Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

19 de jul de 2010

Por que e como educar para o trânsito?

O trânsito tem sido a causa de muitos problemas sociais. Podemos citar a poluição e os congestionamentos causados pelo excesso de veículos circulando nas vias. 

Conforme dados do Denatran (http://www.denatran.gov.br/frota.htm - acesso em 07/06/2010), de dezembro de 2004 a dezembro de 2009 a frota brasileira teve um aumento de 20.120.767 veículos, ou seja, 335.346 novos veículos circulando no Brasil a cada mês. Nossas rodovias não estão acompanhando esse crescimento da frota. A cada dia aumentam os congestionamentos, o estresse e outros tipos de problemas de saúde causados pelo excesso de veículos. Por outro lado, a violência no trânsito tem deixado muitas famílias desestruturadas, pais órfãos de filhos, muita dor e sofrimento. Segundo estudo da CNM – Confederação Nacional dos Municípios, no artigo As mortes no trânsito brasileiro em 2009:


“...foi divulgado pela administradora dos Seguros DPVAT o total de 53.059 mil mortes no trânsito em 2009. O DPVAT é um seguro obrigatório que deve ser pago por todos os proprietários de veículos de via terrestre, e garante às vítimas de acidentes com veículos o recebimento de indenizações. Tratam-se dos números mais próximos da realidade, se comparados aos números do DENATRAN e do Ministério da Saúde. (...) Os registros segundo o pagamento do DPVAT ainda indicam que houveram, em 2009, 118.021 pessoas vitimas de acidentes de trânsito que ficaram inválidas e 85.399 que receberam atendimento médico hospitalar por estarem feridas, que somados às vítimas de morte, totalizam 256.472 pessoas envolvidas em acidentes de trânsito no último ano. (...) Quando se analisa a faixa etária das pessoas que mais morrem em acidentes de trânsito, constatamos que jovens de 21 a 30 anos também são a grande maioria das vítimas fatais (29%). Quanto mais vai aumentando a idade, menos mortes no trânsito ocorrem. Somando o grupo de 16 a 45 anos, se alcança 67% das mortes.”
http://portal.cnm.org.br/sites/9000/9070/Estudos/Transito/Asmortesnotransitobrasileiroem2009.pdf - acesso em 19/07/2010.

A sociedade está perdendo muitos jovens trabalhadores e aposentando outros tantos, que ficaram com seqüelas e incapacitados para o mercado de trabalho. Boa parte dos leitos hospitalares está ocupada com vítimas do trânsito. A maior parte da violência no trânsito tem como causa a imprudência dos motoristas, dos pedestres dos ciclistas e dos passageiros de veículo automotor, que cometem infrações desrespeitando as leis de trânsito e os cuidados com a segurança e a saúde. A diminuição da violência no trânsito se dá, principalmente, através de um processo de conscientização educacional que dê preferência à vida, propiciando aos indivíduos pensar e alterar suas atitudes no trânsito.

Como educar?

Para que haja educação tem que haver APRENDIZAGEM.

O que é aprendizagem?

É o ato de adquirir e construir conhecimentos, um processo que envolve toda a atividade do ser humano: biológica, psicológica, social e cultural, nos seus múltiplos aspectos.

Segundo Campos (CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia da Aprendizagem. 37ª ed. Editora Vozes. Petrópolis, 2008.), a aprendizagem ocorre através da atividade do aprendiz, tanto física quanto mental e emocional. Na escola, por exemplo, ela depende muito mais da reação dos alunos aos fatores apresentados, do que do conteúdo dos livros e da metodologia dos professores. É um processo dinâmico e cumulativo, ou seja, uma ação que se estabelece entre um conhecimento já apreendido e um novo conhecimento a adquirir. É um processo contínuo, aprendemos durante toda a existência. É também um processo pessoal, um não pode aprender pelo outro, e global, quando envolve uma mudança de comportamento exige a participação total e global do indivíduo a fim de que seja estabelecido o equilíbrio vital.  

Aprendemos quando estamos motivados para isso. O que motiva a aprendizagem?
  
A motivação pode acontecer influenciada por várias razões, entre elas: A necessidade de adaptação ao ambiente, em constante mudança. Direcionando ao tema trânsito, podemos citar a necessidade de adaptação às mudanças na engenharia e na legislação de trânsito. O cidadão precisa aprender a transitar obedecendo às mudanças no espaço físico. O engenheiro de tráfego precisa da educação para obter bons resultados nos seus projetos. Da mesma forma, para que as mudanças nas leis de trânsito produzam efeitos positivos, é necessário que os indivíduos aprendam a obedecer-lhas.

Outra motivação é a tomada de consciência do valor daquilo que vai aprender. Isso se consegue por meio da REFLEXÃO. Quando pensamos sobre uma ação ou sobre uma situação, há uma grande chance de aprendermos com isso, há uma grande chance de revermos nossas atitudes e corrigirmos aquelas que estão inadequadas.

E como provocar a reflexão?

Isso é um desafio! Em primeiro lugar é necessário despertar o INTERESSE, isso varia conforme a idade, classe social, classe cultural, entre outros fatores...

 É importante a aplicação de recursos educativos adequados ao público alvo. É preciso boa argumentação, capaz de convencer sobre o que desejamos construir. Sendo assim, será que uma campanha educativa, realizada com recursos educativos adequados ao público alvo, que desperte o interesse da maioria dos participantes, que provoque a reflexão sobre atitudes corretas e incorretas no trânsito, é de qualidade? É eficiente? Vai refletir na aprendizagem e na mudança de atitudes no trânsito?

Em um primeiro momento, sim. No entanto, para que essa aprendizagem adquirida não se perca por conta de outros interesses, não basta fazermos campanhas educativas apenas na Semana Nacional do Trânsito ou em outras datas pontuais, elas devem ser permanentes. É fundamental que haja acompanhamento e CONTINUIDADE.

Irene Rios

3 comentários:

  1. Muito interessante este seu artigo... temos que aprender a ser mais educados no trânsito, e digo isso não apenas como condutora de veículo, mas também como pedestre... porque muitas vezes o pedestre não respeita algumas situações...

    Recomendo este outro artigo: http://blog.orestesquercia.com.br/congestionamentos-prejudicam-saude-dos-paulistanos-e-atrapalham-a-vida-de-passageiros-e-pedestres/

    ResponderExcluir
  2. Adorei, vai servir de base para uma palestra minha. Grato.

    ResponderExcluir
  3. Sou instrutora de transito a 6 anos e estudante de Pedagogia. A falta de respeito no transito é grande, o tema de minha monografia é A IMPORTANCIA DA EDUCACAO PARA O TRANSITO NAS ESCOLAS, escolhi esse tema por que o transito é o que mais mata hoje no Brasil, estamos em terceiro lugar no ranking de acidentes de transito e se continuar assim vamos para o 1º lugar, isso é uma vergonha e agora com a copa do mundo, isso tende a piorar com certeza. O transito no Brasil só vai melhorar se as escolas trabalhassem diariamente o tema transito e seus perigos, e as crianças já crescem sabendo da arma que o transito é. Os condutores adultos precisam de ser reeducado, esses sao mais dificeis, mas nao impossivel. É preciso ter interesse por parte de todos os educadores, é um tema que as crianças gostam e é facil trabalhar.
    Parabens pelo artigo, precisamos sempre de pessoas assim.
    Obrigada
    Gisele
    São Gotardo MG

    ResponderExcluir