Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

1 de set de 2011

Valores e Trânsito


Que valores devem ser construídos junto às crianças?

Respeito: incentivar a criança a esperar a vez de falar, a ceder seu assento aos idosos, gestantes e pessoas que possuem deficiência, a aguardar na fila, a praticar as boas maneiras como: pedir licença, por favor, agradecer. A criança que pratica o respeito em seu dia a dia será um motorista que respeitará as sinalizações, os espaços públicos e os personagens do trânsito como: pedestres, ciclistas, motoristas e motoqueiros, aceitando as diferenças de idade, de raça, de classe social e cultural. 

Responsabilidade: estimular a criança a pensar antes de tomar atitudes que possam causar prejuízos a si e aos outros, a assumir seus erros, a pedir desculpas, a repetir a ação consertando o erro. Atitudes como essas irão refletir quando forem motoristas, ou seja, farão com que se tornem condutores capazes de medir as consequências antes de cometer imprudências no trânsito, e assim não as cometendo.

Autonomia: as pessoas, desde a infância, precisam se amar, se valorizar, se cuidar, acreditar em seu potencial, ter personalidade. O jovem com autonomia, por exemplo, será capaz de dizer não ao convite para cometer infrações no trânsito como dirigir sob efeito de bebida alcoólica ou fazer “racha”.

Tolerância e paciência: estimular a criança a manter a calma, a ter paciência; a enfrentar e suportar as dificuldades, visto que ela precisará ter essas qualidades para garantir a segurança no trânsito.

Cooperação: participar das atividades escolares, colaborar para as mudanças e melhorias no ambiente familiar e escolar são ações que devemos incentivar nas crianças. Futuramente, elas também precisarão cooperar no trânsito, facilitando a ultrapassagem de outro motorista, por exemplo.

Solidariedade: é uma qualidade que visa ao bem comum, à coletividade. No trânsito, o motorista solidário preocupa-se também com o pedestre, com o ciclista, com o passageiro de ônibus, da mesma forma como o pedestre solidário preocupa-se com o motorista, com o ciclista e os demais cidadãos presentes nas vias. As crianças aprendem a ser solidárias quando as incentivamos a ajudar o colega, a doar os brinquedos que não usam mais, por exemplo.

Vida: fazer com que elas percebam o prazer das pequenas coisas, a amar a vida, a sorrir, a brincar, ser otimista, cuidar da saúde e da segurança, são atributos que devemos cultivar nas crianças. Quem possui essas características certamente irá preservar a vida e será prudente no trânsito.

A criança educada seguindo esses valores poderá apresentar uma conduta que é desejável no trânsito, ou seja, essa criança poderá, por exemplo, na escola, resolver as questões da prova sem colar, mesmo sem a supervisão do professor, e futuramente, no trânsito, possivelmente será um motorista educado, ou seja, irá dirigir com prudência, sem a necessidade da fiscalização dos agentes de trânsito.

Irene Rios

Um comentário: