Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

30 de out de 2009

Começa domingo (1º) campanha nacional de trânsito do MCidades

29/10/2009
MCidades lançou campanha de publicidade em entrevista coletiva no Rio, nesta sexta (30) No próximo domingo (1º), começa a campanha nacional de trânsito com a veiculação das propagandas de televisão, jornal, rádio, mídia externa e revista em todo o Brasil. A campanha foi lançada pelo Ministério das Cidades nesta sexta-feira (30), durante coletiva de imprensa na sede do Detran/RJ, com a presença do ministro das Cidades, Marcio Fortes de Almeida, do presidente do Detran fluminense, Fernando Avelino, do diretor do Denatran, Alfredo Peres, e da diretora da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), Cláudia Secin. Entre os temas tratados nesta campanha estão a necessidade de se realizar a manutenção do veículo, respeitar a travessia de pedestre e utilizar cinto de segurança no banco traseiro e evitar a direção sob efeito de medicamentos ou álcool. O objetivo da campanha é impactar os atores do trânsito (motoristas, pedestres, motociclistas, ciclistas) para incentivar a condução com responsabilidade, o respeito às leis e o convívio civilizado nas necessidades diárias de deslocamentos. O público-alvo está compreendido em pessoas com idade entre 18 e 40 anos. “O selo 'Sou legal no trânsito', que consta em todas as campanhas do MCidades, abrange a observância à lei mas também um comportamento civilizado e educado no trânsito”, concluiu o ministro Marcio Fortes. “O endurecimento das penas para quem bebe e dirige faz parte da Política Nacional Anti-Drogas. É uma decisão do presidente Lula”, disse. Código de Trânsito – O ministro adiantou que o Congresso Nacional deve votar no próximo dia 10 as propostas de alteração no Código de Trânsito Brasileiro. Entre outras mudanças previstas, estão incluídas maiores penalidades para quem ultrapassa pelo acostamento e maior controle sobre quem comete as infrações de trânsito, para evitar a transferência de pontos das multas para outras pessoas. A campanha só foi possível graças aos recursos arrecadados com infrações de trânsito e com o pagamento do seguro obrigatório. A afirmação foi feita pelo ministro das Cidades. “Este ano, o governo Federal vai investir R$ 120 milhões em campanhas de educação no trânsito”, disse. O local de lançamento da campanha foi escolhido no Detran/RJ, pois se trata de uma parceria em defesa da vida. “Também faremos uma campanha de esclarecimento sobre o uso dos recursos do Seguro DPVAT em caso de acidente”, disse Marcio Fortes. Diagnóstico – A frota de veículos do Brasil dobrou nos últimos 10 anos, aumentando consideravelmente o índice de acidentes no trânsito. São 56,3 milhões de veículos circulando pelas ruas, avenidas e rodovias do país, com mais de 35 mil mortes anuais registradas. O Brasil é um dos cinco países com maior número de mortes no trânsito - 100 óbitos por dia. Ministério das Cidades Assessoria de Comunicação (61) 2108.1602 Fonte: http://www.cidades.gov.br/noticias/ministerio-das-cidades-lanca-campanha-nacional-de-transito (acesso 30/10/09)

ABRAVITA - Aliança Brasileira para a Redução das Vítimas no Trânsito

CARTA DE INTENÇÃO E CONVITE À SOCIEDADE
A Organização Mundial de Saúde, em seu relatório anual de 2004 que elegeu a Segurança Viária como tema principal, definiu em seis recomendações específicas as iniciativas que os países deveriam adotar para o desenvolvimento de políticas públicas para combater as lesões e mortes provocadas pelo trânsito.
O documento revela que, a cada ano, cerca de um milhão e trezentas mil pessoas perdem a vida e outras tantas se tornam deficientes ou incapacitadas, principalmente em países de médio e baixo desenvolvimento.
Entretanto, mesmo diante desta constatação, das estatísticas sempre crescentes e das trágicas conseqüências decorrentes da violência no trânsito, a prevenção e a segurança das vias públicas não recebem a devida atenção das autoridades.
Dentre as razões desta realidade destacam-se a falta de vontade política; a inexistência de consciência coletiva sobre prevenção; a carência de informações sobre a magnitude do problema; a desatenção quanto aos elevados custos médicos, sociais, econômicos e emocionais das ocorrências e a não adoção de iniciativas eficazes e permanentes capazes de enfrentar, impedir e reduzir sensivelmente esse fenômeno já caracterizado como uma doença social de proporções epidêmicas.
O documento estabelece como primeira condição (Recomendação No1) a criação de um organismo coordenador na Administração Pública para orientar as atividades nacionais sobre segurança viária. Reconhece, contudo, a grande dificuldade de que isso ocorra em alguns países em função da organização administrativa existente. Nestes países a responsabilidade sobre os diversos aspectos que abrangem o trânsito – projetos e designs de veículos, traçado das vias públicas, construção de redes viárias, planejamento urbano e rural, introdução e aplicação da legislação de segurança e tratamento das vítimas de acidentes - está sob a ótica e responsabilidade de uma grande variedade de unidades administrativas oficiais distintas que raramente interagem e frequentemente se chocam.
No caso do Brasil, apesar dos expressivos avanços na questão do trânsito a partir da edição, em 1997, do novo Código de Trânsito Brasileiro, inexiste, até hoje, uma entidade oficial nos moldes sugeridos pela OMS, que se responsabilize integralmente e com competência pela coordenação de todas as atividades ligadas à segurança da circulação viária e à prevenção da violência no trânsito
De acordo com a primeira recomendação da OMS, cada país deve dispor de uma entidade com credibilidade e competência para liderar e orientar o esforço nacional em prol da segurança viária. Esta entidade, com autoridade e autonomia para tomar as decisões necessárias, deve ter como missão administrar recursos financeiros, humanos e tecnológicos necessários, coordenando as ações de todos os atores envolvidos na tarefa – aí incluídos os de âmbito governamental como os da saúde, dos transportes, da educação, da justiça, desenvolvimento urbano, dentre outros.
Os exemplos bem sucedidos em todo o mundo, notadamente nos países mais desenvolvidos, ensinam-nos que não há uma receita pronta, mas mostram que cada país pode e deve encontrar o meio próprio para alcançar esse objetivo, de acordo com suas peculiaridades.
SOLUÇÃO BRASILEIRA Se o Governo não toma a iniciativa, a sociedade organizada deve agir usando os mecanismos disponíveis para tanto. Aliás, já há vários anos movimentos sociais têm mostrado preocupação e manifestado sua inquietação com o trânsito brasileiro.
Como medida inicial para a mudança nesse cenário com a construção de um novo paradigma para o trânsito no Brasil, entidades de classe, preocupadas com a necessidade e urgência de ações concretas, propõem a criação da ALIANÇA BRASILEIRA PARA A REDUÇÃO DE VITIMAS NO TRÂNSITO (ABRAVITA). Ela deverá ser constituída pelo maior número possível de entidades privadas e governamentais, com e sem fins lucrativos, tendo como objetivo básico lutar pela diminuição substancial das fatalidades no trânsito brasileiro.
São objetivos principais da ABRAVITA:  Promover ações que resultem na melhoria da segurança viária como um componente fundamental para o desenvolvimento sócio econômico do país;
 Incluir a segurança da circulação e a prevenção da violência no trânsito como itens obrigatórios nos orçamentos públicos para os setores da educação, da cidadania, da saúde, do transporte, do meio ambiente, do trabalho e da justiça;
 Identificar adequadamente e com embasamento técnico e científico os problemas do trânsito brasileiro e propor soluções;
 Promover e incentivar o desenvolvimento e a capacitação de gestores e especialistas em educação, prevenção e segurança no trânsito;
 Influenciar programas e projetos de construção e manutenção de vias de circulação seguras;
 Promover sistemas de transporte coletivo seguros;
 Estudar e sugerir modificações legais e normativas em defesa da segurança viária;
 Desenvolver, promover e divulgar permanentemente atitudes e procedimentos seguros e preventivos no trânsito;
 Incentivar a aplicação e a fiscalização das leis e normas de trânsito cobrando agilidade no processo punitivo dos infratores;
 Desenvolver esforços para integrar e envolver todos os grupos sociais e econômicos interessados na segurança de trânsito;
 Promover em caráter sistemático e continuado campanhas de informação, educativas, de sensibilização e mobilização social para dar sustentação ao esforço em busca da segurança viária e da prevenção da violência no trânsito;
 Identificar lideranças nacionais nos meios políticos, sociais e empresariais para que empenhem prestígio e dedicação em defesa da causa da ALIANÇA BRASILEIRA PARA A REDUÇÃO DE VITIMAS NO TRÂNSITO.
A ABRAVITA COMO UMA ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCIP
Apoiado financeiramente por setores produtivos da sociedade (indústria, comércio, serviços, entidades de classe) a ABRAVITA deve nascer como uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), com identidade institucional definida, devidamente instalada, com equipe gerencial e operacional básica constituída e metas para os primeiros anos de atividade;
Nesse primeiro passo, será indispensável o apoio de todos os tipos de entidades de classe como, por exemplo, a Associação Médica Brasileira, Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; Associação Brasileira de Medicina de Tráfego; Confederações dos Transportes, da Indústria, do Comércio e da Agricultura; Federação das Seguradoras e das Corretoras de Seguros; Federação das Distribuidoras de Combustíveis; Associações de Transporte de Cargas e Passageiros, Associação Nacional de Transportes Públicos, Associação Nacional dos Jornais, das Emissoras de Rádio e Televisão, Clubes de Serviços; Associações de Vítimas de Trânsito, Universidades e instituições de ensino e capacitação para o trânsito e transporte; etc.
Do lado governamental são bem-vindos como parceiros da ABRAVITA todos os órgãos direta ou indiretamente ligados ao trânsito que praticamente incluem todos os ministérios, governos estaduais e municipais.
A atuação da ABRAVITA será nacional, centrada basicamente na busca intransigente da redução de fatalidades no trânsito. Através de vasta e profunda documentação e de argumentos técnico-sócio-econômicos, seu papel será o de porta-voz da sociedade no que diz respeito à segurança no trânsito.
O comando desta entidade deve ser confiado a uma grande personalidade, suprapartidária, de respeito nacional e que tenha afinidade e histórico de compromisso com os grandes temas brasileiros. Não é vital que seja autoridade em trânsito ou que nele tenha trabalhado. Sua posição será muito mais de guardião dos objetivos da entidade do que um executivo das ações planejadas. Para isso, a ABRAVITA deve contar com uma equipe de colaboradores e técnicos contratados, capazes de desempenhar estas atividades.
A busca do nome para capitanear esta OSCIP deve ser intensa e o nome eleito precisa ser aceito sem restrições. Depois virá a fase mais difícil: convidá-lo para assumir o cargo simbólico. Recomenda-se que representantes indicados das entidades fundadoras da OSCIP formem um pequeno Grupo de Trabalho para, identificar, discutir, definir e convidar esse nome de consenso e estabelecer com absoluta clareza e objetiva os estatutos para sua fundação.
LANÇAMENTO A Organização das Nações Unidas, a Organização Mundial de Saúde e o Banco Mundial definiram o período de 2010 a 2020 como a Década de Ações para a Segurança no Trânsito. O mundo inteiro se mobiliza para que isso de fato ocorra e, para tanto, uma Conferência Global de ministros de todos os países reúne-se em Moscou nos dias 19 e 20 de novembro próximos.
O ideal é que nossa OSCIP possa iniciar seus trabalhos, se possível antes de 2010 para trabalhar num planejamento com absoluto alinhamento com as ações globais.
A celebração, em todo o mundo, no próximo dia 15 de novembro, do DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DE TRÂNSITO é a data ideal, não só pela precisa identificação da missão da Aliança com esse segmento da sociedade, como também pela temática escolhida para 2009 para marcar a data que é a DÉCADA DE AÇÕES GLOBAIS PARA A SEGURANÇA NO TRÂNSITO 2010/2020. Senhoras e Senhores o desafio está lançado! Fonte: http://f1.grp.yahoofs.com/v1/cP_qSmqGCOmOWrkC4GZs8tI6K_agv_TiHS24URW_vg9Yuozz0JU52A43nRXavnO6WzK7ItZ4pQraCx-kf-tVcwQrPmx8p4SYnq4/ABRAVITA_TextoM%80%A0%A6%E3e-DEFINITIVO.doc (acesso em 30/10/09)

26 de out de 2009

Encontro do Programa de Educação do Trânsito discutiu a prevenção de acidentes

A prevenção de acidentes no trânsito e na escola foi tema do penúltimo encontro de multiplicadores do programa "Plantando Consciência, Colhendo Vidas", da Secretaria Municipal de Educação. A reunião, que aconteceu nesta quinta-feira, 22, na Emef Dalila Ferreira Barbosa, pôs em pauta a organização da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) nas unidades escolares. O técnico em segurança do trabalho Sidnei Leme Ferreira falou aos 40 profissionais da formação de multiplicadores. Segundo ele, 80% dos acidentes acontecem na faixa etária até 20 anos de idade. Daí a importância de tomar medidas preventivas nas escolas. "Tudo o que a criança tiver possibilidade de fazer, ela vai fazer. Nós precisamos atentar para isso e tirar do alcance dela tudo que possa resultar em acidente". De acordo com o especialista, uma simples orientação pode evitar grandes prejuízos. "Todo nós sabemos - seja por intuição, experiência ou bom senso - como evitar que acidentes aconteçam. É preciso prever os riscos e agir, garantindo sempre que possível um ambiente seguro. Além disso, os próprios educadores devem atuar na percepção dos alunos, fazendo com que eles percebam o risco e estimulando comportamento e atitudes seguros". Os multiplicadores receberam material de orientação. Nele há uma relação que informa os acidentes mais comuns por faixa etária e medidas preventivas, assim como os aspectos gerais de segurança na escola e no trânsito. O informativo também alerta para o perigo e proibição do uso de cerol ou qualquer produto semelhante que possa ser aplicado em linhas de pipas. CIPA No próximo encontro do programa, os multiplicadores terão a tarefa de montar a equipe de CIPA das suas unidades escolares, formada por representantes dos alunos, professores, familiares e profissionais da saúde. A comissão deve avaliar regularmente todos os espaços frequentados pelos alunos, detectando situações de risco e/ou danos em qualquer equipamento, além de providenciar todos os reparos necessários para garantir a segurança das crianças e adolescentes. Uma das pessoas que aprovou a iniciativa, a diretora Lucimara Alves Ferreira, da Emef Padre Geraldo Montibeller, já promoveu mudanças na escola a partir das dicas dos encontros: "Para nós já está surtindo efeito. Antes tínhamos problema de trânsito interno no intervalo e entrada. Reorganizamos tudo, inclusive as filas, e pintamos nossa sinalização com faixas e setas. Evita colisões e é um incentivo para eles interpretarem os sinais. Trânsito não é só na rua e aprender isso tem sido muito interessante". Prêmio Todas as escolas e unidades de ensino de Arujá podem se inscrever, de 15 a 19 de novembro, para o I Prêmio de Educação para o Trânsito, cujo objetivo é incentivar a criatividade e participação no desenvolvimento de projetos e ações educativas de trânsito. Cada unidade deverá selecionar os melhores trabalhos que se enquadram no tema e objeto proposto para cada categoria, conforme o regulamento da premiação. A comissão julgadora será formada por convidados da Secretaria de Educação e Departamento de Trânsito. As escolas ganhadoras de 1º, 2º e 3º lugar receberão certificados. E as que obtiverem a maior pontuação serão premiadas com aparelhos eletrônicos, kits artísticos, câmeras digitais e outros. A cerimônia de premiação acontece no dia 03 de dezembro. Fonte: http://www.jornaldacidadearuja.com.br/noticias.php?id_noticia=6875&idioma=16

Motorista paraibano de 101 anos nunca recebeu multa de trânsito

Marcelle Ribeiro, O Globo SÃO PAULO - O paraibano Pedro Nunes de Oliveira tem 101 anos, dirige até hoje e tem orgulho de nunca ter levado uma multa de trânsito. Na semana passada, um inglês de 99 anos virou notícia por ser considerado ' o motorista mais seguro do mundo', já que nunca tinha sido multado. Pois Pedro Nunes Oliveira também pode ser considerado o motorista brasileiro mais seguro do Brasil. Nascido em 15 de janeiro de 1908, na cidade de São João do Cariri, na Paraíba, ele tirou a carteira há 59 anos, em 1950, e dirige até hoje. O carro dele é uma brasília azul, que o acompanha há 35 anos, e é tão querida que tem até nome: Naná. Oliveira aprendeu a dirigir com 51 anos de idade, com a ajuda de amigos e não frequentou cursos de direção. Chegou inclusive a ser motorista de caminhão por dois anos, viajando por estados do Nordeste, como Pernambuco e Alagoas. Em 2004, com 96 anos, foi homenageado pelo Detran da Paraíba, por ser considerado um dos motoristas mais antigos do estado. O primeiro carro dele foi uma caminhonete. - Foi na caminhonete que aprendi a dirigir. Eu tinha um depósito de material de construção e usava ela para carregar tijolo, pedra, telha, cal e areia - lembra. Oliveira diz que não gosta de dar conselhos para os motoristas mais novos, pois diz que "ninguém quer mais ouvir conselhos". Mas acredita que o segredo de nunca ter sido multado é o respeito às leis. - Respeito a lei, as ordens e as autoridades. Fui e sou um cidadão de respeito. E tem também que ter atenção, vontade de viver - revela. Pedro Oliveira diz que atualmente não dirige mais à noite, por achar que as chances de acidentes de trânsito acontecerem neste período são maiores. Ele critica os motoristas de hoje: - Eles dirigem mal. Ninguém dirige mais com atenção. Para a mocidade, tanto faz bater ou não bater. Não se importam com a vida, com a própria vida - afirma. Oliveira afirma que nunca causou uma batida, mas diz que outros motoristas já bateram cinco vezes em carros seus, todas elas sem provocar ferimentos. Afirmando nunca ter bebido, o paraibano reclama dos condutores que dirigem depois de ter ingerido bebibas alcóolicas. - O sujeito, dirigindo bêbado, não sabe o que está fazendo - disse. Outra precaução tomada por Oliveira é controlar a velocidade do veículo. Ele afirma que nunca dirigiu acima dos 80 km/h, velocidade que só atingiu em casos de grande necessidade e urgência. Ciúme da brasília
Oliveira já teve quatro carros, mas do mais querido, a Brasília azul, ele diz cuidar com muito carinho. - A Brasília é um luxo. Ela tem nome: Naná. Foi uma amiga minha que batizou, porque achou esse nome bonito. Os Mamonas tinham uma brasília amarela, a minha é azul - disse o centenário, referindo-se à brasília amarela cantada pela banda Mamonas Assassinas. Com sete filhos, 20 netos e 25 bisnetos, Oliveira diz que só quem pode dirigir a Brasília é ele, apesar de outras pessoas poderem entrar no carro: - Só quem pega ela sou eu. Não deixo pegar. Com o amor que eu tenho por ela, não deixo ninguém pegar - conta Oliveira. Oliveira conta que para colocar o carro para funcionar é preciso saber um "mistério" e só ele sabe ligar o veículo, o que faz antes de entrar na brasília. Fonte:

22 de out de 2009

Seu filho tem pulso para segurar a cavalaria que você deu a ele?

Publicada em 19/10/2009 às 12h51m Artigo do leitor Ariosvaldo Osvaldo Aldo
O primeiro carro da minha vida foi o Chevette 77 da minha mãe. Deus sabe que fiz muita besteira com aquela máquina, dentro do que ela permitia, então não serei hipócrita. Comecei minha vida automobilística com esse carro não porque minha mãe tinha decidido que era melhor começar devagar, mas porque era o que nossas condições financeiras permitiam. E aí está, creio, a raiz do problema. Nenhum pai, nenhuma mãe dá um carro ao filho de presente imaginando que um dia assistirá aos bombeiros tentando separar os pedaços de seu filho das ferragens. Ele ou ela dão um carro potente porque podem. A família tem vários carros na garagem, todos novos, todos super potentes. Os olhos do garoto brilham com aquele modelo lindo, imponente, que aparece no comercial da novela das 8. Por que dar a ele um carro fraco? Mais fraco do que os carros dos amigos do condomínio e da faculdade? Por ele. Por você. Os carros mudaram, pessoal. As motos mudaram. E nossas ruas e rodovias não acompanharam essa mudança. Pior: muitos de nossos cérebros não acompanharam essa mudança. Há motos nas ruas mais potentes do que as melhores motos de corrida de dez anos atrás. Sob os capôs há muito mais cavalos do que a maioria das pessoas tem competência para controlar. Se você faz uma curva errada e capota, a 100 quilômetros por hora, é muito provável que você volte para casa com alguns ferimentos e uma lição aprendida. Se você faz isso a 200 quiloômetyros por hora, será sua última lição. As variantes do trânsito, as coisas que podem dar errado e provocar um acidente são muitas. É preciso de muitos anos para entendê-las, decifrá-las. Não é um aprendizado que possa ser comprado, não importa quantos zeros haja em seu extrato bancário. Seu filho testará os limites. Mesmo que ele não diga isso em voz alta, em algum lugar na mente dele ele acha que a morte é algo que só acontece com os outros. Ele precisa de tempo para entender que não é assim. Você pode fazer o máximo para que ele tenha esse tempo. Ou você pode discutir sobre como seu filho é diferente dos outros e como ele não comete esse tipo de irresponsabilidade. Talvez porque, em algum lugar na sua própria mente, você ache que a morte é algo que só acontece com os filhos dos outros. Tenha a humildade de reconhecer que o seu garoto, que a sua garota, que o seu orgulho, que o seu príncipe, que a sua rainha, não tem força nas mãos suficiente para manter sob controle a cavalaria que ele ou ela pediu de presente. E dê a ele menos, para que vocês possam ter mais tempo juntos. Esse é o melhor presente que vocês podem dar um ao outro. Fonte: http://oglobo.globo.com/opiniao/mat/2009/10/19/seu-filho-tem-pulso-para-segurar-cavalaria-que-voce-deu-ele-768116090.asp (acesso em 22/10/09)
Comentário:
O importante são os valores que o jovem possue. Se para ele a velocidade for significante para ser feliz, vai correr. No entanto se sua visão de felicidade for baseada em outros valores como: vida, amizade, amor... vai dirigir com responsabilidade para não colocar isso em risco. Esses valores devem ser construídos desde a infância e os pais são os principais responsáveis por isso. É preciso primeiramente ensinar os filhos a VALORIZAR A VIDA, a ter responsabilidade, para depois dar o carro.
Irene Rios

Novas Especializações em Trânsito

Após 4 anos de experiência com formação de Especialistas em “Gestão e Normatização de trânsito” e mais de cem alunos atendidos, o CEAT – Centro de Estudos Avançados e Treinamento / Trânsito decide inovar em sua Pós-graduação, passando a oferecer um Curso modulado, que possibilita: - a participação de profissionais que não possuem Curso superior (que recebem o Certificado de Capacitação Profissional); - a livre escolha dos módulos de interesse do discente (conforme programação acadêmica); e - a Certificação daqueles que possuem Curso superior, em três especialidades diferentes: GESTÃO E DIREITO DE TRÂNSITO GESTÃO, ENGENHARIA E OPERAÇÃO DE TRÂNSITO GESTÃO, PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE TRÂNSITO Carga horária: 400 h/a. Duração do Curso: 18 meses. Período das aulas: UM final de semana por mês, com aulas no SAB e DOM, das 8h às 18h. Corpo docente constituído por Doutores, Mestres e Especialistas com notório saber e atuação profissional na área de trânsito. Coordenação do Curso: Julyver Modesto de Araujo, Mestre em Direito do Estado pela PUC/SP, com Especialização em Direito Público pela Escola Superior do Ministério Público de SP; Oficial da Polícia Militar do Estado de São Paulo, onde exerceu, de 1996 a 2008, diversas atividades relacionadas ao policiamento de trânsito; Conselheiro do CETRAN/SP, de 2003 a 2008 e representante dos CETRANS da região sudeste no Fórum Consultivo do Sistema Nacional de Trânsito, por dois mandatos consecutivos; Autor de diversos artigos e livros, destacando-se: "Código de Trânsito Brasileiro anotado", Editora Letras jurídicas (em sua 4ª edição), “Instalação e funcionamento de JARIS e o julgamento de recursos”, Editora Cantareira e "Trânsito - reflexões jurídicas", Editora Letras jurídicas; Diretor do Conselho Consultivo da ABRAM – Associação Brasileira de Motociclistas e Presidente da ABPTRAN – Associação Brasileira de Profissionais do Trânsito. Realização: CEAT – Centro de Estudos Avançados e Treinamento / Trânsito. Faculdade INESP – Instituto Nacional de Ensino Superior e Pesquisa. Credenciamento Ministério da Educação: Portaria MEC 703/05. Em conformidade com o artigo 1º da Resolução MEC/CNE 01, de 08/06/07. TURMAS EM ANDAMENTO: São Paulo / SP - início em 17/01/09; Marília / SP - início em 07/03/09; Blumenau / SC - início em 18/07/09; São Paulo / SP - início em 22/08/09 TURMAS 2010 (INSCRIÇÕES ABERTAS): GESTÃO E DIREITO DE TRÂNSITO Porto Velho / RO - 23/01/10 Recife / PE - 20/02/10 Salvador / BA - 27/02/10 Goiânia / GO - 06/03/10 São José do Rio Preto / SP - 13/03/10 Concórdia / SC - 27/03/10 Cuiabá / MT - 03/04/10 Criciúma / SC - 10/04/10 Campinas / SP - 17/04/10 Curitiba / PR - 24/04/10 Jacareí / SP - 01/05/10 Joinville / SC - 08/05/10 Rio de Janeiro / RJ - 15/05/10 Fortaleza / CE - 22/05/10 Anchieta / ES - 29/05/10 GESTÃO, PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE TRÂNSITO São Paulo / SP - 20/03/10 Fonte: http://www.ceatnet.com.br/modules/tinycontent/index.php?id=8 (acesso em 22/10/09)

Educação no trânsito para adultos e crianças

Para comemorar o Mês das Crianças, Porto Seguro promove evento sobre segurança no trânsito neste sábado, 24, com atividades lúdicas para pais e filhos. A Porto Seguro (www.portoseguro.com.br) comemora o Mês das Crianças reunindo segurados e seus filhos para aprenderem mais sobre Educação no Trânsito. No próximo sábado, 24 de outubro, a partir das 8h30, na sede da Companhia (Alameda Barão de Piracicaba, 740 - 3º andar - Auditório), será realizado o encontro "Pais - heróis que ensinam", com apresentação de Roberto Manzini, especialista em direção segura; e também ocorrem atividades recreativas para os menores na 'Cidade Portinho Seguro Auto'. "A educação é a melhor maneira de evitar problemas no trânsito. Queremos promover e incentivar a prática da direção segura entre os motoristas de hoje e do futuro", explica Marcelo Sebastião, diretor do ramo Auto da Companhia. Jornalistas interessados em participar do evento devem se inscrever com renato@raf.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email , ou pelo telefone (11) 5573-8916, fornecendo nome, veículo e número de CPF. Programação O evento terá início com um café-da-manhã. Em seguida, os adultos seguirão para a palestra e as crianças, para a Cidade Portinho Seguro Auto. Durante a apresentação, Roberto Manzini abordará a importância dos pais na formação consciente do futuro motorista. O especialista, responsável pelo Curso Direção Segura ministrado aos segurados Auto Jovem da Companhia e pela formação de pilotos como Cacá Bueno, Felipe Massa e Bruno Senna, debaterá ainda a 'quebra de paradigmas' em direção; a influência da criança na fiscalização das normas de trânsito; e os cuidados que precisam ser tomados na transmissão de informações sobre o assunto aos menores. Enquanto os adultos acompanham a palestra, as crianças aprenderão as principais regras de trânsito de forma prática, na Cidade Portinho Seguro Auto. A 'minicidade' acaba de passar por reformulação e agora conta com nova estrutura inflável, com semáforos, faixas de pedestre e outros elementos comuns a ruas e avenidas reais. Para conscientização sobre os cuidados com o meio ambiente, foram inseridos nas atividades educacionais conceitos ambientais como reciclagem e reaproveitamento de materiais, em uma nova oficina onde as crianças aprendem a construir um porta-lápis a partir de caixinha de tetra pak. Após passarem pela 'Cidade', as crianças participarão de um momento recreativo com monitores da 'Companhia do Tomate'. A programação de todo o evento está prevista para ser concluída às 11h30. Serviço: Comemoração do Mês da Criança na Porto Seguro - Encontro "Pais - heróis que ensinam" - Cidade Portinho Seguro Auto Quando: 24 de outubro (sábado) Onde: sede da Porto Seguro Endereço: Alameda Barão de Piracicaba, 740 - 3º andar - Auditório Campos Elísios - São Paulo (SP) Horário: 8h30 às 11h30 Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=38956&Itemid=1 (acesso em 22/10/09)

Seminário Nacional Psicologia e Mobilidade: O espaço público como direito de todos

Assista ao vivo, via internet. Acesse: http://www.crpsp.org.br/aovivo/ A partir das 19h30 do dia 22 de outubro. Participe! Utilize a transmissão do seminário em aulas, palestras, nas escolas e universidades! Local: Auditório do CRP-06, localizado na Rua Arruda Alvim, 89 - Jd. América, São Paulo, SP Data: 22 a 24 de outubro Programação: http://mobilidade.pol.org.br/

21 de out de 2009

Rio prevê arrecadar 30,15% a mais com multas em 2010

Enviado por Antero Gomes - 20.10.2009 11h57m
O Golpe do amarelo A Prefeitura do Rio está planejando arrecadar, em 2010, 107,9 milhões com multas de trânsito. É o que estabelece o Projeto de Lei Orçamentária enviado para a Câmara Municipal no início do mês. O montante é 30,15% maior do que o total previsto para ser arrecadado este ano, segundo a Lei de Diretrizes Orçamentárias mandada para o Legislativo em 2008. Os números mostram que, mais do que inibir infrações, as multas estão servindo cada vez mais para compor as receitas do município. Os dados foram analisados na segunda-feira, numa audiência da Câmara. Estavam presentes a secretária municipal de Fazenda, Eduarda Cunha de La Rocque, e o subsecretário Chefe da Casa Civil, Marcello Faulhaber. Os dados foram alvo de críticas por parte da vereadora Andrea Gouvêa Vieira (PSDB), sobretudo no que se refere aos recursos destinados para educação no trânsito: apenas R$ 287.172. -É um absurdo a previsão de gasto na educação do trânsito ser de apenas R$ 287 mil. É um valor muito baixo para uma arrecadação milionária. Se o objetivo da multa é justamente melhorar o trânsito, como a prefeitura explica um investimento tão baixo em educação do trânsito. Já os gastos com implantação de novos pardais para punir o cidadão não param de crescer - lamentou Andrea Gouvêa. O orçamento de 2010 prevê 79 mil a mais em programas de educação em relação ao que foi estabelecido para este ano. Entretanto, os valores ainda são baixíssimos. Em setembro, o EXTRA mostrou que, dos R$ 70,1 milhões arrecadados com multas de trânsito este ano, até 31 de agosto, a Prefeitura do Rio havia destinado apenas R$ 44 mil (0,06%) em programas de educação para o trânsito. Os R$ 287 mil representarão apenas 0,26% do total arrecadado com multas em 2010. Andrea Gouvêa criticou ainda o fato de a prefeitura destinar 18,81% do total arrecadado com multas para pagamento de pessoal em 2010. Serão destinados 20,3 milhões com salários da Guarda Municipal, que não cuida só do trânsito. O Código Nacional de Trânsito não cita pagamento de salários como uma das destinações possíveis para os recursos obtidos com infrações. O orçamento prevê ainda R$ 17, 2 milhões com a a implantação de equipamentos de fiscalização eletrônica, um sinal de que a curva da indústria das multas só tende a subir nos próximos anos. -Mais uma vez, o que se vê é o uso das multas para pagamento de pessoal, o que é totalmente irregular. E se essa previsão de arrecadação não se concretizar? E se o motorista carioca não cometer tantas infrações quanto a prefeitura imagina? Como vai se pagar os salários? _ questionou ela. Fonte:
http://extra.globo.com/geral/casosdecidade/transporte/posts/2009/10/20/rio-preve-arrecadar-30-15-mais-com-multas-em-2010-233842.asp

20 de out de 2009

VIVA com a Lei Seca!

A Lei Seca está aí,
Ela veio pra ficar,
Pois beber e dirigir,
Não dá mais pra suportar.

A sociedade pediu,
O Congresso aprovou,
A lei Seca então surgiu,
E a segurança aumentou.  

VIVA com a Lei Seca! 
VIVA! VIVA! VIVA!

Caso precise beber,
Pra poder se divertir,
Você pode isso fazer,
Mas não pode dirigir.

Ao sair para beber,
Façam um acordo entre vocês,
 Procurem sempre eleger,
O grande AMIGO DA VEZ.

VIVA com a Lei Seca! 
VIVA! VIVA! VIVA!

Irene Rios  

O texto está com métrica e rimas, possibilitando a inserção de melodia e a transformação em música. Pode ser cantado no ritmo de "Jacaré foi ao Mercado", Terezinha de Jesus", "Ciranda Cirandinha"...

18 de out de 2009

Dicas de Conduta para Motoristas

  •  "A gentileza faz com que o homem pareça exteriormente, como deveria ser interiormente." (Jean de La Bruyère)
  • Se ao ligar o veículo ocorrer ruídos anormais dentro dele, podem ser folgas em algumas partes internas. Quanto mais cedo forem corrigidas, melhor.
  • Se sua visão estiver turva, ou se estiver sentindo cansaço ou ardência nos olhos, consulte um oftalmologista. Na direção, a boa visão é essencial!
  • "Respeitar em cada homem o homem, se não for aquele que é, pelo menos o que ele poderia ser, que ele deveria ser." (Henri Frédéric Amiel)
  • Condutor, observe e respeite sempre as placas de sinalização!
  • Pedal da embreagem duro, engates de marchas difíceis, alto consumo de combustível, dificuldade em subir ladeiras: são sintomas de defeitos na embreagem.
  • "A vida é mais simples do que a gente pensa; basta aceitar o impossível, dispensar o indispensável e suportar o intolerável." (Kathleen Norris)
  • Ao dirigir, mantenha a velocidade permitida!
  • Ruído, com o carro em movimento, semelhante a um zumbido oco, pode significar rolamento de roda defeituoso.
  • "É possível mudar nossas vidas e a atitude daqueles que nos cercam simplesmente mudando a nós mesmos." (Rudolf Dreikurs)
  • Quando o desgaste do pneu é irregular, faz ele produzir ruído semelhante ao dos rolamentos das rodas
  • A ultrapassagem de outro veículo em movimento deverá ser feita pela esquerda, obedecida a sinalização regulamentar.
  • "É possível mudar nossas vidas e a atitude daqueles que nos cercam simplesmente mudando a nós mesmos." (Rudolf Dreikurs)
  • Falhas e engasgos do motor, falta de força, desempenho fraco: são sintomas de que os sistemas de carburação/injeção e de ignição necessitam manutenção.
  • Quando o estacionamento for proibido, a parada deverá ser só para embarque ou desembarque.
  • "A vida se tornaria insuportável, se não nos proporcionasse mudanças." (Joseph Murphy)
  • O embarque e o desembarque no veículo devem ocorrer sempre do lado da calçada, exceto para o condutor.
  • Não "segure" o carro numa ladeira com a embreagem e não descanse o pé no pedal da embreagem, com isto você evita o desgaste prematuro de todo o conjunto.
  • "Quando faço palestras para estudantes, digo que a arquitetura não é importante, o importante é a vida. (Oscar Niemeyer)
  • Circulando pela faixa da esquerda, deslocar-se para a faixa da direita, sem acelerar a marcha.
  • • Se o carro ao lado do seu parar na faixa de segurança, em rua de mão dupla, pare também. O pedestre está aguardando isso.
  • "Somos responsáveis por aquilo que fazemos, pelo que não fazemos, e por aquilo que impedimos de fazer." (Textos Cristãos)
  • Na chuva ou neblina, use farol baixo. A luz do farol alto poderá ofuscá-lo, refletindo-se nas partículas de água, e você enxergará ainda menos.
  • Motorista, ao dirigir faça paradas periódicas para descansar.
  • "A paciência é a fortaleza do débil e a impaciência, a debilidade do forte." (Immanuel Kant)
  • Circulando à noite, use farol baixo e não apenas a lanterna. Use o pisca-alerta em imobilizações, em situações de emergência ou quando a regulamentação da via assim o determinar.
  • Em local não sinalizado, terá preferência de passagem o veículo que está circulando à direita da via.
  • "Não há nada que se possa fazer com pressa e prudência em simultâneo." (Publílio Siro)
  • Dê a preferência aos veículos de emergência: ambulância, bombeiro, polícia...
  • Nunca pise na embreagem e no freio ao mesmo tempo. Agindo assim você deixa o carro mais "solto".
  • "O álcool não faz as pessoas fazerem melhores as coisas; ele faz com que elas fiquem menos envergonhadas de fazê-las mal." (William Osler)

Estas são apenas algumas das várias dicas de conduta constantes no MANUAL PARA MOTORISTAS: Agenda, de Irene Rios.

17 de out de 2009

É Proibido Estacionar!

Música: A Barata diz que tem  

É proibido estacionar
Em frente de hospital,
Pois veículos de emergência
Tem que parar no local.  

Já pra lá. Xô, xô, xô 
Estacione em outro local. (bis)

É proibido estacionar
Numa esquina ou cruzamento,
Pois ter que fazer a curva
Sem espaço é um tormento.  

Já pra lá. Xô, xô, xô 
Sem espaço é um tormento. (bis)

É proibido estacionar
Nas entradas de garagem,
Pois se estacionar ali
Vai fechar toda a passagem.

Já pra lá. Xô, xô, xô 
Está fechando a passagem. (bis)

É proibido estacionar,
O sinal é o E cortado,
Quem não obedece à regra
Tem o seu carro guinchado.  

Já pra lá. Xô, xô, xô 
Cuide pra não ser guinchado. (bis)  

Irene Rios  

Esta paródia faz parte do livro Transitando com Segurança.

Desafio 2016: Educação Carioca no Trânsito

Quando houve os Jogos Olímpicos de Pequim em 2008 um dos desafios para a China era mudar a educação do povo chinês que era um tanto nojenta para os olhos ocidentais. E pelo jeito talvez seja necessário o mesmo no Rio de Janeiro. O carioca vem a cada dia se mostrando uma incrível falta de educação no trânsito, comparado com os paulistas isso aqui é quase uma feira livre com incêndio. É carro fechando o cruzamento, ultrapassagem do sinal vermelho, estacionamento em lugar proibido (até em shopping está assim, mesmo com vagas). Sem contar ônibus e vans que param em qualquer lugar ou no meio da rua mesmo do lado do recuo, no máximo metade no recuo, metade na rua. É preciso que parte do investimento do Rio 2016 vá para a questão da educação no trânsito. Uma mudança na legislação ajudaria também, retirar a parte que obriga avisar quando se tem pardal próximo, afinal, a obrigação é andar no limite e respeitar o sinal vermelho não apenas quando se pode ser multado. Já ouvi gente reclamando que foi multado porque o guarda estava escondido… Só um adendo, semana passada na Taquara, conhecida por seu trânsito complicado, um motorista ultrapassa o sinal vermelho apenas para fechar o cruzamento. Fiz algo errado, não me segurei, perguntei o porquê de ultrapassar o sinal vermelho apenas para fechar o cruzamento, claro que ele não respondeu. Foto: Trânsito Pesado por Transporte Ativo Fonte: http://diariodorio.com/desafio-2016-educao-carioca-no-trnsito/ (acesso em 17/10/09)

15 de out de 2009

Denatran lança ciclo de palestras para estudantes

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) deu início nessa quinta-feira (08), em Florianópolis, ao Ciclo de Palestras Trânsito Consciente. A atividade é voltada para estudantes do 2° e 3° ano do ensino médio. Neste ano, além da capital catarinense, Curitiba, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Recife e Porto Alegre receberão a atividade. Em cada capital serão realizadas quatro palestras com turmas de 400 estudantes, a expectativa é que 11.200 jovens participem. O Ciclo de Palestras faz parte do projeto Trânsito Consciente lançado em 2007. A primeira ação do projeto foi a produção e exibição de 20 programas educativos dirigidos ao público jovem. Os programas, que foram exibidos pela TV Cultura, abordaram temas relativos ao trânsito como, por exemplo, álcool e direção, pedestres, o uso do celular ao volante e acessibilidade. Após a exibição dos programas foi lançado um hotsite onde é possível assistir aos vídeos da série. Em 2008 o Denatran distribuiu 2.217.830 cadernos Trânsito Consciente para 13.460 escolas. Os cadernos têm informações sobre os temas debatidos pela série de TV. Neste ano o objetivo do Denatran é se aproximar ainda mais dos alunos do ensino médio e obter de forma direta a impressão dos jovens sobre questões relativas ao trânsito. Além de uma palestra interessante, formativa e informativa, os alunos receberão material educativo e participarão de uma pesquisa, respondendo questões referentes ao seu comportamento diante de situações rotineiras no trânsito, como usar o cinto no banco de trás e pegar carona com um condutor embriagado. O objetivo é que os alunos manifestem idéias, pensamentos e sentimentos em relação ao trânsito. A previsão é que os resultados desta pesquisa sejam divulgados em novembro, a amostra auxiliará o Denatran na elaboração de outras atividades que atendam às expectativas dos jovens. Confira abaixo o cronograma do ciclo de palestras: Data e Local 08 e 09 de outubro Florianópolis/SC 22 e 23 de outubro Curitiba/PR 26 e 27 de outubro São Paulo/SP 29 e 30 de outubro Belo Horizonte/MG 05 e 06 de novembro Brasília/DF 09 e 10 de novembro Recife/PE 12 e 13 de novembro Porto Alegre/RS O hotsite com os vídeo da série de TV Trânsito Consciente estão disponíveis no site http://www.denatran.gov.br/ Fonte:
http://www.denatran.gov.br/ultimas/20091015_palestras_denatran.htm (acesso em 15/10/09)

13 de out de 2009

Projeto de tocantinense que propõe educação para o trânsito no currículo escolar será apreciado

13/10/2009 11:24 - Redação
Uma reunião conjunta da Comissão de Viação e Transporte – CVT, com a Comissão de Educação e Cultura, da Câmara dos Deputados, discutirá as implicações do Projeto de Lei 2742/08, de autoria do deputado federal Lázaro Botelho (PP/TO), que acrescenta artigo na Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB, incluindo a matéria “Educação para o Trânsito” no currículo escolar. A proposta de reunião conjunta foi feita pelo deputado federal Hugo Leal (PSC/RJ), um dos maiores especialistas no tema “Trânsito” na Câmara dos Deputados. O Deputado apresentou no último dia 8 de outubro, requerimento solicitando a reunião conjunta, pois para ele o projeto, do deputado Lázaro, mostra-se em sintonia com os objetivos do Código de Trânsito Brasileiro e precisa ser melhor apreciado. Hugo Leal afirma que as alterações propostas pelo PL 2742/08 estimulam os sistemas de ensino a dar a devida atenção à educação para o trânsito, inserindo a questão na lei que os rege diretamente, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. O deputado Lázaro Botelho mostrou-se satisfeito com o apoio que seu projeto vem recebendo. Ele informou que diversas autoridades e especialistas no assunto já declararam interesse na aprovação do projeto, que tem o objetivo de criar as condições para que a educação para o trânsito possa ser, efetivamente, promovida nas escolas através da inclusão de uma nova matéria no currículo escolar do ensino fundamental, médio e profissional. Lázaro esclareceu que embora a educação para o trânsito nas escolas já esteja prevista no Código de Trânsito Brasileiro, ela nunca foi ministrada com a profundidade necessária, o que ele pretende solucionar com a aprovação do seu projeto. Fonte: Assessoria de Imprensa Lázaro Botelho http://conexaoto.com.br/noticia/projeto-de-tocantinense-que-propoe-educacao-para-o-transito-no-curriculo-escolar-sera-apreciado/7228 (acesso em 13/10/09)

10 de out de 2009

MCidades divulga manual do programa Segurança e Educação de Trânsito

09/10/2009
Clique em:
http://www.cidades.gov.br/ministerio-das-cidades/legislacao/portarias/portarias-2009/Programa0660SegurancaEducacaoTransito.pdf para acessar o manual do Programa Segurança e Educação de Trânsito: Direito e Responsabilidade de Todos. O ministério das Cidades publicou nesta sexta-feira (09) o Manual para apresentação de propostas no Programa Segurança e Educação de Trânsito: Direito e Responsabilidade de Todos, sob a responsabilidade da Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana (Semob). O manual apresenta aos Estados, Distrito Federal e Municípios os fundamentos técnicos do Programa Segurança e Educação de Trânsito: Direito e Responsabilidade de Todos, acrescido das orientações necessárias para apresentação e enquadramento de propostas a serem implementadas com recursos do Orçamento Geral da União (OGU) / FUNSET. Clique em:
http://www.cidades.gov.br/ministerio-das-cidades/legislacao/portarias/portarias-2009/PortariaN406Sistematica2009.pdf para acessar a portaria nº 406/2009. É imprescindível que seja consultado o Manual de Instruções para Contratação e Execução dos Programas e Ações do Ministério das Cidades, não inseridos no PAC – Exercício 2009, comum a todos os programas do Ministério das Cidades que operam com descentralização de recursos provenientes do OGU. O manual foi aprovado pela Portaria nº 406, de 7 de outubro de 2009, publicada no Diário Oficial da União nesta sexta-feira (09). Ministério das Cidades Assessoria de Comunicação (61) 2108.160 Fonte:
http://www.cidades.gov.br/noticias/mcidades-divulga-manual-do-programa-seguranca-e-educacao-de-transito (acesso em 10/10/09).

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO - CAMINHO PARA REDUZIR A VIOLÊNCIA NO ASFALTO

Fernando Pedrosa A falta de educação de trânsito e a conseqüente violência que isso gera, já é uma preocupação mundial. Se a falta de educação leva ao subdesenvolvimento e mata a longo prazo, a falta de educação no trânsito é a prova viva desse desenvolvimento que mata de imediato. A educação é a principal ferramenta para chegarmos à solução para os problemas da extrema violência do trânsito brasileiro. Apesar de toda a moderna tecnologia empregada no controle das infrações e da possibilidade da presença inesperada de um agente de fiscalização com o seu arsenal de advertências e punições (guardas, pardais, semáforos, radares barreiras eletrônicas e multas), só um motorista consciente e responsável irá, independente de qualquer ameaça, apresentar um comportamento civilizado no trânsito.
Além desse comportamento condenável e até criminoso, falta ainda ao motorista brasileiro a prática cotidiana da cooperação e da gentileza que, no trânsito, resolveriam questões de relacionamento que a melhor engenharia teria dificuldade em resolver.
A nossa educação está carente de princípios e valores morais e éticos bem definidos. É na primeira infância que a criança forma os conceitos do bem e do mal, do certo e do errado. Quando os pais não deixam essas questões claras para os filhos, a formação desses conceitos fica prejudicada. Na estrada com a família, por exemplo, quando ultrapassamos outro veículo numa curva sob faixa contínua ou dirigimos em velocidade sempre superior à permitida estaremos passando de uma maneira muito forte e clara para nossos filhos que estão ainda em processo de formação de caráter, que mentir e enganar são valores que praticamos sem constrangimento.
Nós definimos nossos valores mais pelos nossos atos e exemplos do que pelas nossas palavras e sugestões. Esses comportamentos inadequados, aprendidos na infância, vão tomando dimensões maiores na adolescência, vão se enriquecendo com a força do grupo e terminam nesse “show de agressões” a que hoje assistimos estarrecidos em nossa sociedade.
Não existe falta de educação no trânsito. O que existe é falta de educação mesmo. O trânsito assim reflete o desrespeito ao próximo, a competitividade exacerbada e inconseqüente e sobretudo a prática costumeira de sempre levar vantagem.
Podemos comparar o trânsito a arena onde os romanos antigos se divertiam de forma sádica. Ao vestimos nossa armadura - o carro - nós nos tornamos poderosos, imbatíveis quase imortais. Um outro condutor e até mesmo o indefeso pedestre, são os nossos adversários que devemos abater violentamente e sem piedade. É este o comportamento geral que, inconscientemente, envolve o motorista imprudente e agressivo quando.
E de quem é, afinal, a responsabilidade pela educação para o trânsito?
Das autoridades de trânsito, dos Centros de Formação de Condutores e dos Agentes de Trânsito? No nosso entender é de toda a sociedade que deve estar comprometida com a cidadania e a qualidade de vida em busca de um trânsito civilizado e sem violência Fonte:

9 de out de 2009

Gincana Cultural de Trânsito

A gincana é uma excelente estratégia de educação para os adolescentes, geralmente há uma grande participação dos alunos. Muitas vezes os que costumam ser indiscplinados nas aulas lideram a equipe e se destacam. É uma ótima oportunidade de descobrir e valorizar os talentos, educando para o trânsito. Abaixo algumas sugestões de tarefas para uma Gincana Cultural de Trânsito.

1. Dramatizar uma paródia educativa de trânsito. Tempo máximo de duração: 10 minutos.

 2. Em uma rua movimentada de seu bairro, observar a quantidade de ônibus que circula no horário das 15 às 16 horas, em três dias. Apresentar a comissão julgadora um relatório estatístico, contendo a média dos três dias e a quantidade mensal, naquele horário.

3. Entrevistar um agente de trânsito. A entrevista deve conter 5 perguntas. Apresentar por escrito à comissão julgadora, a entrevista com perguntas e respostas.

4. Cada equipe deverá trazer três frases educativas para o trânsito.

5. Entrevistar um motorista que possua mais de 20 anos de experiência, trabalhando com transporte coletivo e que nunca tenha sido multado. Dois membros da equipe devem dramatizar a entrevista. Tempo máximo de duração 10 minutos.

 6. Apresentar à comissão julgadora uma paródia relacionada à direção de moto e/ou bicicleta, criada pelos alunos. Tempo máximo de duração: 5 minutos.

7. Em uma rua movimentada de seu bairro, observar a quantidade de motos que circula no horário das 15 às 16 horas, em três dias. Apresentar a comissão julgadora um relatório estatístico, contendo a média dos três dias e a quantidade mensal, naquele horário.

8. Entrevistar um moto boy que possua mais de 5 anos de experiência, que nunca tenha sido multado. Apresentar a comissão julgadora um relatório com a entrevista.

9. Entrevistar a vítima de um acidente com moto, que tenha sofrido seqüelas. Dois membros da equipe devem dramatizar a entrevista. Tempo máximo de duração: 10 minutos.

10. Entrevistar um bombeiro sobre seu trabalho no trânsito. Apresentar à comissão julgadora a entrevista por escrito, contendo cinco perguntas com as respectivas respostas.

11. Apresentação de texto relacionado à condução de bicicleta.

12. Em uma rua movimentada de seu bairro, observar a quantidade de automóveis que circula no horário das 15 às 16 horas, em três dias. Apresentar a comissão julgadora um relatório estatístico, contendo a média dos três dias e a quantidade mensal, naquele horário.
 
13. Entrevistar um motorista de automóvel que possua mais de 20 anos de carteira de habilitação, que nunca tenha sido multado. Apresentar a comissão julgadora um relatório com a entrevista.

14. Em uma rua movimentada de seu bairro, observar a quantidade de automóveis que circula no horário das 18 às 19 horas, em três dias. Apresentar a comissão julgadora um relatório estatístico, contendo a média dos três dias e a quantidade mensal, naquele horário.

15. Entrevistar a vítima de um acidente com automóvel, que tenha sofrido seqüelas. Apresentar a comissão julgadora um relatório com a entrevista, contendo cinco perguntas e as respectivas respostas.

16. Entrevistar um médico que trabalha na emergência do hospital mais sobre o atendimento à vítimas de acidentes de trânsito. Dois membros da equipe devem dramatizar a entrevista. Tempo máximo de duração: 10 minutos.

17. Apresentar à comissão julgadora uma paródia relacionada ao comportamento do pedestre, criada pelos alunos. Tempo máximo de duração: 5 minutos.

18. Em uma rua movimentada de seu bairro, observar a quantidade de pedestres que circula no horário das 15 às 16 horas, em três dias. Apresentar a comissão julgadora um relatório estatístico, contendo a média dos três dias e a quantidade mensal, naquele horário.

19. Entrevistar um pedestre, que anda mais de 2 km por dia em ruas movimentadas. Apresentar a comissão julgadora um relatório com a entrevista, contendo cinco perguntas e as respectivas respostas.

20. Entrevistar uma vítima de atropelamento, que tenha sofrido seqüelas. Dois membros de cada equipe deverão dramatizar a entrevista. Tempo máximo de duração: 10 minutos.

21. Apresentação de paródia relacionada ao Transporte Escolar, criada pela equipe. Tempo máximo de duração 5 minutos.

22. Apresentar à Comissão Organizadora, uma bicicleta com maior número de acessórios (enfeites) e decorada com frases decorativas sobre o transito.

Irene Rios

8 de out de 2009

3º Seminário de Educação, Segurança e Administração do Trânsito

O CETRAN/SC, em parceria com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão, o DETRAN/SC e o Município de Fraiburgo, promoverá nos dias 9 e 10 de novembro de 2009 o 3° Seminário CETRAN de Educação, Segurança e Administração do Trânsito, onde, através de palestras e debates acerca de assuntos polêmicos da área, se almeja a consagração do direito da sociedade catarinense e obrigação dos órgãos componentes do Sistema Nacional de Trânsito, ou seja, o trânsito em condições seguras. LOCAL: Centro de Eventos do Hotel Renar, em Fraiburgo, SC Programação 09/11/2009 – Segunda-feira
10 horas – Credenciamento
12 horas – Almoço
13h30min – Cerimônia de abertura do evento
14h30min – Primeiro painel: EDUCAÇÃO E SEGURANÇA DO TRÂNSITO
1ª Palestra: Os aspectos pedagógicos da fiscalização e a preservação da vida no trânsito Palestrante: Luiz Antonio de Souza, Presidente do CETRAN/SC – Conselho Estadual de Trânsito de Santa Catarina.
2ª Palestra: O grande desafio da Segurança no Trânsito de Santa Catarina Palestrante: J. Pedro Corrêa, especialista em segurança no trânsito; Palestrante, debatedor em mais de 300 eventos no Brasil e boa parte no exterior; Autor do livro “20 anos de lições de trânsito no Brasil”, onde faz uma radiografia do nosso trânsito nas duas últimas décadas.
• Coffee break
3ª Palestra: A lavratura do Auto de Infração: orientações Palestrante: Ricardo Alves da Silva, Oficial da Polícia Militar de SC; Pós Graduado em Gestão e Segurança no Trânsito; Professor universitário; Membro da JARI Estadual de Concórdia/SC e do Grupo técnico para assuntos de trânsito da PM/SC; Autor do livro “Tudo o que você precisa saber sobre as infrações de trânsito”.
4ª Palestra: A motocicleta e a Legislação de Trânsito Palestrante: Marcelo José Araújo, Assessor Jurídico do CETRAN/PR; Advogado e Consultor de Trânsito; Professor de Direito de Trânsito das Faculdades Integradas Curitiba.
18h30min – DEBATE SOBRE OS TEMAS APRESENTADOS Mediação: CETRAN/SC 10/11/2009 – Terça-feira • 8h30min – Segundo Painel: ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO
1ª Palestra: A evolução do sistema de trânsito de Santa Catarina na vigência do CTB Palestrante: Sérgio de Bona Portão, Coronel RR da PM/SC; Bacharel em Direito; Ex-conselheiro e ex-presidente do CETRAN/SC; Especialista em Gestão e Segurança de Trânsito.
2ª Palestra: Legislação de Trânsito: Análise e posturas sob a ótica do CETRAN/SC Palestrante: André Gomes Braga, Representante da Polícia Militar no CETRAN/SC.
3ª Palestra: O poder de polícia administrativa de trânsito Palestrante: Julyver Modesto de Araújo, Presidente da ABPTRAN – Associação Brasileira dos Profissionais de Trânsito, Bacharel em Direito, Pós-graduado em Direito público pela Escola Superior do Ministério Público e Mestre em Direito administrativo pela PUC/SP, Coordenador e Professor do Curso de Pós-graduação lato sensu em “Gestão e Normatização de Trânsito” do CEAT.
11h30min - DEBATE SOBRE OS TEMAS APRESENTADOS Mediação: CETRAN/SC
13h30min– Encerramento, almoço e entrega dos certificados Inscrições: http://www.cetran.sc.gov.br/fraiburgo/previa.htm

6 de out de 2009

PNL Aplicada ao Trânsito

Irene Rios

Introdução

Muito tem se falado dos motoristas imprudentes no trânsito. É constante a busca de alternativas para promover a mudança de atitudes desses cidadãos. No entanto há muitos que agem corretamente. São educados e respeitosos. Praticam a direção defensiva. Porém, apesar disso, se envolveram em acidentes de trânsito, foram atingidos por um outro veículo, ou um obstáculo se interpôs a sua frente. Foram vítimas passivas, “estavam na hora e no local errado”.

Por outro lado há inúmeras pessoas que nunca se envolveram ou se machucaram em acidentes de trânsito, que, às vezes, escapam por pouco. Isso não é obra do acaso ou do destino.
A proposta deste projeto é pesquisar as atitudes e os pensamentos dos condutores que nunca se envolveram em acidente de trânsito.

Materiais e Métodos

A pesquisa foi realizada com 31 motoristas que nunca se envolveram em acidentes de trânsito. Eles se submeteram a uma entrevista a fim de responder a questões sobre suas atitudes no trânsito e sobre sua maneira de agir e pensar no dia-a-dia. Os dados foram separados em grupos.  

Grupo A:

Respostas que indicam se o motorista tem atitudes positivas ou negativas no trânsito.  


Atitudes positivas no trânsito
  • Sempre ou quase sempre dirige na velocidade permitida.
  • Raramente ou nunca faz ultrapassagem em local não permitido.
  • Nunca dirigiu sob efeito de álcool.
  • Nunca foi multado ou foi multado apenas uma vez.
  • Nunca cochilou enquanto dirigia.
  • Sempre ou quase sempre para na faixa de pedestres.
  • Costuma fazer revisão do seu carro quando está apresentando algum ruído estranho.
  • Costuma fazer revisão do seu carro periodicamente, conforme recomendação de fábrica.  

Atitudes negativas no trânsito
  • Raramente, ou nunca dirige na velocidade permitida.
  • Sempre ou quase sempre faz ultrapassagem em local não permitido.
  • Já dirigiu sob efeito de álcool.
  • Foi multado duas ou mais vezes.
  • Já cochilou enquanto dirigia.
  • Raramente ou nunca para na faixa de pedestre.
  • Costuma fazer revisão do seu carro quando não anda mais.  
Observação: Os motoristas foram considerados com atitudes positivas ou negativas no trânsito conforme a classificação da maioria de suas respostas.

Grupo B: Respostas que indicam se o motorista tem pensamentos e atitudes positivas ou negativas em situações alheias ao trânsito:  


Atitudes e pensamentos positivos em situações alheias ao trânsito.
  • Não tem religião, mas acredita em Deus, em um poder maior, ou tem religião e segue rigorosamente suas regras.
  • Reza, tem fé, mas não costuma pedir proteção, ou reza pedindo proteção e acredita que está sendo atendido.
  • O foco predominante de suas conversas é: sugestões e críticas construtivas, ou seus desejos, seus projetos e seus planos.
  • Costuma assistir a filmes de comédias ou histórias de amor com final feliz.
  • Quando a pessoa que está esperando demora a chegar e não atende o celular, você ignora, e procura não pensar sobre o atraso ou fica tranqüilo, pois tem certeza que está tudo bem com esta pessoa.  

Atitudes e pensamentos negativos em situações alheias ao trânsito.
  • Não tem religião. O mundo é apenas matéria, ou tem religião, mas não pratica ou pratica esporadicamente.
  • Não costuma rezar ou reza apenas as orações decoradas.
  • O foco predominante de suas conversas é: problemas, dificuldades e tragédias alheias, ou seus medos, suas queixas, seus problemas e suas dificuldades.
  • Costuma assistir filmes de ação, com cenas fortes de violência.
  • Quando a pessoa que está esperando demora a chegar e não atende o celular, você fica aflito, pensando que aconteceu algum problema com esta pessoa no trânsito.  
Observação: Os condutores foram considerados com pensamentos e atitudes positivas ou negativas conforme a classificação da maioria de suas respostas.  

Resultados  

Respostas relacionadas ao Grupo A  

Motoristas com atitudes positivas no trânsito: 22 - 70,97 %

Motoristas com atitudes negativas no trânsito: 09 - 29,03%  

Total: 31 - 100 % Conforme exposto acima, 70,97% dos motoristas entrevistados que nunca se envolveram em acidentes de trânsito possui atitudes positivas no trânsito, ou seja, são educados e cuidadosos enquanto dirigem.  

Respostas relacionadas ao Grupo B  

Motoristas com atitudes e pensamentos positivos: 20 - 64,52 %  

Motoristas com atitudes e pensamentos negativos: 11 - 35,48 %  

Total: 31 - 100 % A análise acima nos aponta que os motoristas que demonstram ter atitudes e pensamentos positivos em situações alheias ao trânsito representam 64,52 %.

Motoristas com atitudes e pensamentos positivos (geral): 22 - 84,62 %  

Motoristas com atitudes e pensamentos negativos (geral): 04 - 15,38 %

Total: 26 - 100 % Ao unirmos as respostas dos grupos A e B, verificamos que o percentual de condutores com atitudes e pensamentos positivos aumentou consideravelmente, passando a representar 84,62 %.  

Observação: Nesta análise houve empate, por isso foram desconsideradas 05 entrevistas.

Conclusões Esta amostra demonstra que pensar e agir positivamente atrai segurança, ou seja, os motoristas que são educados e cuidadosos no trânsito, que têm pensamentos positivos e acreditam que estão protegidos e seguros, recebem isso.

A educação e a direção preventiva são essenciais para um trânsito seguro. No entanto para que haja garantia total de segurança é necessário algo mais, é preciso buscar proteção por meio da meditação, da fé, dos pensamentos e ações positivas.

Que este estudo sirva de inspiração para projetos maiores relacionados ao tema.  

3 de out de 2009

Carrodependência tem cura

Na manhã do Dia Sem Carro, faixas espalhadas pela cidade de São Paulo lembravam que as patologias do uso excessivo de automóveis atingem outros órgãos além do pulmão, mas que existe tratamento. No espaço urbano, a infecção se alastra com rapidez, ganhando força com maus hábitos alimentares como a Redução do IPI, a pavimentação de várzeas com finalidade eleitoral ou a total negligência com os modos de circulação ditos “alternativos”. Desperdício de espaço, isolamento, solidão, angústia, espalhamento e privatização da cidade são alguns dos sintomas mais visíveis. Nos casos mais graves, a Carrodependência pode levar à total fragmentação do tecido social e consequente morte das cidades. A doença é de difícil detecção: depois de alojado no corpo da cidade, nos gabinetes de palácios e nos tubos de televisão, a Carrodependência provoca delírios, distorções na visão, febres e alto consumo de energia e recursos naturais. A Carrodependência Institucional, um tipo avançado da doença, tem como principal sintoma a dificuldade de encarar o presente: pacientes crônicos geralmente são vistos em telejornais cantarolando promessas para um futuro distante, falando de um passado remoto, de terras longínquas ou de assuntos secundários. O Carrodependente Institucional é o que tem maior dificuldade de se reconhecer doente perante a sociedade. Com alguns meses de infecção, o Carrodependente Institucional pode desenvolver outras doenças mais comuns, como a Esquizofrenia Mercadológica, a Logotipia Crônica e a Paranóia da Carreira Política. A Carrodependência tem cura, mas não pode ser encarada como um simples resfriado. O tratamento geralmente requer intervenções duras que afetam os privilégios de algumas células minoritárias. Médicos e pacientes precisam de auxílio psicológico e não devem titubear ao enfrentar o chororô das minorias. Mas é importante lembrar que cada ataque aos tecidos podres pode resultar na multiplicação de imagens e conceitos distorcidos, dificultando ainda mais o combate às causas da Carrodependência. Alguns enxergam saídas… … outros se escondem delas Fonte:

1 de out de 2009

Educação no trânsito: a quem ensinar?

Joaçaba - Jornal Folha da Manhã - 26/09/09

Trânsito: educação ou fiscalização?

Na Semana Nacional do Trânsito 2009, várias ações de conscientização e alertas com objetivo de implantar uma cultura de paz no trânsito estão sendo realizados. O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) escolheu neste ano o tema “Educação do Trânsito”. Em nosso título lançamos um dilema para refletirmos um pouco sobre a importância da educação e a fiscalização no trânsito, pois é justamente neste cenário que se manifestam os mais variados tipos de comportamento humano.
Educação engloba os processos de ensinar e aprender. É um fenômeno observado em qualquer sociedade e nos grupos constitutivos destas, responsáveis pela sua manutenção e perpetuação a partir da transposição às gerações que se seguem, dos modos culturais de ser, estar e agir necessários à convivência e ao ajustamento de um membro no seu grupo ou sociedade. Enquanto processo de sociabilização, a educação é exercida nos diversos espaços de convívio social, seja para a adequação do indivíduo à sociedade, do indivíduo ao grupo ou dos grupos à sociedade. Para Roberto Da Matta, há duas espécies de sujeito, o indivíduo e a pessoa, e situados em dois tipos de espaço social, a casa e a rua. A rua é o espaço público. Como é de todos, não é de ninguém, logo, tem-se ali um espaço hostil onde não valem as leis e os princípios éticos, a não ser sob a vigilância da autoridade.
A convivência na rua depende de uma negociação constante, entre iguais e desiguais. A casa, considerada num sentido amplo, é o espaço privado por excelência, onde estão “os nossos”, que devem ser protegidos e favorecidos. Daí o equilíbrio entre a educação formativa e a educação corretiva, se torna essencial no ato de educar para a convivência social."A primeira geração educou seus filhos de maneira patriarcal, a segunda, foi massacrada pelo autoritarismo dos pais. Na tentativa de proporcionar a eles o que nunca tiveram, os pais da segunda geração acabaram caindo no extremo oposto da primeira: a permissividade", declarou dr. Içami Tiba. Ivan Capelatto ressalta que um jovem sadio, normal vai reagir aos limites educativos com crises. E é nesse momento de restrição que o indivíduo terá a oportunidade de aprender que pode sofrer frustrações. A arte de cuidar implica aproveitar corretamente os momentos de fragilidade e de frustração por que passa o indivíduo a ser cuidado, para dar-lhe uma referência. Segundo Tania Zagury esta referência é a crença na ética, e o lar é o local perfeito e correto para estabelecer uma educação sadia, mostrar a realidade da violência de nossas ruas. Marcus Mendes Marques Instrutor em Transporte e Trânsito marcus_angela@hotmail.com Fonte: