Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

31 de mar de 2010

CHAT PERKONS: Década de Ações para Segurança no Trânsito

Data: 07 de abril (quarta-feira) Horário: 10h (horário de Brasília) Duração: 45 min Entrevistados: Diza Gonzaga; Hugo Leal e Rudel Espíndola Site: http://www.perkons.com/ INSCRIÇÕES GRATUITAS até 06/04: envie um e-mail para comunicacao@perkons.com e solicite sua inscrição no chat. As instruções de acesso e a senha serão encaminhadas para você participar do debate na data agendada. Saiba mais sobre os especialistas:DIZA GONZAGA é arquiteta, autora do livro "Thiago Gonzaga - Histórias de uma Vida Urgente". Criou a campanha VIDA URGENTE e a Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, através da qual coordena ações como a Madrugada Vivam Buzoom, Escola Urgente, Vida Urgente no Palco, Vida Urgente In concert, Salva Vida Urgente, entre outras de prevenção de acidentes de trânsito envolvendo jovens. • DEPUTADO DR. HUGO LEAL é advogado e está em seu primeiro mandato como deputado federal, pelo PSC do Rio de Janeiro onde é o líder da bancada. Na Câmara dos Deputados é Vice Presidente da Comissão de Viação e Transportes, Presidente da Subcomissão de revisão do Código de Trânsito Brasileiro e membro da Comissão de Constituição e Justiça e da Comissão Parlamentar de Inquérito das Escutas Telefônicas. Foi Secretário de Justiça no Estado do Rio de Janeiro e Presidente do DETRAN/RJ. • RUDEL ESPÍNDOLA é engenheiro, mestre e doutor em engenharia de transportes pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (PET/COPPE). Atualmente é Diretor Presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) de Campo Grande (MS), Professor da UFMS, Presidente da Comissão de Trânsito da ANTP. Vasta experiência em segurança no trânsito, estatísticas de acidentes e georreferenciamento de acidentes.

25 de mar de 2010

Consultoria em Educação para o Trânsito

Educação Continuada para o Trânsito  

JUSTIFICATIVA: 
 
Corremos risco de morte por falta de conhecimento em Língua Portuguesa, matemática, história, geografia ou outras disciplinas do currículo?

Por falta do conhecimento e da prática das regras de segurança e das boas condutas no trânsito, inúmeras pessoas estão perdendo a vida ou ficando gravemente feridas, diariamente.  
A Escola não pode calar-se frente à calamidade do trânsito. 

É necessário que os educadores reflitam sobre a importância da Educação para o Trânsito já na infância, inserindo-a em seu projeto educativo. Para isso o professor não precisa parar sua aula, é possível trabalhar o tema trânsito de maneira transversal.

Nos documentos dos Parâmetros Curriculares Nacionais o trânsito não aparece como tema transversal, porém pode ser inserido como tema local, tendo fortes ligações com os temas transversais: saúde, meio-ambiente e ética.

A maior parte da violência no trânsito tem acontecido não por falta de conhecimento das leis e da sinalização, mas sim por falta de ética. É imprescindível a construção e o resgate de valores. Quando construímos valores nas crianças, quando resgatamos valores nos jovens, estamos educando para a vida e para o trânsito. Os valores construídos na infância serão usados também na vida adulta em qualquer situação, inclusive no trânsito.

Conforme as Diretrizes Nacionais da Educação para o Trânsito (portaria 147/2009 do Denatran), a educação para o trânsito deve ser baseada em valores e permanente. É importante, no entanto, despertar o interesse dos alunos para os conteúdos, usando a linguagem e os recursos educativos adequados, provocando a reflexão, a aprendizagem e a construção de atitudes corretas na vida e consequentemente no trânsito.

O professor é o agente principal nesse processo, é o formador de opinião e o transformador de atitude.

OBJETIVO 

Proporcionar ferramentas aos professores a fim de sensibilizá-los sobre a necessidade e possibilidade de adoção de medidas preventivas, junto aos alunos, principalmente no tocante à mudança de atitude, e com isso, contribuir para a segurança e paz no trânsito.

Objetivos Específicos 

- Demonstrar o valor da formação de equipes de professores para treinamento e propagação de atitudes corretas no trânsito; 

- Reconhecer que a ética e a cidadania devem nortear qualquer ação educativa de trânsito; - Proporcionar a reflexão sobre a importância de um trabalho contínuo de educação para o trânsito nas escolas e fornecer ferramentas que facilitem está tarefa. 

- Promover a oportunidade dos professores do ensino fundamental exercitar a transversalidade com o tema trânsito, pelo menos uma vez por semana. 

- Difundir os temas e conteúdos específicos da Educação para o Trânsito nas disciplinas da grade curricular das escolas. 

- Estimular a criação e aplicação de atividades, usando diversos recursos educativos, envolvendo a Educação para o Trânsito. 

- Capacitar professores para a metodologia adotada, através de palestras e orientações individuais, tornando-os multiplicadores. 

- Distribuir material educativo de trânsito, adequando à idade dos alunos. 

- Envolver professores, alunos, familiares e outras pessoas da comunidade no levantamento de suas necessidades e na resolução de seus problemas; 

- Acompanhar, avaliar e orientar quinzenalmente o trabalho dos professores com o tema trânsito.  

Público Alvo: Professores do Ensino Fundamental. 
 
Período de Aplicação: 8 meses. 

PLANO DE AÇÕES  

1. Capacitação de Professores 
Métodos e técnicas de educação para o trânsito nas escolas  

Conteúdos

- Conseqüências e causas da violência no trânsito; 

- Prevenção da violência no trânsito; 

- Educação de crianças e adolescentes para o trânsito. 

- Aplicação das diretrizes Nacionais da Educação para o Trânsito (portaria 147 do Denatran) - Educação para o Trânsito baseada em valores; 

- O trânsito como tema transversal nas escolas; 

- Educação para o trânsito baseada em valoes.
 

Palestra, oficina, seminário ou curso. 
   
Carga horária: 02 a 20 horas/aula  

2. Encontros quinzenais com os professores que irão participar do projeto. 

  · Usar os horários em que os alunos estejam em aula de educação física ou artes para esses encontros. 

· Planejar com os professores as disciplinas e os conteúdos que serão trabalhados junto com o tema trânsito. 

. Disponibilizar aos alunos materiais didáticos, conforme sugestão e seleção no item “3”.

· Oferecer aos professores planos de aula e sugestões de atividades relacionadas aos materiais didáticos selecionados no item “3”. 

· Desenvolver junto com os educadores, atividades transversais de trânsito, envolvendo diversos conteúdos curriculares, usando diversos recursos educativos; 

· Acompanhar, orientar e avaliar o trabalho de Educação para o Trânsito, desenvolvido pelos professores.  

3. Materiais didáticos sugeridos:  

1º e 2º ano do Ensino Fundamental  
TRANSITANDO COM SEGURANÇA PARA COLORIR: livro com 04 narrativas ilustradas com imagens para colorir.  

3º e 4º ano do ensino Fundamental 
TRANSITANDO COM SEGURANÇA: livro com 04 narrativas e letras de 15 paródias educativas. Acompanha CD com a gravação das paródias para os professores.  

5º ano do Ensino Fundamental  
QUEM? EU? EU NÃO! E outras crônicas de trânsito: Livro com 26 crônicas.  

6º ao 9º ano do Ensino fundamental
Gincana de Trânsito Tarefas, envolvendo atividades culturais, relacionadas ao trânsito e à prática de valores positivos. 
 
Irene Rios da Silva  
Consultora: Especialista em Meio Ambiente, Gestão e Segurança de Trânsito e em Metodologia de Ensino; Escritora, palestrante e Consultora na área de Educação para o Trânsito; Professora universitária de Educação para o Trânsito e de Campanhas Educativas de Trânsito; Consultora de Educação para o Trânsito no município de São José – SC; Coordenadora do projeto “Educação Continuada de Trânsito”, no município de Palhoça - SC; Com 23 anos de experiência em educação, sendo sete em Educação para o Trânsito; Autora dos livros: ”TRANSITANDO COM SEGURANÇA: Educação para o Trânsito”; “QUEM? EU? EU NÃO! E outras crônicas de trânsito e "MANUAL PARA MOTORISTA com agenda".  

Currículo Lattes:
http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4798028U4  

EDUTRANEC – Educação para o Trânsito e Eventos Culturais Treinamentos e materiais de Educação para o Trânsito Treinamentos: palestras, cursos, oficinas... Materiais didáticos: livros, apostilas personalizadas, folder, panfletos... Eventos: concursos, seminários, feiras... 
 
Detalhes dos projetos em: Educando para o Trânsito em 2010.  

Fone: (48) 3246-8038 (48) 9944-9448

24 de mar de 2010

Pesquisa inédita revela o que jovens pensam sobre a Lei Seca e o cinto de segurança

A pesquisa “A balada, o carona e a Lei Seca” realizada pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) entre outubro e novembro de 2009, com 868 jovens de 15 a 17 anos, revelou que mesmo conhecendo e concordando com a obrigatoriedade do uso do cinto de segurança e com a proibição de conduzir veículos depois de ingerir bebida alcoólica a maioria age diferente. A pesquisa foi realizada com alunos do ensino médio, de escolas públicas e particulares, durante a realização do Ciclo de Palestras do projeto Trânsito Consciente do Denatran. Participaram alunos de seis capitais: Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, Recife e Porto Alegre. A partir deste trabalho foi possível perceber três importantes aspectos que podem servir para os órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito fundamentarem suas ações junto ao público jovem. O primeiro está relacionado à questão de gênero. Meninos e meninas agem de forma diferente quando o assunto é trânsito. Outro aspecto é o papel da família, como exemplo para a prática de atitudes seguras no trânsito. Além disso, a pesquisa constatou que o jovem é informado, porém, demonstra incapacidade de agir de forma segura e de intervir em seu grupo social no caso de uma situação com a qual não concorde. Cinto de segurança Dos jovens pesquisados cerca de 2/3 (65,5%) é carona de um veículo conduzido por seus amigos ou pais. Mas a pesquisa concluiu que essa condição não está associada a uma atitude de segurança efetiva. Apenas dois em cada dez jovens (21,6%) afirmaram utilizar sempre o cinto de segurança na condição de passageiros no banco traseiro. Enquanto caronas de amigos 35% dos jovens afirmou que nunca usa o cinto de segurança no banco traseiro. A companhia dos pais também não está associada à maior segurança. Apesar da presença e autoridade do pai ou da mãe conduzindo o jovem para a “balada” e no retorno para casa, 28,9% revelou que nunca usa o cinto de segurança e outros 44% o utiliza eventualmente. Mas o número de ocupantes que não usam o cinto de segurança pode ser ainda maior. Quando questionados sobre o comportamento dos amigos, os jovens pesquisados afirmaram que apenas 6,4% dos amigos sempre usa o cinto de segurança. A pesquisa do Denatran também revelou que algumas atitudes estão relacionadas diretamente aos aspectos morais e culturais da sociedade brasileira. Entre os pesquisados ir para a balada de carona no veículo dos amigos é roteiro para os meninos (37,5%), no caso das meninas os pais (39,2%) são os principais condutores. Lei Seca Quando o tema é álcool e direção, os dados revelam um quadro preocupante: mesmo que 84,9% dos jovens afirmem conhecer a Lei Seca e 88,5% defendam a proibição de beber antes de dirigir, 55% deles revelou que retorna para casa de carona no carro do amigo que ingeriu bebida alcoólica. Mais uma vez meninos e meninas têm comportamentos diferentes. Entre as meninas mais da metade (50,7%) afirmou voltar da balada com um amigo que não bebeu. Já entre os meninos a vulnerabilidade é ainda mais acentuada, 61,2% deles admitiu ser carona de veículo conduzido por um amigo que bebeu antes de dirigir. Embora meninos (88,5%) e meninas (91,4%) concordem que beber e dirigir deve ser proibido, na avaliação dos pesquisadores a carona no carro do amigo que bebeu antes de dirigir indica uma incapacidade majoritária entre os jovens de intervir em uma situação com a qual eles não concordam. Sobre o uso do bafômetro na fiscalização, a maioria dos jovens (64,3%) afirmou que sopraria. Mais meninos (21,7%) do que meninas se recusariam ao exame, e mais meninas têm dúvida (20,3%) sobre qual atitude tomariam. Mais um dado que demonstra a diferença entre gêneros. Educação no trânsito A pesquisa também levantou informações sobre as perspectivas dos jovens sobre atividades relativas à educação no trânsito e às campanhas públicas. Verificou-se que nenhuma atividade de educação para o trânsito é realizada na maioria das escolas (51,8%) nas quais estudam os jovens pesquisados. No que se refere às campanhas públicas de segurança no trânsito, seis em cada dez jovens não se lembrou de nenhuma campanha recente. Quando questionados sobre mudança de comportamento a partir de campanha, 53,3% dos jovens afirmou que não mudou nenhuma atitude por causa de campanha de educação para o trânsito. Quando os dados são analisados por gênero percebe-se que as meninas são mais sensíveis às campanhas, 52,2% delas admitiu já ter adotado uma nova atitude, diferente dos meninos que 60,4% respondeu negativamente. Veja o Resultados da pesquisa. Fonte: http://www.denatran.gov.br/ultimas/20100324_pesquisa.htm (acesso em 24/03/2010)

23 de mar de 2010

Educação de Trânsito para Crianças e Adolescentes

Por que educar crianças e adolescentes para o trânsito?

Que conteúdos devem ser construídos com o público dessa faixa etária?

Como provocar a aprendizagem?

Como fazê-los refletir sobre sua vida e sua segurança?

Como despertar o interesse das crianças e dos adolescentes pelas atividades educativas de trânsito?

Quem pode e deve educá-los?

Como sensibilizar e orientar os pais sobre a educação de seus filhos para o trânsito?

Como sensibilizar e orientar os professores sobre o trabalho educativo de trânsito?

Como desenvolver e trabalhar com atividades transversais envolvendo o trânsito?

Essas foram algumas das questões refletidas e debatidas durante a disciplina de Educação de Trânsito para Crianças e Adolescentes, que ministrei no curso de Gestão, Psicologia e Educação para o Trânsito, promovido pelo CEAT – Centro de Estudos Avançados e Treinamento, em São Paulo – SP, nos dias 20 e 21 de março de 2010.

Foram dois dias muito produtivos, que proporcionaram a interação e a partilha de conhecimentos entre pessoas dinâmicas e comprometidas com a Educação para o Trânsito.

Irene Rios

Uso de alcool e outras drogas no trânsito brasileiro


A relação entre uso de álcool e acidentes de trânsito é bastante conhecida e já claramente estabelecida na literatura científica. Dados da OMS apontam que aproximadamente 1,2 milhão de pessoas morrem no mundo em conseqüência de acidentes de trânsito. Os acidentes de trânsito com vítimas também são responsáveis por alto impacto econômico no Brasil. Um acidente com vítima custa 11 vezes mais do que um acidente sem vítimas, podendo custar 44 vezes mais se houver morte. Apesar do significativo número de acidentes de trânsito associados ao consumo de álcool na literatura internacional, poucos estudos avaliaram a prevalência desse consumo em motoristas brasileiros.
Em atenção à esta demanda, o Estudo “Impacto do uso de bebidas alcoólicas e outras substâncias no trânsito brasileiro” foi desenvolvido pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (SENAD/ GSIPR), em parceria com o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (PRONASCI/MJ), o Departamento de Polícia Federal (DPF) e o Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF/MJ), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde (ANVISA/MS) e o Departamento Nacional de Trânsito do Ministério das Cidades (DENATRAN/ MCIDADES) e realizado pelo Núcleo de Estudos em Pesquisa em Trânsito e Álcool do Hospital de Clínicas de Porto Alegre da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (NEPTA/UFRGS).
Foram realizadas entrevistas, entre os anos de 2008 e 2009, nas rodovias federais das 27 capitais brasileiras, abrangendo motoristas de carros, motos, ônibus e caminhões – particulares e profissionais - e, na cidade de Porto Alegre no Estado do Rio Grande do Sul, abrangendo motoboys, vítimas de acidentes de trânsito, condutores de veículos frequentadores de bares e restaurantes e amostras da população de não condutores, totalizando, assim, oito mil entrevistas.
Os resultados do estudo destacam a baixa prevalência de alcoolemias positivas entre os motoristas brasileiros abordados em rodovias nas sextas-feiras e sábados - 4,8 %; estas taxas são maiores à noite nas rodovias (7,3% após as 20h vs 3,3% antes das 20h); 25% dos motoristas entrevistados referiram ter consumido cinco ou mais doses de bebidas alcóolicas (beber pesado episódico - binge drinking) entre duas e oito vezes no último mês; A associação entre acidentes e alcoolemia positiva é muito mais frequente na zona urbana da cidade de Porto Alegre quando comparada às rodovias federais; 32% das vítimas fatais de acidentes de trânsito necropsiadas apresentaram presença de álcool no sangue, com concentração nas faixas etárias jovens e mais produtivas; 51% dos motoristas abordados em bares da cidade de Porto Alegre afirmaram dirigir após consumir bebidas alcóolicas; 44% desses mesmos motoristas referiram ter adotado mudanças após a implementação da "Lei Seca"; 75% dos motoboys entrevistados em Porto Alegre tinham ao menos um diagnóstico psiquiátrico e 54% apresentavam dois diagnósticos (uso de álcool:43,6%, uso de cannabis 39,6%, uso de cocaína 32,7%, transtorno de humor 31,7%, transtornos de conduta 28,7%), prevalências mais altas do que outros estudos internacionais

Fonte: Senad

Cerimônia de lançamento dos resultados

Apresentação Drª Paulina Duarte - Secretária-Adjunta Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas

Apresentação Prof. Dr. Flávio Pechansky - Professor Uiversidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRS  

Para mais informações, Baixe o livro AQUI: 

15 de mar de 2010

DER/MG promove seminários regionais sobre educação para o trânsito

BELO HORIZONTE (15/03/10) - O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), por meio do Núcleo de Educação para o Trânsito, realizará uma série de encontros regionais no Estado durante este ano. Os seminários darão sequência à capacitação de professores da rede pública e particular de ensino e pessoas envolvidas com o tema, objetivando sensibilizá-los para a adoção de comportamentos que fortaleçam a construção de um trânsito mais humano e cidadão. As primeiras cidades contempladas com o trabalho serão Divinópolis, Uberlândia, Juiz de Fora, Varginha e Montes Claros e os agentes envolvidos serão capacitados para trabalhar com conceitos e noções de educação para o trânsito no currículo escolar dos alunos. O primeiro seminário será no final do mês de abril, em Divinópolis. Cada evento terá duração de um dia todo, sendo constituído por palestras, debates, espaços para discussões e análises que possibilitem a troca de experiências para o fortalecimento das ações apresentadas. Todas as discussões serão embasadas na realidade de cada localidade, o que facilitará a assimilação por parte dos participantes e consequentemente uma possível mudança de atitudes da população como um todo. “Nestes encontros os professores e educadores tomarão consciência de seus papéis de multiplicadores das questões relacionadas à educação de trânsito, baseando-se, sempre, em princípios de ética, valores e cidadania”, comentou Rosely Fantoni, coordenadora do Núcleo de Educação para o Trânsito do DER/MG. Segundo Rosely, os cinco encontros, que estão previstos para este ano, serão, também, uma oportunidade para os professores, que fizeram o curso à distância, possam renovar seus conhecimentos e alinhar estratégias sobre a melhor forma de difundir o tema trânsito dentro de sala de aula. Curso à distância Em outubro do ano passado, o DER/MG iniciou um curso à distância para capacitação em educação para o trânsito para professores do ensino fundamental de todo o Estado. O curso é ministrado em 50 dias, equivalentes a uma carga horária presencial de 40 horas e os professores têm o acompanhamento direto de tutores online, o que facilita o aprendizado. Ao final de cada módulo, os professores são avaliados por meio de testes. A expectativa é de que cerca de dois mil professores sejam capacitados até o final deste ano. Desde o início do curso, 1.306 pessoas já foram treinadas e o grau de satisfação destes alunos foi de 91%, segundo levantamento dos coordenadores do curso. “A grande aceitação e satisfação dos educadores que participam do curso estão sendo o grande termômetro de que estamos no caminho certo”, finalizou Rosely. Neste ano, 75 novas turmas já iniciaram os treinamentos, somando 546 alunos. “O Curso de Educadores de Trânsito, promovido pelo DER/MG, trouxe uma linguagem de fácil entendimento e ótimo material didático em ambiente virtual de aprendizagem, visando o treinamento de professores na educação para o trânsito, de forma que a escola seja priorizada como o lugar central para o aprendizado”, comentou o capitão da Polícia Militar, Ricardo Martins de Almeida. O conteúdo do curso está em conformidade com as orientações estabelecidas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), através da Portaria nº 147, de 2 de junho de 2009, que estabelece as diretrizes nacionais da educação para o trânsito na pré-escola e no ensino fundamental. Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/component/content/article/619-infraestrutura-/30996-dermg-promove-seminarios-regionais-sobre-educacao-para-o-transito (acesso em 15/03/2010).

12 de mar de 2010

Prefeitura abre inscrições para curso de Educação para o Trânsito

A Prefeitura de São Carlos, através da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito, abre nesta segunda-feira (15), das 8 às 17h30, na rua São Joaquim n.º 921, as inscrições para o curso de “Educação para o Trânsito”, direcionado para professores e coordenadores das redes municipal e particular de ensino. O curso realizado pela Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito e Escola Municipal de Governo oferece 35 vagas com duração de 30 horas e tem por objetivo oferecer noções de educação e segurança no trânsito para que os professores e coordenadores possam multiplicar o conhecimento para outros educadores das escolas além de pais e alunos. As aulas que começam no dia 31 de março e terminam no mês de setembro com a realização de um workshop, serão realizadas em três períodos: manhã das 8h30 às 11h30, tarde das 14 às 17h e noite das 19 às 22h, no auditório da Fundação Pró-Memória, na Estação Cultura. (12/03/2010) Fonte: http://www.saocarlos.sp.gov.br/index.php/noticias/2010/156634-prefeitura-abre-inscricoes-para-curso-de-educacao-para-o-transito.html

10 de mar de 2010

Cetran-MS promove workshop de educação e segurança no trânsito

O objetivo é aumentar o número de profissionais para trabalhar a Política de Educação e Ensino para o Trânsito em todas as disciplinas do currículo escolar.

A partir de abril, o Conselho Estadual de Trânsito (Cetran-MS) vai oferecer Workshop de Educação e Segurança no trânsito nos municípios de Mato Grosso do Sul. O projeto é voltado para professores, coordenadores pedagógicos, diretores da Rede Pública e Particular de Ensino, técnicas em educação de trânsito e acadêmicas do curso de Pedagogia.

O objetivo é aumentar o número de profissionais para trabalhar a Política de Educação e Ensino para o Trânsito em todas as disciplinas do currículo escolar. Além da municipalização do trânsito, uma das mais significativas inovações é que, pela primeira vez, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) trouxe um capítulo exclusivo à educação, determinando, entre outros aspectos, a implementação da educação para o trânsito em todos os níveis de ensino. O Estado de Mato Grosso do Sul, por intermédio do Cetran-MS, para atender ao disposto no CTB, encaminhou um pedido de pronunciamento ao Conselho Estadual de Educação pedindo orientação sobre a Educação e Ensino para o Trânsito. O Conselho Estadual de Educação deliberou, por meio de um parecer orientativo, o encaminhamento sobre a Educação e Ensino para o Trânsito, na educação básica e suas modalidades.
A
 Secretaria de Estado de Educação aprovou a resolução nº 2.037, em 6/11/2006, com o seguinte título: Política de Educação e Ensino para o Trânsito de Mato Grosso do Sul para o Sistema Estadual de Ensino. Assim, o Estado de Mato Grosso do Sul tem uma Política de Educação e Ensino para o Trânsito, e, pela urgência social desse tema, deve ser implantada em toda Rede Escolar do Estado visando preservar vidas e diminuir os gastos na saúde pública com os acidentes de trânsito.

 Desde a promulgação do CTB, em janeiro de 1998, os especialistas na área de trânsito aguardavam que o Departamento Nacional de Transito (Denatran) elaborasse as Diretrizes Nacionais da Educação para o Trânsito no ensino infantil e fundamental. Em 2 de junho de 2009, através da portaria nº. 147, o Denatran publicou as diretrizes com a finalidade de trazer um conjunto de orientações capazes de nortear a prática pedagógica voltada ao tema trânsito. Este projeto pretende oferecer a oportunidade de desenvolver atividades que tragam à luz a importância da adoção de posturas e de atitudes voltadas ao bem comum; que favoreçam a análise e a reflexão de comportamentos seguros no trânsito; que promovam o respeito e a valorização da vida.

Fonte: Cetran-MS 

Disponíel em: Notícias MS http://www.portalms.com.br/noticias/CetranMS-promove-workshop-de-educacao-e-seguranca-no-transito/Mato-Grosso-do-Sul/Educacao/959576117.html (acesso em 10/03/2010)

9 de mar de 2010

EDUCAÇÃO - Professores vão aprender noções de trânsito

Redação Guarulhosweb 02/03/2010 14:40
Finalidade é estimular docentes a orientar alunos a como se locomover, com segurança, por ruas e avenidas da cidade A Escola Pública de Trânsito (EPT) está com inscrições abertas para quatro novas turmas do Curso de Formação de Multiplicadores em Educação para o Trânsito. Serão oferecidas 100 vagas (25 por turma) para professores e gestores das redes municipal e particular de ensino. "O objetivo é sensibilizar e capacitar os educadores sobre a importância das questões relacionadas ao trânsito, para que eles possam levar para a sala da aula essa discussão. O curso oferece subsídios teóricos e práticos que lhes possibilita desenvolver atividades com os alunos, de forma a orientá-los às boas práticas de cidadania no dia-a-dia do trânsito", afirma a chefe de Divisão de Educação para o Trânsito, Fernanda Mayumi Garcia. O curso consiste em dois módulos. O primeiro, intitulado "Educar para a cidadania", tem duração de 30 horas - são oito encontros presenciais com três horas cada e seis horas de atividades à distância. Serão três turmas: duas às quintas-feiras (das 8h às 11h e das 16h às 19h) e uma aos sábados (das 9h às 12h). O segundo, destinado a quem já participou do anterior, é o "Vivências em educação para o trânsito". A duração é de 20 horas, com oito encontros presenciais de duas horas cada e quatro horas de atividades à distância. Haverá apenas uma turma, com aulas às quartas-feiras, das 16h30 às 18h30. Os professores da rede municipal, interessados em participar do Curso de Formação de Multiplicadores em Educação para o Trânsito, devem fazer inscrição antecipada na Secretaria Municipal de Educação. No caso dos profissionais da rede particular, as inscrições podem ser feitas pelo telefone 2475-1743 ou pelo e-mail edtransito@guarulhos.sp.gov.br. As aulas do módulo "Educar para cidadania" têm início nos dias 11 de março, para as turmas das quartas-feiras, e 13 de março, para o grupo de sábado. O módulo "Vivências em educação para o trânsito" começa no dia 10 de março. Os encontros presenciais serão realizados na sede da Escola Pública de Trânsito. Cidadania a trânsito - A Escola Pública de Trânsito, criada em setembro de 2009, funciona no Espaço Vivencial Cidade Mirim Ayrton Senna da Silva. O objetivo é promover cursos, ações e projetos educativos voltados ao exercício da cidadania no trânsito. Desde o seu funcionamento, a EPT já formou cerca de 500 professores no Curso de Formação de Multiplicadores em Educação para o Trânsito. A EPT promove, ainda em março, capacitação para os docentes da rede estadual de ensino de Guarulhos. As aulas serão ministradas nas Faculdades Integradas Torricelli, nos dias 24 e 25, para profissionais de 166 escolas estaduais. "A prioridade da EPT é desenvolver o convívio social no espaço público, com o objetivo de promover uma melhor compreensão do sistema de trânsito da nossa cidade, com ênfase na segurança e em uma educação cidadã", afirma o secretário de Transportes e Trânsito, José Evaldo Gonçalo. Serviço: A Escola Pública de Trânsito fica na rua Joaquim Miranda, 471, Vila Augusta. A Secretaria Municipal de Educação fica na rua Abílio Ramos, 122, Macedo. Fonte: http://www.guarulhosweb.com.br/gwebnoticia.php?nrnoticia=31113 (acesso em 09/03/2010)

Curitiba ganha primeiro Memorial às Vítimas do Trânsito do Brasil

O primeiro Memorial às Vítimas do Trânsito do Brasil foi inaugurado nesta segunda-feira (8) pelo prefeito Beto Richa e pelo presidente da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Complementar e Capitalização (CNSeg), João Elísio Ferraz de Campos. "Este espaço foi projetado especialmente para ser uma reflexão sobre a violência do trânsito, que mata hoje mais que todas as guerras juntas", disse Richa. "A administração municipal vem trabalhando para a melhoria do trânsito de Curitiba, proporcionando mais segurança com a implantação de binários, pavimentação de ruas, sinalização e semaforização e campanhas de conscientização da população para um trânsito mais responsável, com paz e harmonia." Richa disse ainda que uma das ações da administração municipal é levar às crianças da Rede Municipal de Ensino informações sobre a importância da paz no trânsito. "Crianças são agentes de disseminação de informações e podem levar às suas famílias formas de conscientização para um trânsito mais harmônico e com segurança." O memorial foi construído ao lado do Museu do Automóvel, no parque Barigui, em parceria da Prefeitura com a Confederação Nacional e com a Federação Nacional dos Corretores de Seguros Privados e de Resseguros, de Capitalização, de Previdência Privada e das Empresas Corretoras de Seguros e de Resseguros (Fenacor). "O memorial será um despertar da sociedade para o problema da violência do trânsito. Nossa meta é conscientizar através da educação", disse o ex-governador do Paraná João Elísio Ferraz de Campos, presidente da Confederação Nacional de Seguradoras. O presidente da Federação Nacional dos Seguros, Robert Bittar, disse que o setor de seguros se sente honrado em ser parceiro da Prefeitura de Curitiba nesta ação. "É um marco de inovação e mostra o respeito pelo ser humano", disse. O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, Nelson Justus, disse que o Memorial é o fruto da união de homens de bem. "Aqui é um espaço de reflexão para o futuro", disse. O memorial foi projetado pelo arquiteto Fernando Canalli, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Todo o espaço possui iluminação com lâmpadas de maior durabilidade e menor consumo de energia, o sistema mais moderno de iluminação pública atualmente. O conjunto da obra inclui um lago com lambaris, cascata e uma trilha que vista de cima é a sombra da chaminé da antiga olaria que existia no parque, onde hoje funciona uma academia de ginástica da Prefeitura. Participaram do evento Diego Gonzalez , coordenador da Unidade de Desenvolvimento Sustentável e Saúde Ambiental da Organização Pan Americana da Saúde e representante da Organização Mundial da Saúde no Brasil; os deputados federais Affonso Camargo, Marcelo Almeida, Ricardo Barros, Hugo Leal (RJ) e Osmar Serraglio; os vereadores Tico Kuzma, Serginho do Posto e Felipe Braga Cortês e o presidente do Detran, David Pancotti, além de alunos da Escola Santo Inácio e participantes do seminário Viver Seguro no Trânsito, que está sendo realizado em Curitiba. Fonte: http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?op=gente&id=23701 (acesso em 09/03/2010)

6 de mar de 2010

Mulheres se envolvem menos em acidentes

Jornale (PR) Mulheres são mais cuidadosas ao volante. "Mulher ao volante, perigo constante". Qual motorista não ouviu a piada sexista, exemplo do preconceito contra as mulheres que ocupama, cada vez mais, o espaço masculino. E não apenas no trânsito.
A verdade, no entanto, é bem diferente.As mulheres, em geral, são melhores motoristas do que homens. Ao menos são mais cuidadosas Dados dos Departamentos Nacional e Estadual de Trânsito (Denatran e Detran/PR) revelam que elas se envolvem menos em acidentes de trânsito. No ano passado, dos mais de 64 mil condutores envolvidos nos 37.716 acidentes, registrados no estado com vítimas, apenas 14% (9.176) eram mulheres. Destes acidentes, 10.760 ocorreram em Curitiba com aproximadamente oito mil motoristas do sexo masculino contra 1.693 do sexo feminino. As mulheres representavam, no final de 2009, cerca de 30%, dos mais de quatro milhões de motoristas paranaenses.
E por baterem pouco o carro, as mulheres pagam menos pelo seguro do veículo. ''Quando elas se envolvem em acidente o carro não amassa muito porque, geralmente, o acidente ocorre em baixa velocidade e por isso, muitas vezes, elas nem utilizam o seguro", esclarece o corretor de seguros João Camargo.
''A cautela e a prudência que a mulher têm no trânsito acaba a rotulando de barbeira, mas não é bem assim. Na verdade, elas não são tão agressivas e competitivas como alguns homens no volante", afirma o advogado especialista em direito no trânsito, Marcelo Araújo.
Para ele, a ascensão profissional das mulheres fez com que elas se interessassem cada vez mais pelos automóveis e cabe a sociedade se adaptar a essa novidade realidade. ''O trânsito é repleto de diversidades e o bom motorista é aquele preparado para se adequar a elas. Uma mulher mais paciente pode ser uma fator de distração para um motorista mais apressado, assim como um caminhoneiro que atrapalha a visibilidade", defende. Fonte: http://www.perkons.com.br/index.php?page=noticias&sub=ultimas-noticias&subid=8011 (acesso em 06/03/2010).

Emenda de Hugo Leal oferece curso para motociclistas.

Publicado em 01 de março.
Fonte:

3 de mar de 2010

I Seminário "O Trânsito e a Cidadania"

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro está promovendo o I Seminário Arquidiocesano "O Trânsito e a Cidadania", para a formação da Pastoral do Trânsito. O encontro será realizado nos dias 5 e 6 de março, na Casa de Retiros Padre Anchieta. Participarão vários especialistas na área de Trânsito.
É importante que a Associação dos Médicos Católicos participe do evento. Confira os palestrantes: Padre Joel Portela Coordenador de Pastorais da Arquidioceses do Rio de Janeiro. Coordenador deste Seminário discorrerá sobre: A PASTORAL DE TRÂNSITO E SUA IMPORTÂNCIA. Dr. Fernando Moreira Médico com título de especialista em medicina de tráfego. Representante no Rio de Janeiro da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego. Autor de obras literárias sobre o consumo de bebida alcoólica por condutores de automóveis. Coordenador do programa Álcool Zero da Federação de Empresas de Transporte de Passageiros no Rio de Janeiro. Ministrará a palestra: PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NO BRASIL, O MAIOR E MAIS IMPORTANTE DESAFIO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NO TERCEIRO MILÊNIO. Deputado Hugo Leal Advogado, Economista e Administrador Público. Antes de assumir uma cadeira na Câmara Federal, foi Secretário de Justiça e Secretário de Administração do estado do Rio de Janeiro. Foi também Presidente do DETRAN/RJ. É o parlamentar de maior atuação no segmento de trânsito, destacando-se a autoria da Lei 11.705/08 – a chamada LEI SECA – e do Projeto de Lei 798/07 – já aprovado na Câmara e em tramitação no Senado Federal – que padroniza as penas alternativas aplicadas aos criminosos do trânsito (substitui a cesta básica pela prestação de serviço nas equipes de socorro e resgate de acidentes). Ministrará a palestra: DÉCADA DE AÇÕES DE SEGURANÇA NO TRÂNSITO E PLANO DE REDUÇÃO DE MORTES NO TRÂNSITO. Rodolfo Rizzotto Jornalista, administrador, empresário, editor do Portal www.estradas.com.br e coordenador do SOS Estradas. Ministrará a palestra: TRÂNSITO NAS RODOVIAS. Dr. Marcos Musafir Médico Ortopedista e Traumatologista com expressiva experiência em traumas de trânsito. Ex presidente da SBOT – Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Atualmente integra o corpo científico do Departamento de Violência e Traumas da Organização Mundial de Saúde em Genebra, Suíça. Ministrará sobre o tema: EMERGÊNCIAS, ATENDIMENTO AOS ACIDENTADOS DE TRÂNSITO. Fernando Diniz Engenheiro. Pai-órfão do trânsito. Em março de 2003 seu primogênito Fabrício, então com 20 anos, foi uma das três vítimas fatais de um motorista irresponsável que dirigia em excesso de velocidade pelas ruas da Barra da Tijuca. Desde então se empenha na luta pelo resgate da civilidade e segurança no trânsito. Presidente da Ong TRÂNSITOAMIGO. Discorrerá sobre a dor de perder um filho para essa "guerra" urbana. Fernando Pedrosa Jornalista e publicitário especialista em prevenção e segurança no trânsito. Ex Coordenador do Programa de Redução de Acidentes no Trânsito do Ministério dos Transportes. Membro Titular da Câmara Temática de Educação para o Trânsito e Cidadania do CONTRAN. Atualmente integra o gabinete do Deputado Hugo Leal assessorando-o nos assuntos de trânsito. Ele ministrará palestra junto com o Deputado Hugo Leal sobre: CONSTRUINDO COMUNIDADES SEGURAS NO TRÂNSITO. Para se inscrever ligue para o número 7867-4190. A Casa de Retiros Padre Anchieta fica na Rua Capuri, 1.500, em São Conrado. Fonte: http://www.arquidiocese.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=39&infoid=2982 (acesso em 03/03/2010)

1 de mar de 2010

Mulher no volante é muito importante!

Quem não sabe aceitar as pequenas falhas das mulheres não aproveitará suas grandes virtudes.Khalil Gibran  

Frases do tipo “Mulher no volante perigo constante”, “Só podia ser uma mulher para fazer essa barbeiragem”, são ofensivas e sem argumentação. Opiniões de pessoas preconceituosas que ignoram as estatísticas. 

Conforme dados do RENAEST (http://www.denatran.gov.br/), a realidade é completamente diferente daquela enfatizada por essas pessoas. Vejam nas tabelas a seguir:

No quadro 1 os motoristas do sexo masculino representam 71%, mais que o dobro dos condutores do sexo feminino, representado por 29%. Com base nesses números, pode-se afirmar que em cada 10 veículos que circulam nas vias, apenas 3 são conduzidos por mulheres. 

1,69% dos condutores do sexo masculino se envolveram em acidentes de trânsito com vítima em 2008, contra 0,66% dos condutores do sexo feminino. Isso demonstra que de cada 20 motoristas que se envolveram em acidentes de trânsito, em 2008, em média, 17 foram homens e 3 foram mulheres. 

4.615 mulheres perderam a vida nas estradas em 2008, contra 27.449 homens. Que diferença! De cada 20 vítimas fatais por causa da violência no trânsito, 17 em média, foram do sexo masculino e 3 do sexo feminino. 

Os números correspondentes às vítimas não fatais por causa da violência no trânsito também são expressivos. 450.623 homens e 143.550 mulheres. De cada 20 feridos nas estradas, em 2008, em média 15 foram homens e 5 foram mulheres. Vale lembrar que muitas mulheres são vítimas da violência no trânsito por que são passageiras em veículos conduzidos por homens.  

“Perguntas que não querem calar”: 
  • Por que as mulheres são consideradas um perigo no trânsito?
  • Qual a argumentação para essa acusação?
  • É mais seguro ir de carona com os homens ou com as mulheres?
Frases sobre mulher e trânsito
  • Para a mulher a vida tem mais valor que pisar no acelerador.
  • Mulher cuida da aparência sem esquecer da prudência. 
  • Mulher dirige com cautela! Vá de carona com ela!
  • Mulher no volante é muito importante!  
Frases de conscientização para a mulher no trânsito
  • No trânsito, mesmo que lhe chamem de “tansa”, nunca se arrisque sem ter segurança.
  • Mulher, dirija com consciência, seja tolerante com os homens, TENHA PACIÊNCIA.
  • Mulher, você é especial! Continue sendo uma cidadã legal! 
Irene Rios

Audiência do site em fevereiro de 2010.

Visualizações do blog "Educação para o Trânsito com Qualidade": 2.648 Postagens mais visitadas Manual para Motorista com agenda, com 195 visualizações. Paródias de trânsito no ritmo de "marchinhas de carnaval", com 152 visualizações. Valeu!