Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

25 de fev de 2010

Guerra dos Sexos

Tenho um casal de amigos, Fátima e Fábio, que adoram brincar de “Guerra dos Sexos”. Certa vez, Mazinho e eu estávamos com eles num restaurante e eles começaram a discutir sobre quem é mais educado no trânsito. Fátima, desafiando seu marido, comenta: - Homens se acham o dono da rua. Mudam de pista quando bem entendem. Nunca dão seta. Querem que nós adivinhemos seu percurso. - Engano seu, são vocês que não dão passagem – defende-se Fábio.

Mazinho e eu nos olhamos e começamos a rir. Eles continuaram. Fábio, querendo provocar a nós, mulheres, continuou.

- Isso só mulher consegue fazer. Durante uma curva, numa pista de 5 faixas, a maioria delas, que está na faixa 1, vai parar na faixa 5. Só depois volta para a faixa 1.

Depois dessa, resolvi colaborar com minha amiga.

- Homem rouba nossa vaga no estacionamento do shopping. Outro dia, um mal educado, depois de roubar minha vaga, teve a ousadia de dizer: “Eu sei que você estava esperando. Se quiser pode tirar.”

- Não faço isso, não – Comentou Mazinho – Mas vocês buzinam por qualquer coisa, né?
Fátima encheu o peito e disse:

- O pior defeito dos homens é não admitir que estão errados e que uma mulher pode dirigir melhor do que eles.

- Quando nós erramos, muitas vezes por estarmos distraídos, ou por não ter visto uma sinalização qualquer, temos consciência disso. Instintivamente, pedimos desculpas. Nem que seja com um aceno. No entanto, nunca vi uma mulher pedir desculpas. – Justifica-se Fábio.
Fátima começa a rir e fala ironicamente:

- Nossa! Vocês são o máximo. Pena que vivem distraídos e com o instinto falhando.

- Quando estou mudando de faixa, com freqüência, algum ser do sexo masculino resolve simplesmente entrar na minha frente e reduzir a marcha, me forçando a acabar com os meus freios. Raramente vejo alguém me pedindo desculpas. Geralmente recebo cara feia em resposta. Porém, quando cometo alguma barbeiragem, peço desculpas – Comentei.

- Gostaria de saber por que as mulheres param no sinal amarelo – Perguntou Mazinho.
Fátima, rapidamente respondeu.

- Não costumo parar no sinal amarelo. Já vi um acidente acontecer por este motivo. O motorista da frente parou no sinal amarelo, o de trás veio e bateu na traseira. Mas os homens, quando percebem que são mulheres no volante, fazem o possível pra infernizar nossas vidas. Buzinam e fazem barbeiragem pra nos afrontar...

Vou encerrar por aqui. Mas essa discussão foi longe. Acredito que entre o Fábio e a Fátima ainda não terminou.

SILVA, Irene Rios da. Quem? Eu? Eu Não! E outras crônicas de trânsito. Ilha Mágica Editora. São José, 2007. Página 15.

Temas: Respeito, machismo, gentileza no trânsito.

Atividades Reflexivas

1. Faça uma pesquisa com os homens sobre a mulher na direção de veículo.
 
2. Faça uma pesquisa com as mulheres sobre os homens na direção de veículo.

3. Com as informações obtidas monte uma peça teatral para ser reapresentada diante da turma. Resposta pessoal  

Atividades Gramaticais: Classe de palavras e substantivo (identificação e classificação).

1. Dê a classe gramatical de cada palavra da 1ª frase do 4ª parágrafo do texto. Mazinho = substantivo - e = conjunção - eu = pronome - nos = pronome - olhamos = verbo - e = conjunção - começamos = verbo - a = preposição - rir = verbo.

2. Preencha as cruzadinhas abaixo com substantivos retirados do 1º ao 11º parágrafo da crônica.
3. Retire e classifique os substantivos do 11º parágrafo em próprio e comum, concreto e abstrato:
sinalização = comum e concreto - consciência = comum e abstrato desculpas = comum e abstrato - aceno = comum e abstrato mulher = comum e concreto - Fábio = próprio e abstrato

Nenhum comentário:

Postar um comentário