Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

13 de out de 2011

Essa não deu no jornal – Trânsito na Alemanha

Por Ricardo Gonzalez

Estava este blogueiro caminhando pelo centro de Berlim, durante a Copa de 2006, quando tive a oportunidade de corrigir um mau hábito, através de uma explicação das mais lógicas. Numa esquina, o sinal estava aberto para o tráfego e, é claro, fechado para os pedestres. Parei. Olhei para o lado de onde vinha o trânsito e não havia nem um único veículo a menos de um quilômetro. O que fiz, como bom brasileiro? Atravessei a rua.
 Ao chegar do outro lado, fui educadamente chamado por um policial. Ele olhou minha credencial da Copa e perguntou se eu falava inglês. Respondi que sim e ele disse o seguinte:

“Estou vendo que o senhor não é alemão, não conhece nossas regras e, por isso, eu não vou multá-lo por atravessar com o sinal vermelho. Mas se eu pegá-lo fazendo isso de novo, vai levar a multa. E em caso de reincidência, o senhor será levado ao distrito policial. O senhor compreendeu?”

Polidamente como ele, respondi: “Perfeitamente entendido. Mas, apenas para minha informação, por que eu devo levar a multa, se não vinha nenhum carro, se eu não causei nenhum prejuízo a ninguém?”

Sem se alterar, a explicação veio: “Por causa das crianças, da educação delas. Se uma criança visse o senhor atravessando no sinal vermelho, ela não ia entender que não vinha carro, ou que não havia risco. Por associação de ideias, ela ia passar a atravessar no sinal vermelho. E seria atropelada.”

Explicação aceita, aprendida. E nunca mais eu atravessei no sinal vermelho do pedestre.

  1. Antonio de Pádua:
    13 outubro, 2011 as 0:46
    Gonzalez.. tive experiência parecida sobre educação no trânsito, não com um policial, mas pelo exemplo… em setembro/2010 casei e fui passar 8 dias de lua de mel em Buenos Aires… fiquei impressionado com a educação no trânsito dos portenhos… sem brincadeira, nunca vi nada parecido aqui no Brasil…. essa cultura do “jeitinho brasileiro” é de lascar.. devíamos aprender com os bom exemplos e melhorar nossos hábitos…. abraço…

  2. carlos alberto:
    13 outubro, 2011 as 3:20 Senhor Ricardo Gonzalez, quanta FELICIDADE passa pelo meu coração em ler essa sua REPORTAGEM. Essa sua REPORTAGEM deveria ser ESTAMPADA em todas as ESCOLAS PÚBLICAS e PARTICULARES de ENSINO, como também em todas as AUTO ESCOLAS para que ficasse bem claro como um CIDADÃO tem e deve se COMPORTAR nas VIAS PÚBLICAS. Não tenho conhecimento da existência de LEI que puna o pedestre sobre o não cumprimento deste ELEMENTAR procedimento. Se não existe uma LEI deste tipo que se faça uma SOLICITAÇÃO a QUALQUER PARLAMENTAR do CONGRESSO FEDERAL para apresente um PROJETO DE LEI ou outro instrumento qualquer e se crie uma LEI nestes moldes, para que se crie as condições de OBRIGATORIEDADE de COMPORTAMENTE PÚBLICO de qualquer cidadão que não proceda de forma EDUCATIVA nas VIAS PÚBLICAS. Quero aquí deixar meus votos de MUITAS FELICIDADES pela OPORTUNA e EDUCATIVA REPORTAGEM. Quanto resolveu escrever essa REPORTAGEM, certamente o SENHOR ESTAVA ILUMINADO. Parece simples, mas não é. As coisas simples são, talvez as mais IMPORTANTES DAS NOSSAS VIDAS.

  3. 13 outubro, 2011 as 6:29 Caraca, meu!
    Fiquei com vergonha de mim e de você com e por você!
    Que cena!

    A melhor explicação ever!
    Aqui isso nunca vai acontecer… sinal funcionando 100%, policial na rua, policial educado e inteligente… pedestre educado…


  4. marcus vincius:
    13 outubro, 2011 as 12:20
    CARA, ISSO QUE SE CHAMA PAIS *-* pq o Brasil, NUNCAA VAI SER ASSIM !

  5. Leonardo:
    13 outubro, 2011 as 12:39
    Ola,
    morei na Alemanha por dois anos e esse fato que aconteceu contigo ocorre a toda hora. Uma colega de trabalho, alema, atravessou a rua no sinal vermelho e foi abordada pela policia em Munique. Resultado, multa e pontos na carteira de habilitacao. O argumento do policial desta vez foi outro, “se a senhora tem carteira de habilitacao eh porque passastes por rigorosos testes de transito e os pedestres tb fazem parte do transito.” Outro fato muito comum sao as blitz de transito para ciclistas. Certa vez fui pego em uma pedalando na contra-mao! Como eu nao tinha carteira de habilitacao alema recebi apenas uma multa de 15 Euros e um puxao de orelhas da policial!
    abraco

  6. JefFogão:
    13 outubro, 2011 as 14:32 Show de bola!
    Cultura e educação são tudo!!

Fonte: 

4 comentários:

  1. Todos os comentarios se basearam na educação, e só lembrando, como anda a educação no BRASIL ?

    ResponderExcluir
  2. Bem, somente lembrando que não podemos fazer nada sozinhos... Como diz o velho ditado popular: "Uma andorinha sozinha não faz verão", pq não podemos contar com a fiscalização no nosso Estado, por falta de contingente policial em nosso país, é bom lembrar isso... Pq no exterior tem um policial em cada semáforo e aqui nada é feito para melhorar isso...

    ResponderExcluir
  3. Embora na Alemanha não tenha limite de velocidade, o trânsito é levado a sério e a educação no transito se aprende cedo. É na escola. As aulas práticas ocorrem em eventos como o Salão de Frankfurt, onde as crianças são ensinadas sobre conceitos de como respeitar os carros e atravessar vias públicas com segurança.
    O Brasil está precisando urgentemente seguir este exemplo. Só assim teremos um trânsito menos violento e seguro.
    Postei sua experiência no blog. Confira!
    Acesse: www.mototaxistasdobrasil.blogspot.com
    Abraço.
    Fátima Canejo

    ResponderExcluir
  4. VOU INFORMAR PARA PESSOA LEIGAS (PRATICAMENTO TODA POPULAÇÃO BRASILEIRA),A EDUCAÇÃO DE TRANSITO EXISTE NA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL DESDE 66,RETIFICADA EM 97 NO CAPILTULO 6 ART 76,NO CENTRO DE FORMAÇÃO DE CONDUTORES TODAS ESSAS TEORIAS SAO COLOCADAS E EXPLANADAS PARA OS FUTUROS CONDUTORES, MAIS QUEM MAIS CRITICA E QUEM MAIS FALA E FAZ ERRADO, EPRECISO QUE CRIEM VERGONHA, QUEIRAM DEIXAR DE SER PAIS DE TERCEIRO MUNDO NAO SO NA COMPRA DO VCARRO 0KM MAIS TAMBEM NA EDUCAÇÃO DE TRANSITO,SE O POLITICA PUBLICA NAO FAZ CABE AO CIDADAO CORRER ATRAZ

    ResponderExcluir