Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

14 de set de 2010

Educação no trânsito e formação humana

Art. 74 - A educação para o trânsito é direito de todos e constitui dever prioritário para os componentes do Sistema Nacional de Trânsito. Art. 76 - A educação para o trânsito será promovida na pré-escola e nas escolas de 1º, 2º e 3º graus, por meio de planejamento e ações coordenadas entre os órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito e de Educação, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, nas respectivas áreas de atuação. Qual a importância que estamos dando ao que vemos e ouvimos, quando falamos de Trânsito? O que será necessário acontecer, para tomarmos consciência da importância da EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO em nossa cidade? Se os poderes públicos se calarem, as tristes realidades enfrentadas e vividas e os recentes acontecimentos, farão a sociedade petropolitana clamar por alguma resposta. Temos percebido o aumento dos casos de acidentes de trânsito e muitos deles fatais, invertendo a ordem natural da vida. Quando o filho perde um dos pais, dizemos que ele fica órfão; quando o marido perde a esposa ou a esposa o marido, dizemos que um deles fica viúvo; agora, você saberia dizer qual o nome que se dá aos Pais que perdem seus filhos em acidentes de trânsito? Não? Pois é, como a ordem natural é o mais novo enterrar o mais velho, não existe adjetivo para o fenômeno dos pais que vêem seus filhos perdendo suas vidas precocemente no trânsito. Prefiro utilizar o termo de Fernando Diniz, fundador da ONG Transitoamigo, que teve seu filho morto em um acidente de trânsito em março de 2003. “Sou um Pai órfão de filho”. De 18 a 25 de setembro, comemoramos a Semana Nacional de Trânsito, mas será que somente neste período é que devem ser desenvolvidas ações voltadas para Educação e prevenção no trânsito? Neste ano de 2010, você seria capaz de lembrar quantos acidentes de trânsito, fizeram parte das manchetes nos jornais de nossa cidade? E quantos destes deixaram vítimas fatais? Quantos famílias mutiladas, quantos pais órfãos de filhos? De nada adianta grandes realizações para a fluidez do trânsito, se não temos ações que as implemetem com trabalhos voltados para Educação e Prevenção. Devemos ter sempre em mente que os transportes escolares de hoje estão repletos de “Motoristas do Amanhã”. Qual o nosso papel para que tenhamos motoristas de qualidade? Será que em nossa cidade os artigos citados acima estão fazendo parte do nosso cotidiano? E como pais, estamos fazendo a nossa parte? Deixo aqui ao amigo leitor a seguinte reflexão: Quantas vidas se perderam, quanto sofrimento e dor, sentimentos que machucam, o coração de quem ficou. Foram vidas preciosas, que chegaram ao final, por ver na velocidade, a razão de “ser o tal”. Jovens, homens e mulheres, em busca de diversão, que não respeitaram placas e nem sinalização. Hoje muitos são caronas e o condutor é quem, lhes empurra uma cadeira que só duas rodas tem! Pense bem quando dirigir, seu filho pode estar no banco de trás, você pra ele, é super-herói. Amanhã pode ser você, a deixar alguém chorando de saudade, amanhã, pode ser você, vítima da irresponsabilidade. Amanhã pode ser você, a deixar alguém chorando de saudade. Amanhã, pode ser você, respeitar a vida é prioridade. Por Paulo Henrique de Souza 31/ago/2010 Fonte: http://asp11.volvo.com.br/CTPVST/frmVisualizaPadrao.aspx?TipoDoc=Artigos&idPadrao=1366 - Acesso em 14/09/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário