Cadastre seu e-mail para receber as atualizações deste blog.

incluir retirar

8 de set de 2009

Educação no trânsito, já!

08 de setembro de 2009 N° 16088 ARTIGOS por Luciano Corrêa Iochins* Como meus pais não moram na mesma cidade onde estou vivendo, usualmente eu viajo para visitá-los. Só que, para isto, necessito utilizar a rodovia RS-287, que está em estado precário no trecho que liga Santa Maria à cidade de Paraíso do Sul. Justamente onde não há pedágio! Coincidência, não? Bem, o problema é que, além de ter que desviar dos numerosos e imensos buracos existentes na estrada, ainda preciso estar muito atento aos condutores despreparados e infratores que colaboram para que o meu passeio se transforme em um momento de tensão e receio. Quando estamos na iminência de um feriado, o medo dos acidentes de trânsito apavora os cidadãos que aproveitam a folga do trabalho para visitar algum parente ou amigo. Porém, algo está errado, pois feriado não pode nem deve ser sinônimo de morte causada por acidente de trânsito. E o que não está certo é a imprudência dos motoristas desatentos, os quais não merecem ter habilitação para conduzir um veículo. Sem falar nos que dirigem bêbados. Uma total falta de consciência. Deveriam ser punidos. No entanto, às vezes, passam despercebidos. Vejo pessoas que, mesmo após a criação da Lei Seca, ignoram os bafômetros e se arriscam pelas ruas, bebendo e dirigindo, e pondo em risco a segurança dos outros. A imprudência é fruto da falta de educação no trânsito. Os índices de acidentes e mortes somente serão reduzidos quando houver respeito às sinalizações, ao limite de velocidade e, principalmente, quando houver respeito aos outros motoristas que estão ao redor. Infelizmente, algumas mentes insanas não percebem que não vale a pena correr riscos nas estradas para chegar ao local de destino uns minutinhos mais cedo. Pra quê? É bem melhor, muitas vezes, atrasar um pouco a viagem do que, talvez, nem completá-la, por burrice e imaturidade. Não é feio nem brega dirigir devagar e com cuidado. Se ainda existe alguém que pensa assim, então faça um favor para a humanidade: fique em casa! Não estrague a felicidade de quem tem noção de que a violência no trânsito pode tirar vidas. Sinceramente, fico emocionado quando vejo pessoas que lutam pela preservação do nosso bem mais valioso: a vida. Entre tantos programas que há por aí, quero mencionar o projeto Vida Urgente, criado pela Fundação Thiago Gonzaga. Um exemplo de coragem, fé e esperança de um futuro sem vidas abreviadas pela estupidez humana no trânsito. É insuportável e nojento ter que conviver com a irresponsabilidade de alguns motoristas no trânsito. É irritante e assustador o fato de que, pelo menos no trânsito, nossas vidas dependem, em alguns instantes, do bom senso de quem vem no sentido contrário ao nosso caminho. É amedrontador cruzar uma avenida, à noite, sentindo palpitações e taquicardia, numa mistura de angústia e medo, sem ter certeza se os outros respeitarão a sinalização e se sairemos daquele momento com saúde e, principalmente, com vida. Que tal estamparmos, a partir de agora, as capas dos jornais e revistas com notícias boas, em vez de fotos de carros destruídos e corpos estatelados no chão? Será que é tão difícil entender que ninguém se torna mais poderoso nem mais valente quando está diante de um volante? As tragédias no trânsito acontecem em questão de segundos. Por isso, motoristas, poupem suas vidas! Poupem a minha vida, pelo amor de Deus! *Jornalista e professor Fonte:
http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2645860.xml&template=3898.dwt&edition=13077§ion=1012 (acessado em 08/09/09)

Nenhum comentário:

Postar um comentário