Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

28 de abr de 2011

Bicicleta: o meio de transporte do futuro

Agora Paraná
Utilizada da forma correta, a bicicleta é o melhor meio de transporte.

A vida moderna leva cada vez mais pessoas aos centros urbanos, o que tem causado superlotação nos transportes públicos. Automóveis, que custam cada vez menos e têm cada vez mais facilidade de financiamento, também se tornam um problema das cidades hoje. O número de veículos motorizados circulando ao mesmo tempo causa, além de problemas como grandes congestionamentos e acidentes, muita poluição, tanto do ar quanto sonora. Isso trouxe uma preocupação crescente com o chamado desenvolvimento sustentável, ou seja, um modelo de desenvolvimento que usa os recursos naturais atendendo as necessidades do presente sem comprometer as necessidades das gerações futuras.

Diante deste cenário atual, ela aparece como uma das soluções e como o meio de transporte do futuro: a bicicleta. A Organização das Nações Unidas (ONU) elegeu a bicicleta como o transporte ecologicamente mais sustentável do planeta, pelo baixo impacto que causa ao ambiente, pelo porte da infra-estrutura necessária à circulação e ao estacionamento, que demanda pouco espaço, e pela ausência de ruídos e de emissão de gases poluentes. Além disso, é uma alternativa ao alcance de todas as pessoas, não importando a renda e podendo ser usada por quem tem boa saúde, desde a infância até a idade mais avançada.

Em cidades da Europa seu uso já é bastante comum. Na Suécia, um país frio, 33% de todo o deslocamento realizado na cidade de Västerãs (115 mil habitantes) é feito por bicicleta. Na Suíça, que não é um país plano, a bicicleta é utilizada em 23% dos deslocamentos na cidade de Basiléia, com 230 mil habitantes. Em Redmond, noroeste dos EUA, os ônibus urbanos têm espaço para transportar duas bicicletas, e até mesmo os paramédicos as utilizam.

A inclusão da bicicleta nos deslocamentos urbanos deve ser abordada como elemento para a implementação do conceito de mobilidade urbana sustentável como forma de redução do custo da mobilidade das pessoas, inclusão social, de redução e eliminação de agentes poluentes e melhoria da saúde da população.

Adequando-se a esta realidade e pensando no meio ambiente e no bem-estar da população, a Prefeitura de Piraquara incluiu no Projeto Novo Centro uma ciclovia pavimentada, já implantada na avenida Getúlio Vargas. Outros locais da cidade também já possuem ciclovia, como por exemplo as ruas Herbert Trapp e a Pastor Adolfo Weidmann. Porém, junto com as vias cicláveis (espaço destinado especialmente para a circulação de pessoas utilizando bicicletas), também surgem dúvidas sobre o uso da ciclovia e os direitos e deveres dos ciclistas.

Direitos e deveres no uso das ciclovias

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, é direito de todos andar de bicicleta em qualquer rua da cidade, porém certos cuidados devem ser lembrados e respeitados, como por exemplo, usar os equipamentos de segurança (buzinas,lanternas e espelhos), pedir passagem com o aceno dos braços, circular no mesmo sentido dos outros veículos (sejam eles motorizados ou não) e transitar sempre pelo lado direito. Outros pontos importantes a serem lembrados por quem é ciclista ou pretende ser são a manutenção da bicicleta e o respeito não só com os motoristas de automóveis, mas também com outros ciclistas. Calcula-se que de 10 a 15% das mortes de ciclistas no Brasil sejam causadas por falhas mecânicas das bicicletas, e que mais de 50% dos acidentes envolvendo bicicletas ocorrem por culpa dos próprios ciclistas. Apesar desses dados, está comprovado que o uso adequado da bicicleta não traz somente benefícios físicos, mas também financeiros e ambientais. Além de não poluir a atmosfera, o uso da bicicleta ajuda a combater o estresse, o colesterol alto, a diabetes, e ainda traz mais resistência física para o seu condutor. O bolso de quem pedala também fica mais cheio, pois a pessoa que anda de bicicleta acaba não utilizando o transporte público ou gastando com combustível. Sendo usadas de maneira consciente, a ciclovia e a bicicleta trazem benefícios a todos que optam por sua utilização, de forma direta, ao meio ambiente, e a toda a população, mesmo de forma indireta. Disponível em: http://www.perkons.com/index.php?page=noticias&sub=ultimas-noticias&subid=10004 - Acesso em 26/04/2011.

26 de abr de 2011

Dupla faz apresentações no trânsito de SP para conscientizar motoristas

Apresentações teatrais são feitas por dentista e promotor.

Trabalho é 'voluntário e cidadão', diz Leandro Camargo, o idealizador.

Do G1 SP

Dupla fez apresentações na manhã desta quarta (20) na Zona Sul de SP (Foto: Clara Velasco/ G1) Dupla fez apresentações na manhã desta quarta (20) na Zona Sul de SP (Foto: Clara Velasco/ G1)

Vestidos com roupas que representam faixas de trânsito e utilizando bonecas, garrafas de cerveja e volantes nas mãos, um dentista e um promotor de São Paulo resolveram fazer, de graça, esquetes nas ruas da cidade para conscientizar os motoristas. Escolhendo um cruzamento movimentado por vez, eles tentam mostrar a importância de manter as crianças nas cadeirinhas, não beber antes de dirigir e guiar com prudência - tarefas consideradas mais que "batidas", mas muitas vezes esquecidas.

Apresentações abordaram temas como alcoolismo no trânsito (Foto: cla)
Apresentações abordaram temas como alcoolismo no trânsito (Foto: Clara Velasco/ G1)

Uma das apresentações feitas nesta semana foi na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, na Zona Sul da cidade, na quarta-feira (20). Eles encenaram situações em que motoristas alcoolizados e apressados acabando gerando acidentes.

De maneira rápida, eles mostraram pedestres sendo atingidos por motoristas bêbados, crianças sendo atropeladas na faixa e motoristas apressados quase causando tragédias. “Nós fazemos as apresentações sempre no farol vermelho, para não atrapalhar o trânsito”, diz Leandro Camargo, dentista e idealizador do projeto.

Os motoristas que andam "costurando" o trânsito e os que guiam grudados no carro da frente também são lembrados, assim como a briga entre pedestres, motoristas e ciclistas.

O trabalho, de acordo com Camargo, é "voluntário e cidadão". Ele diz que não recebe nada por isso e que nenhuma instituição o apoia financeiramente. “Eu sou promotor e tenho disponibilidade de horário. Dedico duas horas por dia para fazer as apresentações”, diz o amigo Edgar Aguilar.

Na quinta-feira (21), a dupla decidiu fazer uma esquete em parceria com a Fundação Pró-Sangue na Rua Teodoro Sampaio para lembrar da importância da doação.

Projeto é conhecido como TRAPA - Trânsito Pacífico - e é voluntário (Foto: Clara Velasco/ G1)
Projeto é conhecido como Trapa (Trânsito Pacífico) e é voluntário (Foto: Clara Velasco/ G1)

“A ideia surgiu há uns dois anos, mas em dezembro começamos a ir para os faróis”, diz Camargo. “Surpreendentemente o resultado do nosso trabalho tem sido positivo. As pessoas nos procuram, nós estamos aqui nesta esquina porque nos disseram que esta era uma área de muitos problemas, com atropelamentos”, afirma.

Ao projeto foi dado o nome de Trapa (Trânsito Pacífico). “Nós notamos que realmente existe a necessidade de melhoria das ruas, das estradas, mas também percebemos que outros problemas influenciam no trânsito da cidade”, diz Camargo.

Disponível em: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/04/dupla-faz-apresentacoes-no-transito-de-sp-para-conscientizar-motoristas.html - Acesso em 26/04/2011.

22 de abr de 2011

Palestrantes do 7º Congresso Brasileiro de Trânsito e Vida e 3º Internacional



PALESTRANTES
 
Mário Conceição
Presidente dos Congressos Trânsito e Vida, Ex. membro da Câmara Temática/CONTRAN, Presidente da FENASDETRAN, Presidente do CEATV- Comitê de Estudos e Ações para o Trânsito e Vida, Conselheiro - Conselho Estadual de Saúde do Estado da Bahia, membro do Comitê Bahiano do Fórum Social Mundial.

Rodrigo Kleinübing
Engenheiro Mecânico; Pós-graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho; e em Engenharia de Avaliações e Perícias; Perito Criminalístico Engenheiro do RS; Especialista em Acidentes de Trânsito em Caráter Excepcional pela Associação Brasileira de Criminalística; Instrutor de Perícias em Acidentes de Trânsito da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça; Pós-graduação em Perícia Crimina; Co-autor do livro Dinâmica dos Acidentes de Trânsito - Análises, Reconstruções e Prevenção, 3a edição, Editora Millennium.

Mônica Melo 
Diretora Presidente do Departamento Estadual de Trânsito - DETRAN/AM e Presidente da Associação dos Diretores de DETRAN-AND.

Marina de Cuffa
Psicóloga, mestranda em Psicologia pela Universidade Federal do Paraná. Suas pesquisas se concentram no estudo do comportamento e percepção de risco entre jovens, principalmente com relação ao consumo de álcool e direção. Atuação em educação de trânsito com crianças e jovens.

Ricardo Alves da Silva
Major da Polícia Militar de Santa Catarina. Pós Graduado em Gestão e Segurança no Trânsito, pela UnC (Universidade do Contestado) Campus Concórdia – SC, e Pós Graduado em Segurança Pública pela UNISUL-SC.
Sub Comandante do 20º Batalhão da PM em Concórdia-SC.

Maria Lúcia A. Kutianski
Cássio Honorato
Promotor de Justiça/PR e autor dos livros:
O Trânsito em Condições Seguras e sanções do Código de Trânsito Brasileiro.
 
Fernando Moreira
Médico Pediatra, Especialista em Medicina de Tráfego, Extensão Universitária em "Estudo dos problemas relacionados ao uso, abuso e dependência do álcool e outras drogas- UFRJ; Membro da ABRAMET; Autor do Livro A Vacina Contra a Violência no Trânsito (2006); Autor do Livro A Mudança Cultural que Salva Vidas (2008);
Colaborador no Livro Alcoologia O Alcoolismo na perspectiva da Saúde Pública (2007); Consultor em Segurança no Trânsito e Medicina de Tráfego; Organizador do livro Medicina do Transporte.

Irene Rios da Silva
Especialista em Ambiente, Gestão e Segurança de Trânsito e em Metodologia de Ensino; Professora universitária de Educação de Trânsito, Campanhas Educativas de Trânsito e Educação de Trânsito para Crianças e Adolescentes; Autora de artigos e livros na área de Educação para o Trânsito.

Flávio Arns
Vice Governador PR, Secretário de Educação (e ex Senador).

Hugo Leal
Dep. Federal (Membro da Comissão de Viação e Transporte da Câm. Deputados)

Madiagne Diallo
Pos-Doutorado pela École Nationale Supérieure des Télécommunications (2005-2006)--França
J. Pedro 
Jornalista e profissional de Relações Públicas, especialista em programas de Segurança no Trânsito, Fundador do Instituto Nacional de Segurança no Trânsito - SP, Membro do Comitê Internacional de Aliança para Segurança no Trânsito, Missoury University, EUA, Membro do Conselho Consultivo do Simpósio Mundial de Segurança no Trânsito de Nova Iorque, Consultor da Volvo.

Ailton Brasiliense
Engenheiro, Ex. Presidente do CONTRAN e DENATRAN.

Eduardo Biavati 
Mestre em Sociologia (UnB) e especialista em segurança no trânsito.
É membro titular da Câmara Temática de Educação e Cidadania do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), para o biênio 2010-2011.
De 1993 a 2004, foi Coordenador Nacional do Programa de Prevenção de Acidentes de Trânsito da Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação.

Graziela Maria Casas Blanco
Profa. GRAZIELA MARIA CASAS BLANCO ((Doutoranda em Ciências Jurídicas, Coordenadora de Convênios de Trânsito e do Registro Nacional de Infrações do DETRAN/SC e Coordenadora dos cursos de pós graduação em Gestão de Trânsito do ICETRAN

José Leles de Souza

Prof. Dr. JOSÉ LELES DE SOUZA (Doutor em Engenharia de Transportes, pela USP - Universidade de São Paulo. Presidente do Instituto de Certificação e Estudos de Trânsito e Transportes - ICETRAN, e membro titular da Câmara Temática de Educação e Cidadania no Trânsito, de Assessoramento ao CONTRAN),

Julyver Modesto de Araújo
Mestre JULYVER MODESTO DE ARAÚJO (Oficial da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Coordenador de Ensino do Comando de Policiamento de Trânsito na Capital Paulista, Coordenador dos cursos de pós graduação do CEAT – Centro de Estudos Avançados e Treinamento, Especialista e Mestre em Direito) para oferecerem suas visões e perspectivas (relacionadas às esferas FEDERAL, ESTADUAL e MUNICIPAL)

Major Moura
3º Grau: Academia de Polícia Militar de Paudalho, Paudalho-PE, 3º Grau: Faculdade de Direito de Olinda, ano de conclusão,Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais -FUNDAJ, Curso de Especialização de Trânsito, DETRAN-PE, Pós-graduação, FACIPE, cursando. (Políticas Públicas de Segurança), Consultor de Legislação de Trânsito da FENASDETRAN - Federação Nacional das Associações de DETRAN, Membro do Corpo Docente do Bureau Jurídico-PE - Ministrando a matéria de Legislação de Trânsito para o concurso da Polícia Rodoviária Federal, Coordenador do Curso de Formação de Agentes de Municipais da cidade do Paulista-PE, - Instrutor da matéria de Legislação de Trânsito,c oordenador do Curso de Formação de Agentes de Municipais de Trânsito da Ilha de Itamaracá-PE, DETRAN-PE,Instrutor de Legislação de Trânsito (LEI N.º 9.503/97) - I Curso para médico perito examinador responsável pelo exame de aptidão física e mental para condutores de veículos automotores, Faculdade de Ciências Médicas do Estado de Pernambuco – UPE/ABRAMET.

Paulo Ricardo Meira
Doutor em Marketing pelo PPGA/UFRGS, Produtor de Marketing do Senado Federal e Consultor da FENASDETRAN.


20 de abr de 2011

Denatran e Ministério das Cidades lançam nova ação de prevenção aos acidentes de trânsito

A campanha “Pare e Pense” será veiculada nacionalmente e contará com serviço na internet

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) do Ministério das Cidades lança, no dia 20 de abril, a campanha nacional “Pare e Pense”. O objetivo é contribuir para a reflexão sobre a necessidade da redução do número de acidentes nas estradas. Todos os anos, aproximadamente 40 mil pessoas perdem a vida em ruas e estradas brasileiras.

Dentro desta campanha, em parceria com o DNIT/Ministério dos Transportes, o Ministério das Cidades oferecerá uma ferramenta de serviço aos viajantes na internet. Por meio do endereço www.rotasdascidades.com.br, o internauta poderá aferir a rota apropriada para sua viagem, além de conferir, em toda a extensão, as condições das rodovias federais no percurso.

As ações publicitárias têm como público alvo os motoristas em geral, com foco principal na faixa etária de 18 a 39 anos. A campanha entrará no rádio e na internet no dia 20 de abril, e na TV a partir do dia 26 do mesmo mês. Além disso, também serão veiculadas peças em painéis nas paradas de ônibus, calçadas e canteiros centrais das vias urbanas e rodovias, nas bancas de jornais, postos de gasolina e vídeos em painéis eletrônicos em mídia exterior. A ideia é provocar a indução à mudança de comportamento, a fim de transformar os motoristas em sujeitos de ações positivas no trânsito.

Serviço: Lançamento da campanha nacional de trânsito “Pare e Pense”.

Data: 20 de abril

Mais informações: Assessoria de Imprensa – Denatran - ascom@cidades.gov.br

Disponível em: http://www.denatran.gov.br/ultimas/20110420_campanha.htm - Acesso em 20/04/2011

Trânsito brasileiro, combate à extrema pobreza e políticas públicas para as mulheres

Conversa com a Presidenta A coluna semanal Conversa com a Presidenta, publicada em diversos jornais no Brasil e no exterior, traz nesta terça-feira (19/4) perguntas de leitores sobre o combate à extrema pobreza, políticas públicas para as mulheres e programas para a melhoria do sistema de transito no país.

O primeiro questionamento veio de Belém (PA), de onde o psicólogo Márcio Bastos de Queiroz quis saber se há algum prazo para que se mude o cenário de pobreza ainda presente nas ruas brasileiras. Em resposta, a presidenta Dilma Rousseff informou que nos últimos oito anos o governo trabalhou fortemente para a redução da desigualdade social, o que resultou na saída de milhões de família da pobreza. A presidenta afirmou, ainda, que por isso decidiu iniciar seu governo organizando um programa para ampliar o trabalho feito no governo anterior e para preparar o país para mais um grande esforço de redução da pobreza extrema.

“O programa, com a participação de vários ministérios, vai prever iniciativas de transferência de renda, de formação profissional, de assistência ao pequeno produtor no meio rural, de educação infantil, entre muitas outras. Essa é a nossa prioridade. Mas você sabe, Márcio, que a principal forma de diminuir a pobreza é manter o país crescendo, o que aumenta a oferta de empregos e a renda das famílias. Por isso, vou cuidar com muita dedicação do controle da inflação, dos investimentos em infraestrutura e do incentivo permanente ao crescimento (…). Sei que é bastante difícil esse trabalho. Mas tenho certeza que terei apoio de todo o país, e de pessoas como você, para conseguir alcançar esse objetivo.”

Edite de Oliveira Ferreira, pensionista de Recife (PE), perguntou: “Quais políticas públicas a senhora vai criar voltadas para as mulheres? O que vai ser feito, principalmente no setor de empregos?”. A presidenta esclareceu que embora o governo esteja apenas começando, já foram criadas importantes políticas públicas de apoio às mulheres, como a Rede Cegonha, que contará com investimento de R$ 9,4 bilhões até 2014, e o Programa de Fortalecimento da Rede de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo do Útero e de Mama, com investimentos de R$ 4,5 bilhões.

“Recentemente, assinei acordo para a construção de 718 creches, das 6 mil que serão criadas até o final do mandato. As creches permitem que a mulher saia tranquila para trabalhar porque seus filhos serão bem cuidados. Além disso, garantem às crianças de 0 a 3 anos toda a atenção pedagógica para que elas cheguem à idade escolar em melhores condições de aprendizagem. Temos várias outras iniciativas que favorecem a ocupação da mulher como, por exemplo, o Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, programa de apoio à criação de seus próprios negócios,” continuou.

A terceira pergunta foi feita pelo servidor estadual de Goiânia (GO), José Miranda, sobre os projetos que o governo federal mantém para o trânsito brasileiro. “Sabemos que ainda persiste a indústria da multa, os balcões de negócio para se habilitar e que a maioria das cidades brasileiras apresenta erros gravíssimos de engenharia de trânsito”, justificou Miranda.

Dilma Rousseff frisou que o governo federal tem a atribuição de regulamentar e promover a educação no trânsito, mas a fiscalização, autuação e aplicação de penalidades nas cidades e estradas não federais são de competência dos órgãos estaduais e municipais. E concluiu:

“Isso não significa que cada um dos três níveis de governo esteja atuando de maneira isolada. Pelo contrário, o governo anterior criou o Comitê Nacional de Mobilização pela Saúde, Segurança e Paz no Trânsito, formado por vários ministérios, secretarias, Poder Legislativo, órgãos públicos estaduais e municipais, além de ONGs e outras instituições da sociedade civil. O Comitê está elaborando o Plano Nacional de Redução de Acidentes e Segurança Viária para a Década 2011-2020. O Plano, com medidas para reduzir as lesões e mortes no trânsito, vai prever ações de fiscalização, educação, saúde, infraestrutura viária e segurança veicular. Esta iniciativa está alinhada com a Resolução das Nações Unidas que proclamou o período de 2011 a 2020 como a Década de Ações para a Segurança Viária, com o objetivo de diminuir drasticamente os acidentes de trânsito em todo o mundo.”

Disponível em: http://blog.planalto.gov.br/transito-brasileiro-combate-a-extrema-pobreza-e-politicas-publicas-para-as-mulheres - Acesso em 20/04/2011

I Fórum de Educação de Trânsito do Amazonas

Data: 09 de maio de 2011.

PROGRAMAÇÃO  

09:00 – 09:15
Abertura Pronunciamento do Exmo. Sr. Governador do Estado do Amazonas – Omar Aziz.  

09:15 – 09:30
Pronunciamento do Exmo. Sr. Prefeito Prefeito da Cidade de Manaus – Amazonino Mendes.

09:30 – 10:00
Pronunciamento do Exmo. Sr. Deputado Federal - Sr. Hugo Leal – Frente Parlamentar para o Trânsito. Autor da "Lei Seca".

10:00 – 10:45
Palestra do Srº.Presidente da FENEAUTO - Magnelson –O sistema de Formação de Condutores no Brasil e países Ibero –americanos.

10:45 – 11:00 – Coffee Break  

11:00 – 11:45
Palestra do Drº da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Eduardo Cortez – O Histórico Educacional e institucional da Educação para o Trânsito no Brasil.

11:45 – 12:30
Palestra da Srª Ganhadora do Prêmio DENATRAN de Educação no Trânsito - Sra. Roberta Torres - Diretora de Educação da FENEAUTO. Como os CFC's podem contribuir para a Educação no Trânsito.

13:45 – 14:30
Palestra do Ilmª.Presidenta da AND e do DETRAN-Am - Sra. Mônica Melo – A Importância da Educação para o Trânsito e suas variantes na Política Nacional
de Trânsito.
 
14:30 – 15:00
Palestra do Ilmº.Presidente do Sindicato CFC’S Rio Grande do Sul - Sr. Edson Cunha – Sistema de Qualidade - ISO 9000 em CFC’S -Formação de Condutores.

15:00 – 15:15 – Coffee Break  

15:15 – 15:45
Palestra do Ilmº.Presidente do Sindicato CFC’S Minas Gerais - Sr. Rodrigo Fabiano – Ética no exercício da profissão – Formação de Condutores.

15:45 – 16:00
Palestra do Ilmº. Drº da Universidade Getúlio Vargas - Sr.Mário Pierre - Motivacional

16:00 – 16:30
Pronunciamento do Ilmº.Sr. Presidente do SINDCFC-Am – Sr. Raimundo Macena - Encerramento

Inscrições:

19 de abr de 2011

Educação para o Trânsito - Curso realizado em Salvador

video

Manifestações de Participantes do Curso! 
 
Pontos de destaque do Curso 

  • Interação com os colegas dos outros estados.
  • A atualidade e urgência do tema.
  • Dinâmicas, trabalhos em grupo.
  • A capacidade da docente de poder transmitir o assunto com muita clareza.
  • Tema das campanhas. Interação professora e colegas.
  • Conteúdo, domínio, interatividade.
  • Campanhas e segurança no trânsito.
  • Didática

Você recomenda o curso? Por quê?

  • Sim, são sempre momentos de enriquecimento pessoal e profissional.
  • Pelo profissionalismo e capacidade técnica e acadêmica da ministrante.
  • Sim, pela conscientização, acredito muito na educação, na formação da nova geração de condutores.
  • Porque é maravilhoso e indispensável.
  • Sim, é um curso com grande potencial, com assuntos e temas interessantes, Parabéns!
  • Sim, porque nos fornece dados para melhorar nossos trabalhos e abre novos horizontes.
  • Sim, pois eterniza valores à vida.
  • Sim, porque é uma maneira de pensar em um trânsito melhor.

14 de abr de 2011

Inscrições para o Processo Seletivo de Composição das Câmaras Temáticas do CONTRAN

MANDATO 2011 – 2013

O mandato da atual composição das Câmaras Temáticas do CONTRAN termina no próximo mês de setembro de 2011.

O regimento atual das Câmaras Temáticas estabelece que:

“O mandato dos membros da Câmara terá duração de dois (2) anos, admitidas reconduções”.

Diante disto, encontram-se abertas às inscrições para que órgãos e entidades indiquem especialistas associados ou integrantes de seus quadros para o processo seletivo de composição das Câmaras Temáticas.

Os atuais membros das Câmaras Temáticas que tenham interesse em pleitear sua recondução, deverão fazê-lo utilizando o mesmo procedimento dos demais pretendentes.

Não serão realizados convites, portanto, a inscrição é que habilita o órgão ou entidade a indicar especialista para o processo seletivo, para, dessa forma, caracterizar seu efetivo interesse em participar das reuniões das Câmaras Temáticas.

As despesas dos membros participantes das Câmaras serão suportadas pelos órgãos e entidades que representam.

Não serão aceitas inscrições encaminhadas por e-mail, dada a necessidade de análise da documentação original.

Informações poderão ser obtidas pelos telefones (61)2108 1811/1812/1813, ou ainda pelo e-mail camara.tematica@cidades.gov.br .

1. Cada inscrição deve ser composta por:

a) Solicitação do órgão ou entidade à qual pertence o especialista, informando para qual câmara é a indicação;

b) Cópia dos atos constitutivos da entidade (estatuto, regimento, etc.);

c) Informações sobre a abrangência (exceto para os indicados para representar os órgãos e entidades do Sistema nacional de Trânsito):

I - numérica (número de associados ou similares);

II - geográfica (número e localização das sedes e número de associados distribuídos no território brasileiro),;

d). Currículos dos especialistas indicados ( titular e suplente).

2. As inscrições deverão ser enviadas para:

DENATRAN

A/C Assessoria Técnica ao CONTRAN / ATEC

Setor de Autarquias Sul - Quadra 01, lote 01/06, bloco "H", Ed. Telemundi II Brasília/DF - CEP – 70.070 - 010

3. Data máxima de recebimento das inscrições ou postagem nos correios:

30 de junho de 2011

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DOS INSCRITOS PARA INTEGRAR AS CÂMARAS TEMÁTICAS DO CONTRAN

I. Introdução

As Câmaras Temáticas são órgãos técnicos de assessoramento ao Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN, integradas por especialistas representantes de órgãos e entidades da União, dos Estados ou do Distrito Federal, e dos Municípios pertencentes ao Sistema Nacional de Trânsito, e por especialistas representantes de segmentos organizados da sociedade relacionados com o trânsito.

Os segmentos da sociedade, serão representados por pessoas jurídicas, como determina o CTB em seu artigo 13.

As Câmaras têm como finalidade estudar e oferecer sugestões com embasamento técnico consistente sobre assuntos específicos para a tomada de decisões do CONTRAN.

II. Das Câmaras

Atualmente as Câmaras Temáticas são de:

1. Assuntos Veiculares;

2. Educação para o Trânsito e Cidadania;

3. Engenharia de Tráfego, da Sinalização e da Via;

4. Esforço Legal: infrações, penalidades, crimes de trânsito, policiamento e fiscalização de trânsito;

5. Formação e Habilitação de Condutores;

6. Saúde e Meio Ambiente no Trânsito.

III. Perfil dos Membros das Câmaras Temáticas

1. Ser servidor do órgão ou entidade de trânsito ou pertencer (associado/similar) à entidade que faz a indicação (conforme seu estatuto ou regimento);

2. Ter experiência na natureza da Câmara na qual sua entidade pleiteia ter representação, expressa no currículo enviado ao DENATRAN (a experiência poderá ser relevada no caso dos representantes de órgãos ou entidades de trânsito que não têm, entre suas competências atribuídas pelo CTB, aquela que é o tema da Câmara);

3. Dispor de tempo para estudar, analisar e relatar os temas em discussão na Câmara;

4. Não faltar às reuniões ordinárias e extraordinárias sob pena de substituição.

IV. A presença será verificada a cada dia de reunião, sendo considerada:

1. Meia falta, a ausência em um dos dias da reunião;

2. Uma falta, a ausência em todos os dias de duração da reunião.

V. Perderá o mandato e será substituída a representação que tiver:

1. Três meias faltam em três reuniões consecutivas;

2. Quatro meias faltam em quatro reuniões intercaladas;

3. Duas faltas em reuniões consecutivas;

4. Três faltas em reuniões intercaladas.

IV – Critérios para a seleção dos Órgãos e Entidades que Pleiteiam Representação nas Câmaras Temáticas:

1. O órgão ou entidade de trânsito deve estar integrado ao Sistema Nacional de Trânsito - SNT;

2. Para as entidades que pretendam indicar representantes na qualidade de segmentos da sociedade relacionados com trânsito, sua representatividade quanto à temática da Câmara e sua abrangência geográfica terão maior peso que o currículo do especialista, que mesmo assim deverá comprovar experiência na temática da Câmara.

Disponível em: http://www.denatran.gov.br/ct/ct_informacoes.htm

11 de abr de 2011

Pós-Graduações em Trânsito

Matrículas Abertas  

CEAT

Especialização modulada com três especializações em trânsito

SÃO PAULO
Pós graduação lato sensu em GESTÃO E DIREITO DE TRÂNSITO Pós graduação lato sensu em GESTÃO EM ENGENHARIA E OPERAÇÃO DE TRÂNSITO  

BLUMENAU
Pós graduação lato sensu em GESTÃO E DIREITO DE TRÂNSITO Pós graduação lato sensu em GESTÃO EM ENGENHARIA E OPERAÇÃO DE TRÂNSITO Faça o Donwload das informações e preços aqui. 

Breve abertura de novas turmas: Rio de Janeiro, Fortaleza e Belo Horizonte.

CESUMAR
 
Especialização em Planejamento em Gestão e Segurança no Trânsito - À distância  

Inscrições até: 13 de maio - Início das aulas: 21 de maio  
Inscrições até: 24 de junho - Início das aulas: 02 de julho  
Inscrições até: 19 de agosto - Início das aulas: 27 de agosto 
Inscrições até: 30 de setembro - Início das aulas: 08 de outubro  
Informações: http://www.ead.cesumar.br/pos/?pg=planejamento-e-gestao-de-transito.html 

FECILCAM

Pós-Graduação em Educação para o Trânsito III - 2011

Campo Mourão - PR


ICETRAN

Pós-Graduação em Gestão de Trânsito

Florianópolis

Rio de Janeiro
Informações: http://www.icetran.com.br/  

POSGRADUAR  

Pós-Graduação em Trânsito



 
BELO HORIZONTE - 30/04/2011 - Local do Curso: Rua dos Inconfidentes, 776 - Bairro Funcionários - Informações (31) 2551.0568 - bh@posgraduar.com.br

SÃO PAULO - 28/05/2011 - Local do Curso: Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 889 - 1º Andar - Vila Mariana - São Paulo Informações: São Paulo-(11) 5539-3735 e Belo Horizonte (31) 2551.0568 (ou pelo e-mail: bh@posgraduar.com.br


VITÓRIA - 14/05/2011 - lInformações pelo telefone (27) 3227.8558 - pelo e-mail bh@posgraduar.com.br

Pré inscrições pelo site: www.posgraduar.com.br

9 de abr de 2011

Respeito e Trânsito

Respeito às regas de trânsito

_ Vamos colocar o cinto, estamos chegando na polícia rodoviária. Não quero levar outra multa.

As leis de trânsito e toda a sinalização não foram criadas à toa. Antes da implementação, são realizados diversos estudos por especialistas. As principais finalidades dessas regras são a fluidez e a segurança no trânsito.

Esse respeito deve ser praticado para a garantia e promoção da segurança no trânsito e não apenas para escapar da multa.

Respeito aos limites do corpo

- Não sei por que essa “Lei Seca”, posso beber a vontade que to sempre bom pra dirigir.
- O Vadinho também falava isso e agora tá numa cadeira de rodas.
- O Vadinho é mais mole. Eu sou forte, comigo isso nunca vai acontecer.

Muitos motoristas se consideram “super-heróis”, ou seja, pensam que podem dirigir alcoolizados, ou que podem pegar a direção do veículo estando com sono que nada vai acontecer. Estão convictos que a violência viária só acontece com os outros.

Não existe super-herói, nosso corpo tem limites que precisam ser respeitados. Todas as pessoas que bebem ficam com falta de concentração, de visão e de reflexo, entre outros sintomas. Umas são mais sensíveis, outras menos, mas o efeito do álcool no organismo é evidente. Esse efeito não passa com cafezinho, nem com banho frio, apenas o tempo será capaz de eliminar o álcool do organismo.

Se não dormirmos o suficiente (em média 8 horas por noite), nosso organismo apresentará grandes alterações na atenção, na concentração e no tempo de reação. Os condutores precisam do horário de sono regular.

Respeito às condições adversas da luz e do tempo

As condições adversas são situações desfavoráveis que podem provocar uma violência viária. Respeitar as condições adversas é uma atitude de segurança e prevenção. Não podemos dirigir da mesma forma quando o tempo está ensolarado, ou chuvoso, por exemplo.

Excesso ou falta de luz

A luz natural ou artificial atua como condição adversa quando o seu excesso ou a sua falta dificultam a visibilidade necessária para o desempenho seguro na direção.

Nestas condições é necessário:

  • Ligar os faróis baixos, desde o pôr-do-sol até o amanhecer, mesmo em vias com iluminação publica.
  • Ao dirigir após o pôr-do-sol, Diminuir a velocidade e redobrar a atenção.
  •   Em estradas mal iluminadas, fixar o olhar pista de acostamento, faixas de sinalização, placas, olhos de gato, placas, entre outros.
  • Evitar olhar para os faróis de veículos em sentido contrário.  Olhar para a direita, nos pontos da via que sirvam de orientação, tais como os “olhos de gato” e a faixa de acostamento.
  • Se tiver dificuldade de enxergar à noite, não dirigir.
  • Ao entrar e sair de túneis, acender os faróis baixos e diminuir a velocidade, dando um tempo para os olhos se acostumarem à nova luminosidade.
  • Para proteger os olhos do sol, usar óculos escuros e a pala de proteção do veículo.

Chuva

Quando chove a pista fica muito escorregadia, dificultando a frenagem segura.

Nestes dias são necessárias as seguintes ações defensivas:

  • Acionar imediatamente o limpador de pára-brisas.
  • Aumentar a distância com relação ao veículo da frente.
  • Acionar a ventilação interna, para evitar o embaçamento e abrir “dois dedos” dos vidros laterais. Se a chuva estiver muito forte, estacionar o veículo e passar um anti-embaçante líquido.
  • Frear suavemente em pista molhada para evitar a derrapagem e o travamento de rodas.
  • Acender os faróis baixos, durante o dia. 
  •   Se a chuva estiver impedindo a visibilidade segura, procurar um local seguro e estacionar o veículo. Só parar no acostamento em caso de emergência, com as lanterna acesas.
  • Evitar ultrapassagens em chuva forte. Caso precise realmente fazer tomar o máximo de cuidado, o veículo que vai à frente pode levantar uma nuvem de água contraseu veículo.

Ventos fortes

Ventos laterais fortes provocam a desestabilização do veículo, principalmente em alta velocidade.  Quanto maior a velocidade do veículo, mais leve ele fica. É nessa situação que o veículo começa a balançar, podendo até se desgovernar.

Quando há ventos fortes, é necessário tomar os seguintes cuidados:

  • Reduzir da velocidade
  • Segurar o volante com firmeza e ficar atento às necessidades desvio, devido às lufadas de ar.
  • Deixar os vidros abertos para evitar a ação do vento.

Cerração e Neblina

A neblina e a cerração são fatores de risco para a circulação de veículos. Se houver neblina ou cerração, devem ser tomados os seguintes cuidados:

  • Redução da velocidade.
  • Usar as lanternas e as setas para alertar os outros motoristas.
  • Acender os faróis baixos para evitar o ofuscamento dos outros motoristas e enxergar melhor a pista.
  • Usar os faróis dos veículos em sentido oposto como referência, mas não olhar de frente.
  • Usar a sinalização da pista e os olhos de gato como apoios visuais. Mas, quando não existe sinalização, acompanhar a faixa de acostamento.
  • Nunca ultrapassar.
  • Aumentar a distância do veículo da frente e sinalizar cada movimento que fizer.
  • Ligar o limpador de pára-brisas.
  • Se estiver muito forte e não existir outra opção, parar no acostamento e aguardar até que ela diminua, tomando o cuidado de ligar o pisca-alerta.

 Respeito os outros

O trânsito é um espaço democrático, onde não há distinção de classe social, raça, idade, cultura. Todos têm os mesmos direitos e deveres, todos também correm o mesmo risco. No entanto, no dia-a-dia presenciamos, principalmente entre os condutores, várias manifestações de preconceito. Um deles é o preconceito contra a mulher motorista.

Frases do tipo “Mulher no volante perigo constante”, “Só podia ser uma mulher para fazer essa barbeiragem”, são ofensivas e sem argumentação. Opiniões de pessoas preconceituosas que ignoram as estatísticas.
 Com base no anuário estatístico do DENATRAN - RENAEST 2008, pode-se afirmar que em cada 20 veículos que circulam nas vias, apenas 6 são conduzidos por mulheres.

De cada 20 motoristas que se envolveram em acidentes de trânsito, em 2008, em média, 17 foram homens e 3 foram mulheres.

De cada 20 vítimas fatais por causa da violência no trânsito, 17 em média, foram do sexo masculino e 3 do sexo feminino.

De cada 20 feridos nas estradas, em 2008, em média 15 foram homens e 5 foram  mulheres. Vale lembrar que muitas mulheres são vítimas da violência no trânsito por que são passageiras em veículos conduzidos por homens.

“Perguntas que não querem calar”:

  • Por que as mulheres são consideradas um perigo no trânsito?
  • Qual a argumentação para essa acusação?
  • É mais seguro ir de carona com os homens ou com as mulheres?


É perceptível também o preconceito contra os idosos e os motoristas aprendizes. É importante reconhecer a falta de experiência do motorista jovem. A falta de agilidade do motorista idoso. Temos que aceitar essas diferenças, elas fazem parte do contexto do trânsito, todos os motoristas já foram aprendizes e todos ficarão idosos e também terão menos agilidade ao transitar.

Respeitar os outras significa também respeitar o espaço dos outros. Na época dos “Mamonas Assassinas”, eu tinha um vizinho que adorava eles, ouvia o dia todo o CD do grupo, era “roda, roda, roda, vira, vira, vira”, “o robô kop gay”, “você me deixa doidão”, eu sabia todas as letras, pois ele colocava o som com uma altura que todos os seus vizinhos tinham que participar sob pressão do seu prazer. Ocupava o meu silêncio, não podia ler, nem ver TV e escolhia, sem me consultar, o repertório musical que eu ia ouvir.

Essa falta de respeito ao espaço público e privado continua lá no trânsito.  É rotina vermos motoristas que circulam no acostamento, ciclistas que pedalam nas calçadas, pedestres que andam na ciclovia.
Irene Rios