Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

1 de abr de 2012

São Paulo ganha primeiras escolas de bicicleta

Alunos de todos os CEUs vão passar por curso de formação de ciclistas urbanos em veículos sustentáveis  

Thaís Nunes

thais.nunes@diariosp.com.br


São Paulo é a primeiro cidade do mundo a formar jovens ciclistas urbanos . O programa  “Escolas de Bicicleta”, mantido pela Secretaria Municipal de Educação, teve início neste sábado e vai muito além do pedalar.

Os 4,7 mil alunos participantes do projeto não vão só aprender a manter o equilíbrio em cima das bikes, mas a dominar legislação de trânsito, entender a história e importância da bicicleta como meio de transporte e receber noções de como consertar as “magrelas”. 

As Escolas de Bicicleta estarão presentes nos 45 CEUs (Centros Educacionais Unificados) da cidade e no Centro de Convivência Educativo e Cultural de Heliópolis, Zona Sul, onde aconteceu a inauguração do projeto com pedalada coletiva pelo bairro, gincanas com alunos e show dos cantores Max de Castro e Simoninha. 

“Nas periferias, onde os CEUs estão localizados, a bicicleta é um meio de transporte muito usado. Vamos ensinar as crianças a pedalar com segurança e a entender conceitos de sustentabilidade”, explica o secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider. 

Até o fim de 2012, cada CEU terá 100 alunos ciclistas, entre 12 e 14 anos, que farão diariamente o trajeto de casa até a escola em comboios de 15 a 25 estudantes. As bicicletas usadas no projeto são feitas de bambu, inéditas no Brasil. Neste mês, inicia-se o treinamento dos 92 monitores do projeto. Os alunos começarão a pedalar na segunda quinzena de abril. 
 
 
São Paulo terá 4,6 mil alunos pedalando bicicletas de bambu


Projeto distribui bicicletas para alunos dos CEUs. Foto: Edson Lopes Jr./Terra
Projeto distribui bicicletas para alunos dos CEUs
Foto: Edson Lopes Jr./Terra


VAGNER MAGALHÃES
Direto de São Paulo
A Secretaria Municipal de Educação da cidade de São Paulo lançou neste sábado, no bairro de Heliópolis, zona sul da capital paulista, o projeto que prevê a distribuição de cerca de 4,6 mil bicicletas fabricadas de bambu para que alunos de 45 Centros Educacionais Unificados (CEUs) façam diariamente os trajetos de ida e volta aos estudos utilizando o equipamento.
Para celebrar o início do projeto foi realizado um passeio ciclístico de 6 km, pelas ruas do bairro. O evento, no entanto, foi realizado com bicicletas convencionais, já que apenas duas do projeto tinham sido entregue a tempo.
A ideia é que até o fim do ano, cada um dos CEUs tenha pelo menos 100 alunos ciclistas, com idades entre 12 e 14 anos. O trajeto entre casa e escola será feito em comboios de 15 a 25 estudantes e dentro dos colégios haverá um local apropriado para o estacionamento das bicicletas.
Monitores treinados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e pelo Instituto Parada Vital serão encarregados do treinamento dos alunos, que envolvem, inclusive, regras de trânsito e manutenção dos equipamentos. Para a realização do projeto, a Secretaria da Educação teve como consultor o especialista em mobilidade urbana Mikael Colville-Andersen, da Dinamarca. Para participar, os alunos precisarão ter o consentimento dos pais.
De acordo com o designer brasileiro Flávio Deslandes, que começou a utilizar o bambu para a fabricação de bicicletas em 1995, o material é viável e tão resistente quanto o alumínio. "Por ser flexível, o bambu tem uma resistência muito adequada. Exige baixo gasto de energia por ser cilíndrico e é extremamente viável. Com a fabricação em escala de cerca de 5 mil bicicletas, o custo, que hoje gira um pouco abaixo dos R$ 1 mil deve cair bastante", disse.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário