Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

29 de out de 2010

Cidade retira toda sinalização e diminui acidentes

Engenheiro holandês pregava cidades sem placas Um viajante desavisado que chega às cidades holandesas de Makkinga e Drachten pode se sentir perdido nos primeiros minutos: elas não têm placas de sinalização de limite de velocidade, lombadas, radares e nem mesmo semáforos. Apenas a direção das ruas aparece em pequenos sinais. E, por incrível que pareça, todo mundo parece se entender: carros, bicicletas (muito populares na Holanda) e pedestres circulam em harmonia e em baixa velocidade. Por trás dessa ideia maluca está o engenheiro de tráfego Hans Monderman, holandês que faleceu em 2008 aos 62 anos e que pregava que a sinalização, ao invés de educar, só piora as condições de segurança. Em Drachten, o número de acidentes no centro caiu de oito por ano para zero a partir de 2003, quando o sistema foi implantado. Segundo Monderman, por trás disso está o princípio de que, quando o motorista sente que não está amparado por regras rígidas, ele presta mais atenção no que interessa – os outros carros, os pedestres e as ruas – e menos naquilo que é desnecessário – ou seja, o excesso de sinais dizendo como ele deve agir. "Quando você trata as pessoas como idiotas, elas agem como idiotas", dizia o engenheiro. De acordo com as ideias do holandês, apenas tirar a sinalização não basta. Medidas como diminuir a largura das pistas, fazendo com que o motorista se sinta dentro de um vilarejo e não em uma autoestrada, são fundamentais. “Existe o mundo das rodovias, todo padronizado e cheio de regras, e o mundo social, onde as pessoas convivem. As cidades não devem ser rodovias, devem ser um mundo social”, pregava. A experiência holandesa também foi adotada na cidade de Bohmte, na Alemanha, e em Norrkoping, na Suécia. Em Londres, uma importante rua da região central, a Kensington High Street, adotou princípios parecidos e viu sua cota de acidentes diminuir drasticamente.
Fonte:
http://vcnotransito.terra.com.br/vc_no_transito_integra.php?pagina=6&id=163 - acesso em 29/10/2010

26 de out de 2010

Curso de Capacitação em Educação para o Trânsito, em São José - SC (Avaliação)





Curso realizado nos dias 23 e 24 de outubro de 2010, em São José/SC.

Docente IRENE RIOS, especialista em Ambiente, Gestão e Segurança de Trânsito e em Metodologia de Ensino; Professora de Educação de Trânsito na Universidade CESUMAR, de Educação de Trânsito para Crianças e Adolescentes, no CEAT - Centro de Estudos Avançados e Treinamento - São Paulo, de Educação no Trânsito e de Campanhas Educativas de Trânsito na UNIVALI – Universidade do Vale do Itajaí; Autora de Artigos e livros sobre Educação para o Trânsito.

Participação especial do professor de oratória, Acácio Garcia.




Pontos de destaque do Curso segundo os participantes  
  • Conteúdo, troca de experiências, material visual, palestra de oratória com o Prof. Acácio Garcia.
  • Planejamento de projetos, motivação e ética de princípios morais. 
  • Palestra de oratória excelente, motivação. 
  • Temas abordados.  Pontualidade, coffe breack, domínio do conteúdo.
  • Quando elaboramos as atividades propostas.
  • A metodologia aliada ao domínio dos conteúdos.
  • As dinâmicas e atividades práticas proporcionaram um bom aproveitamento do curso. As dicas de oratória também foram muito interessantes.
  • A educação do trânsito sempre é muito bom estar se aperfeiçoando.
  • Material apresentado com vídeos, a interação do grupo, a dinâmica feita.
  • Vários, podendo destacar a palestra de oratória, os debates, a interação e o domínio do assunto.
  • Vasto conteúdo.
  • As construções dos trabalhos práticos. Aplicação do curso no local de trabalho e de maneira diferente, com mais entusiasmo.
  • Gostei muito do conteúdo, principalmente a questão de ser um material bem atualizado, contendo a fonte das informações. Apostila bem elaborada, objetiva, esclarece os assuntos sem rodeios.

Depoimentos

"Aprendi bastante, com certeza sempre vou lembrar deste curso com bastante carinho." (Daiane Cardoso da Silva – Capivari de Baixo – SC) 

"O curso foi bem ministrado e rico em seu conteúdo, a didática empregada foi bem interessante e proveitosa." (Alexandre Roger Demaria – Joinville – SC) 

"Para mim o curso foi bastante satisfatório, atendendo as minhas expectativas, com o acréscimo do professor Acácio que só enriqueceu nossos conhecimentos, tornando mais agradável a tarde de domingo. Professora Irene Rios, foi um prazer está em sua companhia, já lhe admirava antes, só cresceu minha admiração." (Maria da Glória Silveira Furtado – Eldorado do Sul – RS)  

"Pelo conhecimento da instrutora Irene Rios e pela motivação que ela nos mostra, para que possamos passar com carinho, dedicação e acima de tudo acreditar que a Educação para o Trânsito é primordial em nossas vidas." (Daiane Guedes da Rosa – São José – SC).








Forme uma turma em sua cidade!

Contatos:
(48) 3246-8038
(48) 8496-1702

25 de out de 2010

Ciclo de capacitação terá 1.080 agentes da 3ª Idade

As palestras vão acontecer entre 25 de outubro e 10 de novembro em todas as Ruas da Cidadania
Mais de mil idosos vão participar, a partir da próxima semana, de um ciclo de capacitação para melhorar a segurança do idoso no trânsito. Iniciativa da Urbs, Urbanização de Curitiba S/A e da Secretaria Municipal da Saúde, a capacitação de Agentes de Trânsito da 3ª Idade é uma ação preparatória para atividades de rua de conscientização de motoristas e pedestres para a importância da faixa de pedestres. Com o tema “A terceira idade e o trânsito”, a capacitação dos idosos será feita com palestras apresentadas por agentes de fiscalização de trânsito, com apoio de técnicos de saúde e educação física, em turmas de 60 idosos, pela manhã e à tarde. As palestras vão acontecer entre 25 de outubro e 10 de novembro em todas as Ruas da Cidadania e na Administração Regional do Cajuru. Em cada turma serão selecionados dez idosos voluntários para participar das Blitze de Pedestres que serão feitas a partir de novembro em diferentes pontos da cidade. A capacitação foi incluída no roteiro de atividades de grupos de convivência já existentes nas Regionais. O objetivo, explica a diretora de trânsito da Urbs, Rosangela Battistella, é orientar o idoso para maior segurança nas ruas. A ideia, explica, é que o idoso conheça melhor a realidade do trânsito e suas próprias limitações físicas e seja também um multiplicador destas informações. Como exemplo, ela cita a importância de o idoso reconhecer o tempo que ele precisa para atravessar uma rua podendo calcular o tempo que precisará para fazer a travessia em segurança. Os 1.080 idosos vão receber certificado da capacitação e o título de Agente do Trânsito da 3ª Idade, em evento com data ainda a ser definida, reunindo todos os participantes. A capacitação vai começar na próxima segunda-feira, 25, com turmas às 9h e às 14h, na Rua da Cidadania do Bairro Novo. Nos dias 26, 27 e 29, as palestras vão acontecer, respectivamente, nas Ruas da Cidadania da Matriz, Cidade Industrial e Unidade de Saúde Iracema, no Cajuru. Nos dias 4, 5, 8,9 e 10, as palestras serão nas regionais Santa Felicidade, Pinheirinho, Boa Vista, Boqueirão e Portão. Curitiba tem cerca de 200 mil idosos e uma frota de 1 milhão e 150 mil veículos. Os idosos têm isenção de tarifa no transporte coletivo, a partir de 65 anos de idade, e vagas exclusivas em estacionamentos públicos e privados, a partir de 60 anos de idade. O uso destas vagas é condicionado à colocação, no painel do carro de credencial fornecida pela Urbs. Atualmente, cerca de 35 mil idosos curitibanos têm credencial para estacionamento exclusivo. Fonte: http://www.bemparana.com.br/index.php?n=160985&t=ciclo-de-capacitacao-tera-1080-agentes-da-3-idade - Acessado em 25/10/2010

21 de out de 2010

Curso de Inclusão da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida na Educação para o Trânsito

O curso tem como objetivo principal a conscientização da população no que diz respeito às pessoas com deficiência e o processo de inclusão delas na sociedade. A quem se destina - Educadores; - Profissionais de ONGs; - Cuidadores; - Interessados no tema. Conteúdo Aula 00 - Ambientação no Blackboard Objetivos: Conhecer os recursos midiáticos do Ambiente virtual e promover integração dos participantes. - Tutorias das ferramentas colaborativas; - Apresentação da navegação do curso; - Dicas de organização do tempo para estudo; - Publicação do perfil dos participantes; - Atividade de integração: Fórum de Apresentação. Aula 01 - Pessoas com deficiência: história e relacionamento Objetivos: Conscientizar o público a respeito do contexto histórico da pessoa com deficiência e o relacionamento com elas. - Contexto mundial e brasileiro das pessoas com deficiência; - Dados brasileiros; - Conhecendo cada deficiência - física, auditiva, visual, intelectual e múltipla. Aula 02 - Direitos das pessoas com deficiência Objetivos: Sensibilizar o público a respeito da importância da Convenção sobre os Direitos das pessoas com deficiência, bem como a importância e o conceito do Desenho Universal. - Aspectos legais relevantes sobre a pessoa com deficiência; - Convenção sobre os direitos da pessoa com deficiência; - Acessibilidade - definição; - Desenho Universal - conceito e princípio; Aula 03 - Inclusão X Integração: o processo da pessoa com deficiência no Ensino Infantil e Fundamental Objetivos: Apresentar ao público os processos de inclusão e integração e o processo de inclusão da pessoa com deficiência no Ensino Infantil e Fundamental. - Inclusão e integração; - Autonomia, independência e empoderamento; - Alunos com deficiência no Ensino Infantil; - Alunos com deficiência no Ensino Fundamental; - Inclusão e exclusão. Aula 04 - Circulação urbana da pessoa com deficiência Objetivos: Apresentar ao público como se dá a circulação urbana da pessoa com deficiência. - Circulação e mobilidade do pedestre; - A cidade e a pessoa com deficiência e mobilidade reduzida; - Cuidados na rua - dicas de segurança para a circulação urbana; - A educação para o trânsito - ações direcionadas para a cidadania. Carga horária O curso terá carga horária de 20h distribuídas em quatro aulas, a serem cursadas durante o período de 2 semanas. Método e avaliação Modelo pedagógico baseado na combinação de atividades colaborativas, aprendizagem orientada pelo tutor e auto-aprendizagem. Os alunos serão avaliados, considerando a participação em 75%, no mínimo, das atividades do curso. Início do curso As orientações e a data de início da turma serão enviadas por email. A efetivação da matrícula e indicação de turma está condicionada ao número de participantes necessário para a realização do curso. Mantenha sua caixa postal vazia sob risco de não receber nossas comunicações. Observações A CET reserva-se o direito de alterar datas, horários, ou cancelar o programa. A qualquer momento, poderá ser solicitado, documentação que comprove as informações prestadas pelo aluno. Certificação A CET confere certificado, que será enviado por email aos alunos aprovados no curso. Requisitos tecnológicos - Acesso à internet por linha discada (conexão mínima 56 k) ou banda larga - Linux, Windows XP ou superior - Possuir endereço eletrônico - Plug-in dos aplicativos: Flash Player, Acrobat Reader, Media Player, Java Runtime Environment - Browsers de navegação: Internet Explorer versão 7.0 ou superior; Mozilla Firefox 2.0 ou superior (sem bloqueador de pop-up) - Mínimo de 128 Mb de memória Ram - Drive leitor de CD Rom - Placa de som - Caixas de áudio ou fone de ouvido - Microfone (em caso de conferências de áudio) Informações e Inscrições: http://cetsp1.cetsp.com.br/ead/DescricaoCurso.aspx?curso=MR

20 de out de 2010

Pós Graduação em Joinville - Gestão, Educação e Direito de Trânsito

Professores convidados e confirmados
Emerson Luiz Andrade - Policial Militar, Especialista em Ambiente, Gestão e Segurança de Trânsito, Diretor geral do Trânsito – Gaspar - SC.
Irene Rios - Especialista em Ambiente, Gestão e Segurança de Trânsito e em Metodologia de Ensino; Consultora, conferencista e autora de artigos e livros na área de Educação para o Trânsito.
Ricardo Alves da Silva - Capitão da Polícia Militar de Santa Catarina, Pós Graduado em Gestão e Segurança no Trânsito, , Membro atual da JARI Estadual de Concórdia - SC, Membro do Grupo Técnico para Estudos de Assuntos de Trânsito da PMSC e Instrutor do Curso de formação de Soldados da PMSC, autor do livro : Código de Trânsito Brasileiro, “tudo o que precisa saber sobre as infrações de Trânsito.
MATRÍCULA E MAIS INFORMAÇÕES: http://www.comuniquecenter.com.br/ Ester Hoegen Fone 047 3026 1556 047 9929 7556 Email: ester@comuniquecenter.com.br

16 de out de 2010

Por que educar crianças e adolescentes para o trânsito?

Estatuto da Criança e do Adolescente 

"Art. 1º Esta Lei dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente.

Art. 2º Considera-se criança, para os efeitos desta Lei, a pessoa até doze anos de idade incompletos, e adolescente aquela entre doze e dezoito anos de idade. (...) Art. 7º A criança e o adolescente têm direito a proteção à vida e à saúde, mediante a efetivação de políticas sociais públicas que permitam o nascimento e o desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência. (...) Art. 15. A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis.

Art. 16. O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos: I - ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários, ressalvadas as restrições legais; (...) Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.
 
Art. 18. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor".
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm (acesso em 08/06/2010) O Estatuto da Criança e do Adolescente assegura direitos iguais sem distinção ou discriminação. 

Nos artigos 7º, 15º, 16º, 17º e 18º está destacado que as crianças e os adolescentes brasileiros têm o direito à vida, ao respeito, à dignidade, à saúde, o direito de ir, vir e estar com segurança em locais públicos. Porém, muitos vivem em condições precárias, com vários direitos negados, até mesmo os requisitos básicos para sobrevivência como a segurança ao transitar. Cabe salientar que as leis de trânsito, perante os documentos oficiais, são dirigidas a toda a sociedade brasileira sem limite de idade. No entanto, as crianças e os adolescentes têm sido vítimas da violência viária

As principais causas de morte na faixa etária de 1 a 19 anos, no Brasil, em 2008, são as externas. Entre essas causas externas a violência no trânsito foi a segunda causadora de óbitos entre as crianças e os adolescentes, somando 5.209 vítimas fatais. Observamos também que na faixa etária entre 4 e 14 anos é a principal causa das mortes, somando 1.434. http://viverseguronotransito.org.br/blog/wp-content/uploads/2010/03/Otaliba-Libanio.pdf (acesso em 09/06/2010)  

É preciso lembrar que as crianças e os adolescentes serão nossos futuros motoristas. Portanto a construção de atitudes éticas deve iniciar nesta fase. As aprendizagens e os valores construídos na infância e na adolescência ficam guardados na memória e são usados por toda vida. Além disso, podemos considerar as crianças e os adolescentes grandes aliados em prol da educação para o trânsito. 

A criança orienta o adulto”, certamente o pai atenderá ao pedido de seu filho para colocar o cinto de segurança, para dirigir com mais cuidado. Devemos lembrar, no entanto, que a responsabilidade sobre a segurança do adulto no trânsito não é dela, que está na fase das descobertas, da brincadeira e que a ordem natural é o pai orientar o filho.
 
Irene Rios

8 de out de 2010

4º Seminário Cetran/SC de Educação, Segurança e Administração do Trânsito

“O trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito” (Art. 1.°, §2° do CTB- L. 9.503/97).
O mencionado pressuposto fundamental foi estabelecido pelo Código de Trânsito Brasileiro, sendo que, para viabilizar a sua consecução, instituiu o Sistema Nacional de Trânsito, conferindo ao CETRAN - Conselho Estadual de Trânsito, o status de órgão máximo do sistema no Estado, competindo-lhe várias funções institucionais, entre elas a incumbência de acompanhar e coordenar as atividades de educação, segurança e administração do trânsito.
Nesse sentido, este Órgão tem realizado diversos eventos voltados para a capacitação do pessoal técnico envolvido na implementação do sistema de trânsito no Estado, estimulando o estudo e a atualização constantes da complexa e dinâmica legislação que envolve o tema.
Assim, o CETRAN/SC em parceria com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão, o DETRAN/SC e o Município de Joinville, promoverão nos dias 22 e 23 de novembro de 2010 o 4° Seminário CETRAN de Educação, Segurança e Administração do Trânsito, onde através de palestras e debates acerca de assuntos polêmicos da área, se almeja a consagração do direito da sociedade catarinense e obrigação dos órgãos componentes do Sistema Nacional de Trânsito, ou seja, o trânsito em condições seguras. Programação
22/11/2010 – Segunda-feira
8h30 - Credenciamento
9h30 - Cerimônia de abertura do Evento
10 horas– 1ª Palestra: Os operadores do Direito têm contribuído para a realização do trânsito seguro? Por quê? [Palestrante: CASSIO HONORATO MATTOS - Promotor de Justiça no Estado do Paraná, exercendo funções institucionais do Ministério Público junto à Comarca de Curitiba (Foro Regional de Colombo), Mestre em Direito pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR - Jacarezinho/PR), Oficial da Reserva da Polícia Militar e Especialista em Trânsito Urbano e Rodoviário pelo Comando de Policiamento Rodoviário do Estado de São Paulo, Professor em cursos de graduação e de Pós-Graduação em Direito e Gestão de Trânsito].
11h30 - Almoço
13h30 – 2ª Palestra: TRÂNSITO – FENÔMENO SOCIAL: Oportunidades educativas de responsabilidade da fiscalização e dos órgãos do SNT [Palestrante: JOSÉ LELES DE SOUZA - Doutor em Engenharia de Transportes pela USP/São Carlos, possui mestrado em Transportes pela Universidade de Brasília (1995). Presidente do Instituto de Certificação e Estudos de Trânsito e Transportes - ICETRAN, Conselheiro do Conselho Estadual de Trânsito de Santa Catarina, Membro da Câmara Temática de Educação e Cidadania do CONTRAN - Conselho Nacional de Trânsito].
14h15 – 3ª Palestra; Aprimoramento da legislação de trânsito para motociclistas [Palestrante: LUCAS PIMENTEL – Graduado em Teologia, Presidente da ABRAM - Associação Brasileira de motociclistas, Coordenador do Programa de Prevenção de Acidentes com Motocicletas – PRAM, Autor de: Livro Duas Rodas e um destino; livreto O Forasteiro; Cartilha 12 Mandamentos do Motociclista, Calendário Educativo Permanente, entre outros, membro titular da Câmara Temática de Educação para o Trânsito e Cidadania do CONTRAN].
15 horas - Coffee Break
15h30 – 4ª Palestra: Educação para o trânsito com qualidade [Palestrante: IRENE RIOS DA SILVA - Graduada em Letras - Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, pela Universidade Federal de Santa Catarina, Pós-graduada em Metodologia de Ensino pela Universidade do Sul de Santa Catarina e em Gestão de Trânsito Pela Universidade Estácio de Sá/SC, leciona a matéria campanhas educativas de trânsito em cursos de graduação e de Pós-graduação].
16h15 – 5ª Palestra: Alterações previstas para o Código de Trânsito Brasileiro [Palestrante: Marcelo José Araújo - Advogado e Consultor de Trânsito; Professor de Direito de Trânsito das Faculdades Integradas Curitiba]. 23/11/2010 – Terça-feira 08h30 – 6ª Palestra: A história da fiscalização de trânsito no Brasil [Palestrante: RONALDO BOERNGEN - Possui graduação em Cinema pela Escola de Comunicações e Artes (1978), graduação em Licenciatura em História - Faculdades Associadas do Ipiranga (1974), graduação em Bacharelado em Geografia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (1990), graduação em Licenciatura em Geografia pela Faculdade de Educação da USP (1991), graduação em Bacharelado em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (1988) e mestrado em Geografia Humana pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (2002). Atualmente é colaborador do Centro de Estudos Avançados e Treinamento - Trânsito e professor da Faculdade Chafic e da Faculdade Santa Marina. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Métodos e Técnicas de Ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: Transportes no turismo, Geografia e Turismo, História da Educação e Desenho Animado].
09h30 – 7ª Palestra: Os pareceres e resoluções do CETRAN/SC como forma de efetivar a aplicação da Legislação de Trânsito [Palestrante: JOSÉ VILMAR ZIMMERMANN - Conselheiro indicado pela FECTROESC e Vice-presidente do CETRAN/SC, Tecnólogo em Gestão e Segurança no Trânsito, Pós-graduando em Gestão e Direito de Trânsito].
10h15 - Coffee Break
10h45 – 8ª Palestra: Educação para o Trânsito – Ações que transformam [Palestrante: EDUARDO BARTNIAK FILHO - Engenheiro Civil, Diretor de Trânsito da Companhia de Desenvolvimento e Urbanização de Joinville – CONURB, Conselheiro Representante de Joinville no CETRAN/SC, Presidente do Conselho dos Municípios Integrados ao Sistema Nacional de Trânsito de Santa Catarina – COMITRA/FECAM].
11h30 - Almoço
13h30 – 9ª Palestra: Embriaguez ao volante: O papel da fiscalização [Palestrante: RICARDO ALVES DA SILVA - Oficial da Polícia Militar de SC; Pós Graduado em Gestão e Segurança no Trânsito; Professor universitário; Membro da JARI Estadual de Concórdia/SC e do Grupo técnico para assuntos de trânsito da PM/SC; Autor do livro “Tudo o que você precisa saber sobre as infrações de trânsito”].
14h30 – 10ª Palestra: Multar ou não multar – eis a questão [Palestrante: JULYVER MODESTO ARAÚJO - Mestre em Direito do Estado, pela PUC/SP, com Especialização em Direito público, na Escola Superior do Ministério Público de SP. Oficial da Polícia Militar do Estado de SP, tendo exercido diversas atividades relacionadas ao policiamento de trânsito, de 1996 a 2008. Coordenador e Professor dos Cursos de Pós-graduação em trânsito do CEAT - Centro de Estudos Avançados e Treinamento / Trânsito e Presidente da ABPTRAN - Associação Brasileira de Profissionais do Trânsito].
15h30 - CERIMÔNIA DE ENCERRAMENTO
16 horas - ENTREGA DOS CERTIFICADOS

3 de out de 2010

Semana Nacional de Trânsito - 2010 - DETRAN de Rondônia

Cinto de Segurança e Cadeirinha

A Semana Nacional de Trânsito se realizou no período de 18 a 25 de setembro de 2009, em todo o território nacional, através dos órgãos ou entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, cujo tema estabelecido pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) para o exercício de 2010 é “Cinto de Segurança e Cadeirinha”. O tema foi trabalhado por todos os órgãos do Sistema Nacional de Trânsito (SNT) durante o decorrer do ano. O objetivo foi o de desenvolver atividades que incentivem aspectos como respeito, tolerância e solidariedade no trânsito.


No dia 17/09/2010 ocorreu a solenidade de abertura da Semana Nacional de Trânsito, que visou promover a divulgação da mesma a sociedade de Porto Velho. Estiveram presentes autoridades do Estado, representantes de Instituições Públicas e Privadas, Presidentes de associações, servidores do DETRAN e a comunidade em geral.

Durante a abertura houve palestra de Educação de Trânsito ministrada pela Especialista em Educação de Trânsito Irene Rios bem como momento cultural com a apresentação do coral do projeto Anjos do Trânsito. Ao todo estiveram presentes cerca de 250 pessoas.


Fonte:
http://www.detran.ro.gov.br/pgdetalhe.asp?item=1989 - Acesso em 03/10/2010

2 de out de 2010

Primeiro táxi elétrico do Brasil começa a circular no Paraná

Começou a circular nesta quinta-feira (30), em São José dos Pinhais, o primeiro táxi elétrico do Brasil. O veículo atenderá os usuários do Aeroporto Afonso Pena, onde a Copel instalou o primeiro ponto de para recarga para automóveis elétricos, chamado de eletroposto. “Mais uma vez, o Paraná sai na frente. Esse veículo elétrico é o primeiro de uma frota limpa. Lançamos aqui uma tendência que, esperamos que dentro em breve, se estenderá a ônibus, vans e carros de passeio”, disse o governador Orlando Pessuti. O veículo elétrico que passa a ser testado como táxi é um projeto que envolve estudos conjuntos da Copel, Itaipu Binacional e Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec). Com as baterias totalmente carregadas, o automóvel possui autonomia para rodar 150 quilômetros. São necessárias oito horas para a recarga total, mas o eletroposto da Copel também permite cargas rápidas, realizadas em 30 minutos. Um dos objetivos dos testes é desenvolver tecnologia para que o tempo de recarga total não ultrapasse cinco minutos. Ainda não há custos definidos para a energia disponível no eletroposto, mas estima-se que a carga cheia custe entre R$ 5 e R$ 8. Para a recarga do veículo, o motorista usa um cartão pré-pago desenvolvido pelo Lactec, que libera o crédito para a energia. “Logo, o motorista poderá o abastecer o automóvel com energia, e o débito será lançado na conta mensal da Copel”, adiantou Pessuti. Segundo ele, o Paraná espera ver constituída uma frota de veículos elétricos até a Copa do Mundo de 2014, que terá Curitiba como uma das sedes. “Este projeto mostra que nossa capital tem condições não apenas de sediar jogos da Copa, mas também de desenvolver uma infra-estrutura avançada na área de energia, tanto com os eletropostos quanto com a implantação de uma rede inteligente de energia, o chamado smart grid”. Os automóveis elétricos são mais silenciosos, menos poluentes e têm custos de manutenção e de rodagem mais baixo que os dos similares à combustão. O quilômetro rodado do carro elétrico chega a custar 20% do de um carro a gasolina, álcool ou diesel. “Ampliar a rede de eletropostos é uma das primeiras medidas para popularizar o uso do carro elétrico”, afirmou o presidente da Copel, Ronald Ravedutti. A empresa trabalha para abrir novos pontos de abastecimento em Ponta Grossa, Cascavel e Foz do Iguaçu. POLUIÇÃO ZERO - O veículo elétrico disponível para uso e experimentação dos passageiros que desembarcam no Afonso Pena foi montado há dois anos, por meio de um trabalho de pesquisa em parceria envolvendo a Copel, Itaipu Binacional, Lactec (Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento) e empresas privadas. Para este projeto experimental do táxi elétrico, a Copel firmou um convênio com a Infraero, Prefeitura de São José dos Pinhais e Cooperativa Aerotáxi. O uso do veículo como táxi tem o objetivo de iniciar um estudo sobre o impacto que esta nova tecnologia terá no sistema elétrico quando os paranaenses começarem a usar este tipo de automóvel. Além de ser muito mais econômico que os veículos com motor a combustão, a emissão de poluentes de um carro elétrico é praticamente nula, considerando que a energia elétrica no Brasil é produzida quase na totalidade por usinas hidrelétricas. “Com a disponibilização deste táxi à população, damos início à primeira fase do estudo de implantação de eletropostos no Paraná e, também, apresentando o carro elétrico à população para que ela note os benefícios ambientais que ele traz”, explicou o presidente da Copel, Ronald Ravedutti. O custo do quilômetro rodado com um carro elétrico equivale a 20% do de um veículo movido a gasolina. Além disso, requer menos manutenção porque tem mecânica mais simples, não polui o meio ambiente e não emite ruídos. O Brasil conta atualmente com 30 eletropostos que se prestam à recarga dos veículos elétricos do projeto liderado por Itaipu, de acordo com Nilton Pohl Ribas, presidente do Lactec. A Copel divulgou recentemente que pretende investir R$ 350 milhões em tecnologias de modernização da rede elétrica de Curitiba e Região Metropolitana até 2014. PESQUISAS- A União Européia estabeleceu a meta de ter 5% de sua frota composta por veículos elétricos até 2020. A futura substituição dos automóveis com motor a combustão por motores elétricos terá impacto na logística para abastecimento destes automóveis, com a necessidade da implantação de eletropostos ou postos de substituição de baterias pelas concessionárias de energia elétrica. “Soluções como a dos eletropostos e dos postos de substituição de baterias envolvem altos investimentos por parte das distribuidoras de energia, exigindo estudos para a análise do impacto na qualidade do fornecimento e no aumento da demanda”, afirmou o responsável pelo projeto do carro elétrico na Copel, o engenheiro eletricista Otto Armin Doetzer. Segundo o engenheiro, o projeto de demonstração possibilitará o início de estudos sobre o desempenho do veículo e seu impacto sobre o sistema elétrico, trazendo mais subsídios para o desenvolvimento dos postos elétricos e sobre qual a melhor forma de fazer a cobrança da energia utilizada para a carga da bateria. Além disto tudo, explicou Doetzer, é uma forma de se testar a aceitação do carro pelos motoristas e passageiros. “A partir da divulgação deste projeto, espera-se que outros fabricantes forneçam veículos elétricos para estudos”, afirmou. Neste caso, a Copel forneceria a infra-estrutura necessária para recarga. PROJETO EXPERIMENTAL - Quem quiser experimentar o táxi elétrico precisa comprar o voucher no guichê da Cooperativa Aerotáxi, que participa da experiência, no saguão do aeroporto. O passageiro terá um desconto de 20 reais no valor total da corrida. A compra direta no balcão da cooperativa é a forma mais adequada de controlar se o carro está disponível ou não para rodar e, também, porque ele não tem taxímetro. Ou seja, as corridas precisam ser pré-pagas. O aeroporto foi escolhido para o teste devido à facilidade de gerenciamento do uso do carro e por causa da grande circulação de pessoas pelo local. O carro elétrico que está sendo usado no projeto experimental da Copel tem autonomia para rodar 100 quilômetros quando abastecido com carga cheia. Ele possui uma bateria que requer oito horas de recarga para ficar completa. Ainda não há valores exatos do custo da recarga, mas estima-se que a carga cheia deverá custar entre 5 e 8 reais Fonte: http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=59521&tit=Primeiro-taxi-eletrico-do-Brasil-comeca-a-circular-no-Parana&ordem=70000 - acesso em 02/10/2010