Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

28 de fev de 2010

Mercado de Seguros na luta contra a violência no trânsito

João Elisio Ferraz de Campos fará a abertura do Seminário no dia 09/03 Nos próximos dia 08 e 09 de março, Curitiba/PR sediará dois eventos de grande importância na luta contra a violência no trânsito. No dia 08/03, às 11:00 horas, no Parque Barigui (ao lado do Museu do Automóvel), será inaugurado o Memorial das Vítimas de Acidente de Trânsito, que tem a assinatura do arquiteto Fernando Canalli. No mesmo dia, no Salão de Atos do Parque Barigui, acontece o Seminário Viver Seguro no Trânsito, com a solenidade de abertura prevista para as 09:00 horas (o credenciamento no local estará ocorrendo a partir das 08:00 horas). O Seminário acontecerá em dois dias (08/03 e 09/03). O Seminário Viver Seguro no Trânsito contará com palestras de Diego Gonzáles, da Organização Panamericana de Saúde e da Organização Mundial de Saúde, Otaliba Libanio, do Ministério da Saúde, deputados federais Marcelo Almeida, Hugo Leal e Beto Albuquerque, da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito, J. Pedro Corrêa, coordenador do Programa Volvo de Segurança e Ailton Brasiliense, da Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP). João Elisio Ferraz de Campos, presidente da CNSeg - Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização -, fará a abertura dos trabalhos do Seminário no dia 09/03. A iniciativa da realização dos dois eventos é do Mercado Brasileiro de Seguros, que tem como objetivo representar a abertura solene no Brasil da Década de Segurança no Trânsito definida pela Organização das Nações Unidas (ONU). “Nestes dois dias de intensos trabalhos em Curitiba, serão criadas duas entidades, o Observatório do Trânsito e a Rede Paranaense de Segurança no Trânsito, que já nascerão comprometidas com o combate à violência no Trânsito”, informa João Elisio, que completa: “Nossa meta é pouparmos essas 36 mil vidas anuais. União, conscientização, iniciativa das lideranças comunitárias, determinação dos poderes públicos são os ingredientes indispensáveis para vencermos essa batalha”. A inauguração do Memorial é aberto a todos. Já as inscrições para o Seminário são gratuitas e limitadas, e podem ser feitas diretamente no Blog Viver Seguro no Trânsito, de autoria de João Elisio. Mas seja rápido, pois até ontem (25/02), mais de 230 inscrições, oriundas de 40 cidades de 12 estados brasileiros já haviam sido feitas, e as inscrições estão limitadas a 400 pessoas por dia, que é o limite de capacidade do local do evento. Para maiores informações sobre os eventos, é só entrar no Blog Viver Seguro no Trânsito http://viverseguronotransito.org.br/blog/.
Conheça a programação clicando AQUI!

Especialista prega educação

O professor Glicério Triche, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), diz que não são só vias marginais, viadutos e passarelas que faltam nas rodovias federais do Estado. Motoristas e pedestres precisam ter educação. – Os equipamentos de segurança não acompanharam o crescimentos das populações que vivem às margens das rodovias – diz. O chefe de comunicação da Polícia Rodoviária Federal, Leandro Andrade, concorda com Glicério. Ele explica que menos de 5% dos acidentes com mortes são provocados pela má conservação do veículo ou da rodovia. – A maioria dos acidentes tem como principal responsável o próprio motorista. Os números também apontam que, ao contrário do que se pensa, a maioria dos acidentes acontece nas retas, onde o motorista se sente mais confiante para realizar manobras indevidas e cometer abusos na direção. “No Brasil, a preferência nunca é do pedestre” O presidente do Movimento Nacional de Educação no Trânsito, Roberto Bentes de Sá, defende o uso de redutores de velocidade nos trechos federais perto de perímetros urbanos e melhorias na sinalização para evitar acidentes. – O que importa é a vida. A segurança das pessoas vale mais do que um trânsito fluindo. O correto é que passarelas fossem instaladas a cada 500 metros. Mas no Brasil a preferência é para o veículo, nunca para o pedestre – lamenta. Não é difícil compreender por que tantas pessoas morrem atropeladas no Estado. Atravessar uma rodovia é uma missão arriscada. O professor de física da UFSC Jorge Luiz Cunha da Silva, calcula que, para atravessar uma rodovia duplicada, com cerca de 15 metros, é preciso garantir uma distância mínima de 150 metros do carro. Isso se ele estiver trafegando a 100 km/h. O presidente do Monatran não se prende a contas. Prega a atenção: – O maior motivo de atropelamento é a distração. As pessoas perdem a noção de tempo e espaço. No caso dos idosos, eles não calculam bem a velocidade necessária para atravessar. MultimídiaPor dia, em média 110 mil veículos passam pela Via Expressa, na CapitalFreadas são comuns na BR-101anteriorlista imprimir enviar letra A - A +próxima. Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2822833.xml&template=3898.dwt&edition=14199§ion=846 (28/02/2010)

27 de fev de 2010

Estresse no trânsito: o que é e como evitar?

“- Rapaz, sabe o que mais me estressou neste ano que passou?”, perguntou-me um amigo, em um momento relaxante no cafezinho, gozando suas merecidas férias. “- Não!”, lhe respondi, curioso pela sua resposta. Mirando a rua movimentada e barulhenta ao nosso lado, disse-me: “- O trânsito! Nele enfrento, cotidianamente, situações que estragam o meu dia. Dirigir foi o que mais me deixou estressado. O trânsito está cada vez pior!”, desabafou com um ar de alívio por não estar ao volante naquele momento, quase sentindo pena dos motoristas que por ali transitavam.  

* * *

Atualmente, falar de estresse no trânsito é bastante comum. O diálogo acima demostra um pouco isso. Mas, o que é estresse? Quais são os motivos que levam as pessoas a se estressar no ambiente do tráfego? Como evitá-los? A palavra estresse tem origem inglesa (stress) e, na linguagem médica, o termo tem um sentido próprio: significa um estado de tensão em que o organismo se prepara para enfrentar ou fugir do perigo. Assim, o estresse, por si só, não é algo ruim; porém, quando estamos expostos constantemente à sobrecargas emocionais, isto pode ser prejudicial à nossa saúde.

O estresse não afeta as pessoas da mesma maneira, depende das características de cada um, do momento de vida e da fonte que o produz. O estresse se expressa em nosso corpo por meio de um conjunto de sinais e sintomas que podem ser físicos (por exemplo, dores nas articulações, na coluna) e/ou psicológicos que podem se manifestar nos comportamentos agressivos e inadequados. Os telejornais têm mostrado repetidas vezes as reações agressivas das pessoas no trânsito, visando causar danos físicos ou psicológicos de maneira intencional. Várias situações do trânsito são muito desgastantes. Os motivos do estresse, portanto, podem variar para motoristas, passageiros, ciclistas ou pedestres. Muitos condutores se estressam com os eventos que produzem perda de tempo, isto é, ser atrapalhado por outros motoristas, dirigir nos horários de pico e ficar atrás de carros muito lentos. Os contratempos que surgem, como as obras sem sinalização adequada na via, e os engarrafamentos em horários incomuns podem aumentar a tensão pela imprevisibilidade e falta de controle da situação. Alguns motoristas de ônibus, por exemplo, tendem a compensar a perda de tempo no trânsito não parando para os passageiros, colocando o veículo em movimento antes do embarque/desembarque e aumentando a velocidade do veículo em outros trechos, o que aumenta o risco de acidente. Estes comportamentos podem ser indicadores interessantes para as empresas de transporte e de seguro intervirem junto ao ambiente de trabalho do condutor, buscando identificar as raízes desses problemas. É necessário entrar no veículo preparado para enfrentar as adversidades, a fim de não “estragarmos o nosso dia”. Vale a pena planejar o itinerário antes de sair de casa e as atividades que serão desenvolvidas, sabendo que fatos inesperados poderão acontecer e gerar aborrecimentos; como disse, a percepção da perda de tempo pode produzir estresse. Experimentar e incentivar o uso de diferentes modos de transporte também pode ser interessante, uma vez que, em muitas cidades, usar o automóvel para ir ao trabalho e/ou universidade é bastante estressante.

Algumas evidências indicam que caminhar e andar de bicicleta pode ser bastante interessante, relaxante, excitante e prazeroso, além de fazer bem para a saúde e para o meio-ambiente. A infra-estrutura de transporte precária pode contribuir para o estresse. É fundamental que as autoridades façam um bom gerenciamento do trânsito, comunicando as mudanças na via, e ofereçam estradas seguras (asfalto sem buraco e sinalização). No caso dos motoristas profissionais (taxistas, motoristas de ônibus, motoboys e perueiros), as condições de trabalho inadequadas podem ser outra fonte de desgaste. É essencial que as empresas de transporte ofereçam suporte psicológico, que planejem e reavaliem periodicamente o tempo para cumprir os itinerários, pois o trânsito é muito dinâmico.

A música pode aliviar o estresse, facilitando o relaxamento, mas não em todos os casos. Um estudo canadense mostrou que, em situações de muito congestionamento, os motoristas que ouviram músicas de sua preferência no caminho para a escola ou trabalho relataram ter menos estresse do que aqueles que não ouviram música. Em situações de pouco congestionamento, o nível de estresse foi semelhante nos dois grupos. Embora os benefícios da música, uma ressalva a ser feita é que, ajustar o rádio, cassete ou cd player estão entre as maiores fontes de desatenção dos motoristas, o que pode ser perigoso. O volume alto de som dentro do veículo também pode ser prejudicial à condução segura, por diminuir a nossa capacidade de identificar os estímulos sonoros na via. E o passageiro, pode produzir estresse no motorista? Sim, ele pode ser considerado uma fonte de estresse quando conversa. Existem evidências de que a desatenção do motorista pode ocorrer dependendo do assunto, especialmente aquelas mais acalorados que geram euforia e raiva (brigas, discussões, comunicação de más notícias). Nota-se, aqui, a co-responsabilidade do passageiro na segurança de todos no veículo. Não esqueçamos: dirigir é uma atividade complexa; isto quer dizer que as fontes de desatenção devem ser evitadas e/ou minimizadas. Amigo leitor, vimos o que é estresse, como ele nos afeta e o que podemos fazer para não sofrermos tanto. Mas, o que você – enquanto motorista, passageiro, ciclista ou pedestre - pode fazer para não estressar os outros participantes do trânsito? Isso é importante para que não seja tão comum escutarmos desabafos semelhantes aos do início do texto: “Dirigir foi o que mais me deixou estressado. O trânsito está cada vez pior!”.  

Fábio de Cristo - fabiodecristo@digizap.com.br Psicologia e Trânsito Psicólogo, Especialista em Gestão de Pessoas e Mestre em Psicologia pela UFRN. Atualmente é Doutorando em Psicologia na UnB, onde desenvolve estudos sobre comportamento no trânsito.

26 de fev de 2010

Educar para não precisar punir

Um levantamento estatístico efetuado pelo departamento estadual de Transito – Detran (MT), divulgado esta semana, revelou uma situação crítica e preocupante: a falta de educação e de consciência dos condutores no trânsito.
Segundo o levantamento, as dez principais infrações cometidas em todo o Estado resultaram em cerca de 110.582 multas. Na verdade, os números são bem maiores se levado em conta o total de variantes de infrações que, segundo o estudo, chegou a 172.739 multas em 2009.
A campeã foi o “não uso do cinto de segurança”, com quase 20 mil infrações. Em segundo lugar, a falta de regularidade no licenciamento dos veículos, com cerca de 16 mil. Todavia, dirigir sem habilitação resultou em quase 15 mil multas, seguidas por falar ao celular enquanto dirige, que produziu 12.748 ocorrências.
Conforme o presidente do Detran-MT, Teodoro Moreira Lopes, os números refletem a falta de educação das pessoas e a falta de um senso de cidadania, onde o cidadão deve ser cônscio de seus direitos, mas também dos seus deveres. A saída é investir pesado em educação, pois sem dúvida alguma é bem mais produtivo educar, para não precisar punir. Existem correntes de estudiosos que propõem a inserção da disciplina “Educação no Trânsito”, desde as primeiras grades curriculares, desde o ensino fundamental. É um trabalho a longo prazo e os resultados provavelmente só serão conhecidos em décadas de aplicação. Todavia, se estará incutindo um senso de cidadania às futuras gerações, que por certo irão crescer sob uma ótica de maior responsabilidade, mais respeito à vida e às leis do país.
Os indicadores nacionais de acidentes de trânsito mantém o Brasil no topo do ranking negro de país que mais mata no trânsito em todo o mundo. Cada ano, cerca de 45 mil pessoas morrem vítimas de acidentes de trânsito, o que supera em muito o número de vítimas em todas as guerras existentes hoje em dia pelo mundo afora.
Na verdade, é preciso trabalhar a verdadeira educação; é preciso responsabilizar com mais rigor os condutores que insistem em desrespeitar as leis e continuam matando e mutilando impunemente.
É preciso parar isso, a vida pede socorro! Fonte: http://www.atribunamt.com.br/2010/02/educar-para-nao-precisar-punir/ (acesso em 26/02/2010)

25 de fev de 2010

Guerra dos Sexos

Tenho um casal de amigos, Fátima e Fábio, que adoram brincar de “Guerra dos Sexos”. Certa vez, Mazinho e eu estávamos com eles num restaurante e eles começaram a discutir sobre quem é mais educado no trânsito. Fátima, desafiando seu marido, comenta: - Homens se acham o dono da rua. Mudam de pista quando bem entendem. Nunca dão seta. Querem que nós adivinhemos seu percurso. - Engano seu, são vocês que não dão passagem – defende-se Fábio.

Mazinho e eu nos olhamos e começamos a rir. Eles continuaram. Fábio, querendo provocar a nós, mulheres, continuou.

- Isso só mulher consegue fazer. Durante uma curva, numa pista de 5 faixas, a maioria delas, que está na faixa 1, vai parar na faixa 5. Só depois volta para a faixa 1.

Depois dessa, resolvi colaborar com minha amiga.

- Homem rouba nossa vaga no estacionamento do shopping. Outro dia, um mal educado, depois de roubar minha vaga, teve a ousadia de dizer: “Eu sei que você estava esperando. Se quiser pode tirar.”

- Não faço isso, não – Comentou Mazinho – Mas vocês buzinam por qualquer coisa, né?
Fátima encheu o peito e disse:

- O pior defeito dos homens é não admitir que estão errados e que uma mulher pode dirigir melhor do que eles.

- Quando nós erramos, muitas vezes por estarmos distraídos, ou por não ter visto uma sinalização qualquer, temos consciência disso. Instintivamente, pedimos desculpas. Nem que seja com um aceno. No entanto, nunca vi uma mulher pedir desculpas. – Justifica-se Fábio.
Fátima começa a rir e fala ironicamente:

- Nossa! Vocês são o máximo. Pena que vivem distraídos e com o instinto falhando.

- Quando estou mudando de faixa, com freqüência, algum ser do sexo masculino resolve simplesmente entrar na minha frente e reduzir a marcha, me forçando a acabar com os meus freios. Raramente vejo alguém me pedindo desculpas. Geralmente recebo cara feia em resposta. Porém, quando cometo alguma barbeiragem, peço desculpas – Comentei.

- Gostaria de saber por que as mulheres param no sinal amarelo – Perguntou Mazinho.
Fátima, rapidamente respondeu.

- Não costumo parar no sinal amarelo. Já vi um acidente acontecer por este motivo. O motorista da frente parou no sinal amarelo, o de trás veio e bateu na traseira. Mas os homens, quando percebem que são mulheres no volante, fazem o possível pra infernizar nossas vidas. Buzinam e fazem barbeiragem pra nos afrontar...

Vou encerrar por aqui. Mas essa discussão foi longe. Acredito que entre o Fábio e a Fátima ainda não terminou.

SILVA, Irene Rios da. Quem? Eu? Eu Não! E outras crônicas de trânsito. Ilha Mágica Editora. São José, 2007. Página 15.

Temas: Respeito, machismo, gentileza no trânsito.

Atividades Reflexivas

1. Faça uma pesquisa com os homens sobre a mulher na direção de veículo.
 
2. Faça uma pesquisa com as mulheres sobre os homens na direção de veículo.

3. Com as informações obtidas monte uma peça teatral para ser reapresentada diante da turma. Resposta pessoal  

Atividades Gramaticais: Classe de palavras e substantivo (identificação e classificação).

1. Dê a classe gramatical de cada palavra da 1ª frase do 4ª parágrafo do texto. Mazinho = substantivo - e = conjunção - eu = pronome - nos = pronome - olhamos = verbo - e = conjunção - começamos = verbo - a = preposição - rir = verbo.

2. Preencha as cruzadinhas abaixo com substantivos retirados do 1º ao 11º parágrafo da crônica.
3. Retire e classifique os substantivos do 11º parágrafo em próprio e comum, concreto e abstrato:
sinalização = comum e concreto - consciência = comum e abstrato desculpas = comum e abstrato - aceno = comum e abstrato mulher = comum e concreto - Fábio = próprio e abstrato

Gestão, Psicologia e Educação de trânsito

"A via pública é o maior encontro social entre os diferentes, espaço fundamental e necessário à sobrevivência e convivência humana, onde se deve haver a busca do equilíbrio com garantia de direitos igualitários de fato, visando um conjunto que abrange a legislação, educação, segurança e fluidez". Esta frase é da minha aluna de Pós-graduação, ANIZABETH, e nos provoca algumas reflexões: "Como conciliar os interesses dos usuários do trânsito"; "Como educá-los adequadamente, para uma convivência pacífica"; "Como realizar campanhas educativas que realmente funcionem". Debata questões como estas na Pós-graduação "GESTÃO, PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE TRÂNSITO", início em 20-03 (escreva para pos@ceatnet.com.br).
Postado por JULYVER MODESTO DE ARAUJO às 07:05 no Blog: Trânsito: Uma imagem 100 palavras

22 de fev de 2010

Programa incentiva a carona entre os servidores públicos


Cidade Administrativa. Colegas se revezarão ao volante no trajeto até a nova sede do governo estadual. 

Projeto já testado começa hoje a ser praticado entre os funcionários. 

Os cerca de 1.800 servidores que começam a trabalhar hoje na Cidade Administrativa (nova sede do Governo Estadual) terão na carona solidária uma boa alternativa para se deslocar até o local, no bairro Serra Verde, região Norte da capital. A partir de hoje, eles poderão se cadastrar no programa MelhorAr, que promove a prática entre os funcionários. Por meio de um sistema disponível na internet, cada participante registra seu local de origem e horários de chegada e saída. Após um cruzamento de dados, o programa gera um plano de rotas que permite que os servidores combinem as caronas. A expectativa dos organizadores é de que participem do projeto pelo menos 2.400 dos cerca de 16 mil servidores que trabalharão na nova sede - a conclusão da mudança está prevista para julho. Uma versão em menor escala do MelhorAr vinha sendo testada no Sistema Estadual do Meio Ambiente (Sisema) e servirá como base para a implementação do programa na Cidade Administrativa. Renata Meirelles, coordenadora do projeto piloto, conta que, dentre os resultados observados, destaca-se a melhor convivência no ambiente de trabalho. "A gente enxergou que muitos colegas não tinham contato, mesmo morando perto e trabalhando no mesmo lugar", revela Renata. É o caso do analista de informática Lucas Assumpção, 21, que é servidor do Sisema e está entre os funcionários que, a partir desta semana, passarão a trabalhar na nova sede. "Encontrei três colegas que eu já conhecia e não sabia que moravam no meu bairro. Além do benefício da economia e da redução de veículos em circulação, a gente ganha na companhia e fortalece as amizades", observa Lucas, que pratica a carona de duas a três vezes por semana com os novos amigos. Outro exemplo é o relações-públicas Leandro Rocha, 27. "Descobri uma colega que mora no prédio ao lado do meu e mais duas pessoas que têm um trajeto em comum. É uma ideia que vale a pena multiplicar", recomenda Leandro, lembrando ainda que o sistema registra hábitos dos participantes e dá dicas para um bom relacionamento. 

Dicas do MelhorAr 

Cigarro. 
Antes de acender, pergunte ao companheiro se ele vai ficar incomodado. 

Lanche. 
Pergunte ao condutor se há problema comer ou beber no interior do veículo. 

Som. 
Mantenha um volume agradável. Respeite o gosto musical do condutor. 

Manias. 
Evite mexer no ar-condicionado, janela, banco e rádio do carro sem a permissão do condutor.  

Horários. 
Condutor e caroneiro contam com a pontualidade um do outro. Faça o combinado.

Imprevistos. 
Caso apareça alguma surpresa que impeça a carona, avise com antecedência, por telefone.

Volume 

20 mil servidores e visitantes são esperados diariamente na Cidade Administrativa.


2.400 adeptos é a estimativa da organização. 

Benefício 

Veículos ganharão 600 vagas. A adesão ao projeto trará benefícios para os condutores. Uma das ferramentas avaliadas é a concessão de 600 vagas de estacionamento para os carros cadastrados. Outras medidas ainda serão estudadas, como a realização de convênios com postos de lavagem e oficinas. Para usufruir das vantagens, os automóveis terão adesivos de identificação. Para realizar o registro, condutores e caroneiros precisarão apresentar identidade, carteira de habilitação e documento do veículo, entre outros.

Promoções terão "casadinha" com ecobags 
Os já tradicionais sorteios realizados pelo jornal O TEMPO e pelo portal O TEMPO Online trazem agora uma novidade: os ganhadores das próximas promoções serão contemplados também com uma ecobag da campanha "Cabe um amigo no seu carro. Carona Solidária: vamos nessa!". Hoje, serão sorteados 25 pares de ingressos de cinema para assinantes do jornal. Ao retirar o prêmio, nos dias 24 e 25, os ganhadores já poderão levar para casa a sacolinha, produzida com material ecologicamente sustentável. Os interessados devem ligar até as 13h de hoje para (31) 3209-0024. Os assinantes não serão, no entanto, os únicos que terão a oportunidade de ganhar a ecobag. Fique atento às próximas promoções disponíveis em www.otempo.com.br/entretenimento. Publicado em: 22/02/2010 

Fonte: 
http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdEdicao=1579&IdCanal=6&IdSubCanal=&IdNoticia=134450&IdTipoNoticia=1 (acesso em 22/02/2010)

21 de fev de 2010

Manifesto pela Educação no Trânsito

*Fábio de Cristo Aos companheiros pesquisadores, especialistas, instrutores, professores, gestores e demais profissionais do trânsito. O deslocamento nas cidades está cada vez mais perigoso e desgastante, gerando diversos transtornos para todos que circulam nas ruas e calçadas do nosso país. Os jornais e telejornais divulgam amiúde reportagens que mostram os horrores de uma guerra sem vencedores. Infelizmente, esses meios de comunicação exploram o sofrimento, a tragédia e a infelicidade alheia, muito mais para ganhar público do que para educar o ser humano. A audiência, por sua vez, vê e assiste a tudo isso estarrecida, paralisando-se no medo ante as conseqüências negativas da imprudência e da falta de bom senso de muitos motoristas e pedestres, sem esboçar, no entanto, qualquer atitude de mudança de sua própria conduta, manifestando apenas revolta. A educação para o trânsito que temos no Brasil, praticada em grande parte nos centros de formação de condutores, poderia muito bem ser rotulada de educação para passar na prova do DETRAN, esquecendo aquelas instituições do compromisso que deveriam ter com a sociedade. Simultaneamente, a atuação de muitos órgãos de trânsito dos estados junto às escolas regulares tem se resumido a palestras sobre como tirar a habilitação, em vez de explicar aos jovens as conseqüências potenciais que as ações impensadas no trânsito podem trazer para elas e para os outros; ou ainda, explicar os porquês da existência de certas normas que parecem, à primeira vista, restringir seus direitos e sua liberdade. Com a percepção, muitas vezes distorcida, de que leis e resoluções de trânsito existem apenas para beneficiar financeiramente alguns setores do mercado, nossos jovens tornam-se transgressores conscientes, contribuindo para a desarmonia coletiva que experienciamos no tráfego das cidades. Por sua vez, pais de família que não tiveram uma formação rigorosa para conduzir e conviver de maneira cordial nas ruas (re)transmitem valores deturpados aos seus filhos, que são os pedestres de hoje e, possivelmente, os futuros condutores de amanhã. Esquecem que o trânsito de 20 ou 30 anos atrás é muito diferente do atual em pelo menos duas coisas: a elevada quantidade de automóveis e a maior potência dos motores. É necessário, portanto, desenvolver nas crianças e jovens conhecimentos, habilidades e atitudes importantes para sobreviver na atual selva de asfalto, veículos motorizados e bichos-homens furiosos. Em função deste despreparo, “nossos meninos” reproduzem equivocadamente os erros daqueles que teriam o dever de lhes orientar adequadamente. Diante disso, parece ser inviável semear idéias e reflexões na tarefa pessoal dos pais, educadores, condutores e futuros condutores de educar a si mesmos e de transmitir boas ações aos outros. Contudo, devemos resistir, acreditar em um futuro mais feliz e harmonioso! “Companheiros profissionais do trânsito, uni-vos!”. É primordial oferecer ajuda, argumentos e idéias ao pai que queira conversar com o filho sobre como se comportar no trânsito, mas não sabe por onde começar ou não acha necessário. É urgente fundamentar e facilitar o trabalho de professores e instrutores de trânsito, disponibilizando conhecimentos e produzindo materiais que estimulem o debate, em sala de aula, dos diversos temas relacionados à segurança no trânsito. Ao mesmo tempo, marchemos adiante na perspectiva de atrair a atenção dos jovens que ainda não dirigem e/ou que estão perto de adquirir a sonhada habilitação, contribuindo com a sua formação cidadã. Usemos de diversas estratégias para alcançar estas nobres metas. Sempre que possível, optemos por não escrever textos longos e/ou enfadonhos; o corre-corre dos tempos atuais dificulta demais a leitura de coisas exaustivas. Isto facilita também o trabalho dos educadores em sala de aula, servindo como instrumentos capazes de estimular as discussões a respeito de um assunto. Que as observações do cotidiano e as notícias nos jornais, por exemplo, sirvam de mote para “dar vida” a algumas idéias para os temas abordados, aliando tudo isso a uma linguagem acessível e interativa. Não esqueçamos, companheiros, de buscar sempre aprender e atualizar nossos conhecimentos, buscando referências bibliográficas sérias para subsidiar os argumentos e pensamentos. Elas também poderão servir como sugestões para nossos leitores aprofundar os conhecimentos. Nossas ações, discursos e textos devem ser coerentes e provocar reflexões, já que parece existir uma forte tendência de privilegiar tão somente os aspectos sensacionalistas do trânsito, vide a freqüente associação entre trânsito e mortes, ferimentos, colisões e capotamentos, tanto na mídia, quanto nos “discursos prontos” de muitas pessoas, inclusive especialistas. Se esta estratégia baseada no medo e nos números estatísticos funcionasse, certamente já teríamos alcançado a tão almejada e discutida segurança no trânsito. Em vez disso, busquemos utilizar uma abordagem mais psicológica dos problemas, o que pode ser um modo interessante e útil para tentar estimular o leitor a pensar e a decidir por si mesmo, sem oferecer uma receita de bolo do tipo “faça isso assim, faça aquilo assado”, embora em alguns casos isso se faça realmente necessário. Companheiros, somente por meio de intenso trabalho e dedicação, acreditando no êxito da nossa tarefa no futuro, é que, por meio da educação, concretizaremos o nosso intento: A PAZ NO TRÂNSITO! Assinado, O PARTIDO DOS CIDADÃOS BRASILEIROS. *Psicólogo, Especialista em Gestão de Pessoas e Mestre em Psicologia pela UFRN. Atualmente é Doutorando em Psicologia na UnB, onde desenvolve estudos sobre comportamento no trânsito. fabiodecristo@digizap.com.br

20 de fev de 2010

12 de fev de 2010

Presidente da FENASDERAN é homenageado no Fórum Social Mundial Temático Bahia

O Presidente da Federação Nacional das Associações de DETRAN (FENASDETRAN) e Presidente do Comitê de Estudos e Ações para o Trânsito e Vida, o Baiano Mário Conceição, foi homenageado durante a realização do Seminário Trânsito e Vida no Fórum Social Mundial Temático Bahia, realizado no Hotel da Bahia no dia 29 de janeiro último, na cidade do Salvador. Antes da homenagem, o Presidente Mário Conceição proferiu um eloqüente discurso na sessão de abertura “O Século XXI é o Século da Inclusão Social”, enfatizando vários temas ligados à comunidade, dentre eles a defesa de que só pode haver sucesso na inclusão social com a participação da todos: autoridades, comunidades e técnicos, dentre outros. O especialista criticou também o apelo sexual e a violência tão visível hoje através dos meios de comunicação, e, quando se pronunciou que a sociedade está estressada diante desses problemas, ele deixou um questionamento dizendo: até onde iremos chegar? Finalizando o discurso, o Presidente da FENASDETRAN, Mário Conceição, enfatizou a importância da realização do Seminário Trânsito e Vida aqui na Bahia, afirmando que os temas abordados e discutidos durante a palestra foram bastante proveitosos, esperando também que esse evento venha sensibilizar autoridades, comunidades e também os meios de comunicação em prol de uma sociedade mais justa, além de ressaltar a árdua luta e a eficiência que os companheiros tiveram para realizar esse tão importante evento. Esperando assim que esse Comitê, que nasceu na Bahia, seja divulgado em outros estados brasileiros e também em vários países do mundo, e que no próximo ano esse evento seja realizado com grande sucesso em Dacar, no Senegal. A homenagem feita ao Presidente, Mário Conceição, foi em reconhecimento aos relevantes serviços prestados. por esse incansável especialista que tanto lutou e luta em prol da comunidade brasileira na área de trânsito.
Fonte:
http://www.fenasdetran.com.br/noticia27.php (acesso em 12/02/2010)

9 de fev de 2010

Ministérios se unem para fornecer cursos superiores a profissionais de segurança

Lourenço Canuto Repórter da Agência Brasil Brasília - Os ministérios da Justiça e da Educação editaram portaria conjunta que prevê cursos de graduação superior na área do trânsito e da segurança pública. Os cursos poderão ser ministrados em universidades públicas ou privadas que estejam aptas e disponham de horário compatível com o dos dos interessados. Podem fazer os cursos profissionais que exercem função de nível superior nos setores ligados à segurança. Ao comentar a importância da "convergência" dos duas pastas em torno da questão, o ministro da Justiça, Tarso Genro destacou que não se pode mais pensar na estrutura de segurança pública e nas políticas para o setor que se baseiem apenas na força e no controle físico das regiões. “Temos que trabalhar com inteligência e qualificação policial, desenvolvendo métodos tecnológicos adequados para enfrentar a criminalidade contemporânea". Genro disse que a meta é preparar a estrutura policial para ser “dura com o crime e generosa e acolhedora com o cidadão". Para ele, esse é o grande diferencial contido no Programa Nacional de Segurança Pública e Cidadania (Pronasci). O ministro da Educação, Fernando Haddad afirmou que a união de setores do governo na política da profissionalização enriquece os projetos pedagógicos, permitindo que o governo preste melhor serviço à sociedade em cada área em que ofereça cursos profissionalizantes. O secretário nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri, argumentou que o Brasil tem a maior rede de cursos do planeta, o que é reconhecido internacionalmente. Ele defendeu que não se pode fazer segurança pública "com amadorismo, mas com inteligência e absorção de conhecimentos sólidos". Haddad acentuou que um quarto da população do país se interessa pelos cursos profissionalizantes em geral. A portaria prevê a realização de três cursos, com carga horária mínima de 1.600 horas cada um. Serão, os cursos superiores de Tecnologia em Segurança Pública; de Tecnologia em Serviços Penais, e de Tecnologia em Segurança do Trânsito. A graduação em Tecnologia para a Segurança Pública se destina a profissionais que atuam nas áreas de política, gestão, planejamento e técnicas operacionais no âmbito do sistema de segurança pública. Está fundado nos princípios da cidadania, direitos humanos e na cultura da paz, nas atividades de prevenção e enfrentamento de conflitos. O curso de Tecnologia em Serviços Penais se destina aos serviços penitenciários, visando à segurança, à disciplina, saúde e qualidade de vida, inserção social do preso, internado e egresso,contra os riscos do confinamento. O curso de Tecnologia em Segurança do Trânsito é direcionado a quem planeja, analisa, fiscaliza e executa serviços definidos pelo Sistema Nacional de Trânsito e está centrado no desenvolvimento tecnológico, social e na segurança do trânsito, com respeito ao ser humano e ao meio ambiente. Fonte: http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2010/02/08/materia.2010-02-08.1014684258/view (acesso em 09/02/2010)

Fetran chega a sua 7ª edição com lançamento nesta terça

Circuito MT com informações Núcleo de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso 08/02/2010 13:00 Ocorre nesta terça (09.02) o lançamento da 7ª do projeto Festival Estudantil Temático Teatro para o Trânsito (Fetran), que desde 2004, quando criado em Mato Grosso pela Polícia Rodoviária Federal, conta com o apoio do Departamento Nacional de Trânsito de Mato Grosso (Detran MT) em sua execução. O FETRAN é um festival estudantil de teatro em que todos os espetáculos concorrentes têm como tema a “Educação para o Trânsito”. Ele é dividido em três categorias compreendidas em: infantil, infanto-juvenil e juvenil, sendo: Infantil: grupos compostos por alunos do primeiro ciclo e do segundo ciclo do ensino fundamental. Infanto-juvenil: grupos compostos por alunos do terceiro ciclo do ensino fundamental. Juvenil: grupos compostos por alunos do ensino médio. Em cada etapa regional, o grupo vencedor de cada categoria se classifica para a etapa estadual, que será realizada em Cuiabá no período de 19 a 23 de julho de 2010. Durante a realização de cada uma das etapas, serão ministradas oficinas de teatro (interpretação, iniciação teatral, expressão corporal, direção) a alunos e professores participantes. Desde sua 5ª Edição o Fetran começou a ser regionalizado, com a realização de etapas classificatórias em cidades-polo do interior do estado, além de começar a ser implantado em outros estados brasileiros, como Rio de Janeiro e Sergipe. Em 2009 Bahia e Maranhão passaram a fazer parte dos estados onde o Fetran é realizado. A previsão é que em 2010 o projeto chegue ao total de ao menos 10 estados brasileiros. Podem participar do Fetran todas escolas do ensino fundamental e médio. Para participar basta criar um espetáculo de teatro com a temática “Trânsito” e inscrever no projeto. Para a inscrição é necessário enviar cinco cópias do texto e um vídeo com um ensaio do espetáculo acompanhados da ficha de inscrição para o Núcleo de Comunicação Social da 2ª Superintendência de Polícia Rodoviária Federal, Rua Joaquim Murtinho, nº 1.400, esquina com a Rua Régis Bittencourt, Bairro Porto, em Cuiabá – MT, CEP: 78020-830. O regulamento e a ficha de inscrição podem ser solicitados através do e-mail: fetran@dprf.gov.br ou retirados no site do DETRAN no endereço: http://www.detran.mt.gov.br/ As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de março. O lançamento da 7ª Edição do Fetran será nesta terça (09.02) no Cine Teatro Cuiabá. Na cerimônia de lançamento, além da apresentação do projeto, serão encenados os espetáculos “Meninos do Trânsito em - Trânsito, Movimento e Alegria” com a Cia Theatro em Cena, que participa do FETRAN desde 2004 e “Na contramão, viajando pelo Brasil” com o grupo FACES, da Escola Estadual Alda Scopel, da cidade de Primavera do Leste, vendedor do FETRAN em 2009 na categoria juvenil. Após o encerramento das inscrições uma equipe composta por cinco integrantes irá escolher os espetáculos que irão concorrer em cada uma das etapas classificatórias, conforme calendário: Período Etapa Cidade De 12 a 16 de abril - Etapa Nortão - Sorriso De 26 a 30 de abril - Etapa Pantanal - Primavera do Leste De 10 a 14 de maio - Etapa Araguaia - Água Boa De 24 a 28 de maio - Etapa Cuiabana - Várzea Grande De 10 a 19 de junho - Etapa Guaporé - Comodoro e Pontes e Lacerda 10 a 13 de junho – Comodoro 14 a 19 de junho – Pontes e Lacerda Fonte: http://www.circuitomt.com.br/home/materia/38519 (acesso em 09/02/2010)

8 de fev de 2010

Paródias de trânsito no ritmo de "marchinhas de carnaval"

Fonte da imagem: pixshark.com


Direção e Bebida  

Ritmo: Cachaça (Você pensa que cachaça é água...) Mirabeau Pinheiro-Lúcio de Castro-Heber Lobato

Você pensa em voltar dirigindo,
Então não pode beber não,
Direção exige consciência,
E bebida lhe deixa “doidão”.

Você pode aproveitar a vida
Sorrir, brincar e pular,
Pode cair na folia,
De tudo mais pode desfrutar.

Pode beber à vontade,
Cerveja e até batida.
Só não pode misturar
Direção com a bebida.  

Vou de carona  

Ritmo: Saca-Rolha (As águas vão rolar...) Zé da Zilda-Zilda do Zé-Waldir Machado

A festa vai rolar,
Vou de carona então posso aproveitar,
De mão em mão o copo, o copo, o copo passa,
E bebo até eu me fartar,
Mas sem exagerar.

O motorista vai beber “refri”,
Com segurança ele vai nos levar,
Por isso o copo, o copo, o copo passa,
Hoje é só farra! Hoje é só farra!

Autora: Irene Rios

3 de fev de 2010

Evento Lei Salva Vidas

E com imenso prazer que a TRÂNSITOAMIGO – Associação de Parentes, Amigos e Vítimas de Trânsito convida para o ato que será realizado no próximo dia 08 de fevereiro, segunda feira, às 08:00 horas, na Praia de Copacabana (Avenida Atlântica, entre as Ruas Prado Júnior e Princesa Isabel – Posto 2) quando celebraremos as 3.700 vidas salvas no estado do Rio de Janeiro em apenas um ano em decorrência da LEI SECA e de sua fiscalização. O evento também marcará no Brasil o início da Campanha DÉCADA DE AÇÕES PARA A SEGURANÇA VIÁRIA 2011/2020, lançada pela Organização Mundial de Saúde e Pela FIA Foundation em novembro de 2009, durante a 1ª Conferência Ministerial Global para a Segurança Viária realizada em Moscou. O evento contará com expressiva cobertura da imprensa e com a participação de representantes de entidades públicas e privadas e de familiares de vítimas de trânsito. Você é nossa(o) convidada(o) especial! Informações
Fonte:
http://www.transitoamigo.com.br/eventos.asp?codigo=177 (acesso em 03/12/2010)

Cronograma de ações de Educação para o Trânsito inicia nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira (4), a Prefeitura de Boa Vista inicia o cronograma de atividades de educação para o trânsito em frente às escolas da rede municipal de educação. A primeira a ser visitada pela equipe de atores da Superintendência Municipal de Trânsito (SMTRAN) é a Aquilino Mota, na Avenida Getulio Vargas, no Centro. A atividade acontecerá a partir das 7h30 na faixa de pedestre em frente à unidade. A intenção é utilizar os atores do grupo Educando para a Vida da SMTRAN, para ensinar às crianças a maneira correta de atravessar a faixa e alertar os condutores em dar prioridade aos estudantes. Claide Souza, diretora da Divisão de Educação para o Trânsito, explica que as crianças serão ajudadas a atravessar a rua aprendendo a dar o sinal de vida. “Queremos utilizar o grupo com todos os personagens da peça “Trânsito Legal” como a Catarete, que é o semáforo, para ajudar as crianças a compreenderem que quando forem atravessar a faixa é necessário sinaliza com o braço indicando ao condutor que ela quer passar”, conta. Segundo Claide, as ações serão realizadas em todas as escolas municipais, estaduais e particulares de acordo com a revitalização das faixas de pedestres que está sendo realizada pela SMTRAN. “A cada dia desejamos estar em uma escola ajudando aos alunos a atravessarem com segurança e mostrando como é necessário respeitar a vida do pedestre”, frisa a diretora. Até o momento, a SMTRAN já revitalizou as faixas em frente às escolas municipais Aquilino Mota e Francisco Bríglia, estaduais Lobo D’almada, Oswaldo Cruz e Euclides da Cunha, a João Mendonça Furtado do Serviço Social da Indústria (SESI) na Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes e a católica Anjo da Guarda. A equipe também revitalizou outras faixas como as localizadas na Avenida Silvio Botelho, no Centro, em frente ao Banco Real, Igreja Mundial do Reino de Deus e a do semáforo, na Avenida Getúlio Vargas, em frente aos correios, na Orla Taumanan e Caixa Econômica Federal, na Avenida Bento Brasil com a Jaime Brasil, em frente a casa de 12 portas. Fonte: http://www.bvnews.com.br/cotidiano5524.htm (acesso em 03/02/2010)

1 de fev de 2010

O Fiscal e o Educador de Trânsito

Azul: Educador de Trânsito  

Preto: Fiscal de Trânsito  

Pessoal aqui presente, 
Venho aqui me apresentar, 
Sou educador de trânsito, 
Meu ofício é ajudar 
A manter a segurança, 
Pra sua vida melhorar.

Pra minha vida melhorar,
Você quer me fazer rir,
Dizendo que com conversa
O infrator vai atingir.
Eu sou um fiscal de trânsito,
Minha meta é punir.  

Sua meta é punir,
Isso não é suficiente, 
Não resolve os problemas 
Que afligem nossa gente, 
Precisamos é formar 
Motoristas conscientes. 

  Motoristas conscientes,
Isso eu sei como fazer,
Xingo o infrator de tudo,
Faço o cidadão tremer,
Depois dou uma bela multa,
Pra ele nunca me esquecer.  

Pra ele nunca lhe esquecer, 
Nisso você tem razão, 
Agindo dessa maneira, 
Sem nenhuma educação, 
Por muitos será lembrado, 
Com ódio no coração. 

 Com ódio no coração,
Isso não me importa não,
Quando vejo um motorista,
Cometendo infração,
Fico muito indignado,
Sinto muita irritação.
 
Sente muita irritação,
Põe a mão na consciência,
Como quer que nas estradas
Haja menos violência, 
Se você não dá o exemplo, 
Se não age com paciência?

Se não ajo com paciência,
É assim que deve ser,
Quem comete infração,
Quem não cumpre seu dever,
Tem que ouvir e ficar quieto,
Tem que pagar pra aprender.  

Tem que pagar pra aprender, 
Em parte lhe dou razão, 
Mas isso só dá retorno, 
Só resulta em educação, 
Se vier acompanhado 
De respeito e orientação.

De respeito e orientação,
Isso não sei fazer, não.
Como posso respeitar
Quem comete infração?
Como vou orientar
Quem não tem educação?  

Quem não tem educação, 
Quem na estrada é imprudente, 
Precisa ser orientado 
Por alguém experiente, 
Que o faça refletir, 
Que o torne consciente.

Que o torne consciente,
Acho que estou entendendo,
O infrator tem que pensar
Sobre o que está fazendo,
Pois apenas cobrar multa,
Pra nós não está resolvendo.  

Pra nós não está resolvendo, 
Que bom ter observado, 
Pense naquele infrator, 
Que pode não ser “culpado”, 
Por isso trate-o sempre 
Como queres ser tratado.

Como quero ser tratado,
Me desculpe, por favor,
Não devo julgar ninguém,
Que bom que me alertou,
De hoje em diante vou ser
Um FISCAL EDUCADOR.  

Irene Rios da Silva

Audiência do site em Janeiro de 2010

Visualizações do blog "Educação para o Trânsito com Qualidade": 2.351 Postagem mais visitada: Manual para Motorista com agenda, com 128 visualizações.
Satisfeita pela atenção.
Irene