e Extensão Universitária da UFSC, 


Fonte: http://emersonluizandrade.blogspot.com.br/ - Acesso em 01/05/2012